Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sábado, 26 de Junho de 2021 - 08:05

Home Office: Sim? ou não?

por Letícia Rodrigues

Home Office: Sim? ou não?


Diante do avanço da vacinação no Brasil, as empresas discutem se devem ou não retornar aos escritórios, enquanto seus colaboradores avaliam o modelo de trabalho que desejam para si, com clara preferência de muitos dos mais jovens pelo trabalho remoto e de parte das chefias de gerações anteriores pela modalidade presencial.

Imposto como medida sanitária, o home office trouxe vantagens e desvantagens. Sem dúvida, evitou mortes ao permitir que muitos profissionais não fossem expostos ao vírus e contaminassem a si e seus familiares. Após quase dois anos de teletrabalho compulsório, a maioria das organizações cuja operação não dependia da presença física de seus colaboradores já pôde constatar (com surpresa, diga-se) um aumento de produtividade, mas contrabalançado por alguma dificuldade na comunicação entre as equipes, dúvidas sobre como construir a cultura corporativa à distância e como engajar colaboradores.

Na perspectiva dos funcionários, o home office gerou mais satisfação, ao permitir conciliar o trabalho e a vida pessoal, proporcionar economia em muitos casos com alimentação fora de casa e transporte, além da ausência do desgaste das horas passadas no trânsito ou no transporte público.


Com prós e contras, a experiência de trabalhar à distância acabou por gerar partidários e discordantes entre profissionais e empregadores. Se de um lado, é crescente o número de empresas que optaram por ampliar o número de postos de trabalho remoto, também existem as que não veem a hora de retornar aos escritórios, em nome do controle sobre a equipe, da maior sensação de produtividade ou de outro motivo. Da mesma forma, não são poucos os profissionais que desejam continuar trabalhando de casa, dizendo, inclusive, que vão pedir demissão no caso de serem obrigados a retornar, ao lado dos que desejam o retorno por não ter em casa condições de trabalho. O que fazer então?

Antes, um dado da realidade. Ao que tudo indica, o mercado vai continuar oferecendo oportunidades presenciais e remotas, de forma que as empresas a insistir num modelo ou em outro vão impor a si limitações desnecessárias para acessar e reter talentos que podem contribuir de casa usando pijamas ou no escritório de terno e gravata.

Romantizar o home office também é pouco prudente. Se é fato que a modalidade pode ser mais produtiva, além de um diferencial na atração de talentos, também é verdade que há riscos relacionados principalmente à saúde mental.

O debate mais útil, portanto, é como usar em favor da empresa e seus colaboradores o home office, o trabalho presencial ou o trabalho híbrido, que concilia a não obrigatoriedade diária de ir ao escritório, com checkpoints e feedbacks presenciais. Cada organização vai encontrar a resposta para sua realidade. A decisão só precisa ser menos passional, mais objetiva e visar uma cultura organizacional mais inclusiva.

*Letícia Rodrigues é consultora especializada em diversidade e inclusão e sócia-fundadora da Tree Diversidade.

Terça, 08 de Junho de 2021 - 11:05

Comunicação Humanizada: como praticar a empatia no ambiente corporativo

por Dani Verdugo

Comunicação Humanizada: como praticar a empatia no ambiente corporativo

A "comunicação humanizada" ou "não violenta" é uma técnica de comunicação desenvolvida pelo psicólogo norte-americano Marshall Rosenberg e pode ajudar qualquer pessoa, mesmo em situações cheias de conflito como a guerra, a se comunicar de modo mais eficaz.
 

A habilidade de se comunicar tem sido cada vez mais necessária no ambiente corporativo. E ambientes com maior abertura ao diálogo, que propiciem um caminho conciliador e pacífico, promovem maior engajamento das equipes, melhoram e preservam a saúde mental dos profissionais, e, consequentemente, impactam os resultados.
 

A Comunicação Humanizada auxilia no exercício de entendimento quanto às emoções por trás das falas, produzindo reflexões e, consequentemente, reações mais tranquilas. Quando adotada dentro de uma equipe em uma empresa, a comunicação não violenta favorece a manifestação de todos os colaboradores e lideranças, pois cria um ambiente acolhedor.
 

Isso não significa que não haverá debates ou discussões, e, sim, que será mais fácil chegar a um consenso.
 

Estruturada por quatro pilares: Consciência, Linguagem, Comunicação e Influência, a Comunicação Humanizada não é facilmente implementada. Mas se exercitada constantemente, acaba se tornando cultural e passa a integrar a "forma de ser" da companhia.
 

Abaixo, algumas dicas para exercitar a Comunicação Humanizada e se tornar um agente de transformação nas organizações:
 

• Evite pré-julgamentos sobre o que é "certo" ou "errado";
 

• Não se compare, nem compare os demais a outras pessoas;
 

• Abandone o tom acusatório, pois ele causa reações defensivas;
 

• Explique suas necessidades com clareza;
 

• Se coloque no lugar do outro;
 

• Expresse seus pontos vulneráveis, caso se sinta confortável;
 

• Antes de responder a uma ofensa ou ataque, pense com calma e exercite sua empatia. Não responda no mesmo tom.
 

