Sexta, 08 de Março de 2019 - 09:05

'Nem sempre é descontrole'

por Carol Machado Lopes

'Nem sempre é descontrole'

 

Nem sempre é descontrole, mas tem dia que dá é vontade de gritar mesmo. Tem dia que vem um desejo lúcido de fazer uma cara de bicho bem agressiva, falar alto e com violência, porque "ahhh aí eu quero ver ele não parar.

 

Porque eu já falei várias vezes de vários jeitos diferentes, porque ele sabe muito bem que não é pra fazer o que tá fazendo, porque que saco isso de falar e ele não ouvir!

 

Já aconteceu várias vezes. Eu sinto essa vontade de agir com violência crescer dentro de mim de forma consciente, e estreito os olhos, imaginando a cena, tipo filme. Eu grito, faço uma cara bem feia. Ele se assusta. O comportamento indesejado pára imediatamente, substituído pelo medo, desapontamento, a ansiedade, tudo visível em seu rostinho amedrontado, e ele chora a culpa de ter provocado essa reação na mamãe.

 

No meu peito cresce o remorso e o arrependimento por ter usado meu tamanho de adulta e sua vulnerabilidade de criança de forma tão desrespeitosa pra conseguir o que quero através do medo. Eu sinto que o que tenho que lidar agora é bem mais difícil e sério do que a ação que que provocou minha reação agressiva pra começar.

 

O filme para e eu me vejo ali de frente pro desafio de comportamento do meu filho de 2 anos e 8 meses. Tipo quando a gente acorda de um pesadelo, eu sinto alívio pela cena não ter sido de verdade e agradeço por ter outra chance. Eu respiro e tento de novo. Proponho uma outra brincadeira, redireciono sua atenção, puxo um assunto que lhe interesse muito.

 

Normalmente, e eu acho que é porque ele sente o meu limite e o meu esforço, funciona. E se não funciona, eu continuo tentando. No meu peito a certeza de estar agindo com respeito me encoraja e reenergiza. O melhor caminho, afinal, há de ser, sempre, o caminho do amor.

@carolmachadolopes

Histórico de Conteúdo