*Dani Verdugo, empresária e headhunter, atua com Executive Search na THE Consulting

Segunda, 08 de Março de 2021 - 09:05

Estamos contribuindo para o aumento de lideranças femininas no mercado de trabalho? 

por Livia Rigueiral

Estamos contribuindo para o aumento de lideranças femininas no mercado de trabalho? 


É inegável que, com o passar dos anos, mais mulheres se tornaram protagonistas no mundo corporativo ao assumir cargos de gestão. Inclusive, dados de uma pesquisa da Page Executive comprovam que a presença delas na liderança cresceu 7% de 2019 a 2020 - passando de 30% para 37%. No entanto, se considerarmos que no Brasil há mais mulheres que homens - de acordo com a PNAD 2019, 51,8% dos brasileiros são mulheres, e 48,2% são homens -, a representatividade delas ainda é baixa. 

Você já parou para se perguntar, por quê? 

É claro que fatores culturais, apesar de retrógrados, virão à mente de todos como resposta quando o assunto for desigualdade de gênero no mercado de trabalho. É um problema estrutural grave e enraizado, que dados do estudo "Informe e percepção de gênero", do LinkedIn comprovam. Eles revelam, por exemplo, que na corrida por uma oportunidade de trabalho, as mulheres têm 13% menos chances de terem seus perfis vistos pelos recrutadores que os homens. Os responsáveis por selecionar os candidatos dão preferência a candidatos do sexo masculino, sem sequer terem aberto o perfil da candidata para avaliar suas competências. Parece algo distante da nossa realidade, até vermos dados como esses, que se encarregam de nos mostrar que o preconceito por conta do gênero está mais presente no nosso dia a dia do que imaginamos. Mas de que forma nós mesmos contribuímos para que ele continue existindo?

A falta de oportunidade, aliada à falta de confiança nelas, figura para mim no primeiro lugar do ranking de razões pelas quais há menos mulheres ocupando cargos de chefia. Se tomarmos como exemplo mentorias - que, segundo estudo da Concordia University, contribuem para o crescimento tanto dos mentorados quanto dos mentores, e tem papel fundamental na formação de grandes líderes -, não vemos números significativos na procura por mulheres para mentorarem homens. Uma pesquisa realizada pela Universidade do Michigan revelou que houve apenas 21 resultados nas buscas no Google por "mulheres mentoria para homens", enquanto "mulheres mentoria para mulheres" teve 807 resultados. 
 

Muitas vezes, os colaboradores - mesmo que do sexo feminino - demonstram menos respeito às líderes, ao compararmos com a atenção que desprendem aos chefes do sexo masculino. Será por falta de competência das que estão à frente das equipes, ou apenas o velho hábito de ver nos homens esse papel de mentor, associar homens a cargos de destaque no universo corporativo, e respeitá-los mais por essa posição "que lhes pertence"? 
 

Para te ajudar em sua reflexão sobre como o meio contribui para que as mulheres tenham menor participação no alto escalão das empresas, acho importante destacar a disputa quase que desleal que é travada, absolutamente sem propósito racional algum, entre eles e elas. Digo desleal porque, além de terem que desenvolver mais habilidades técnicas que os homens para serem consideradas competentes, ainda é cobrado das líderes que elas sejam calorosas e agradáveis, afinal, desde os primórdios, essas características erroneamente ficaram associadas às mulheres. E é aí que mora um grande problema. Em uma sociedade estruturalmente machista, esse comportamento terno automaticamente distancia a mulher da imagem forte que um cargo de gestão exige, logo, elas se veem mais distantes também da possibilidade de liderar equipes. 
 

Acredito que a sociedade tem repetido discursos e, consequentemente, erros do passado, o que acaba por tornar falha a valorização das muitas atribuições que naturalmente encontramos no modelo de gestão das mulheres, como a inteligência emocional, capacidade de criar estratégias e gerenciar crises - ainda mais em tempos de pandemia -, dentre tantos outros pontos técnicos ou de relações interpessoais, que só agregam ao ambiente corporativo. Apesar do peso que apenas pelo fato de serem mulheres as gestoras já carregam, é nelas que deposito minha esperança quanto à quebra de paradigmas, quanto a mudanças significativas a curto e médio prazo para que, a longo prazo, a força feminina seja disseminada e todos se conscientizem sobre a importância - e os impactos positivos - que a igualdade no mercado de trabalho pode gerar às mulheres, a famílias inteiras, empresas, e ao país. 

As batalhas são diárias, por isso, chamo homens e mulheres a uma reflexão, e à ação. Para que haja uma evolução significativa do debate sobre a importância de uma sociedade mais igualitária, transpondo a teoria e passando à prática, é fundamental inserir mais mulheres no mundo dos negócios. Que tal dar o primeiro passo e contratar/respeitar mulheres? Ou, melhor ainda, que tal incentivar e promover a presença delas em áreas majoritariamente masculinas, ou dar suporte às que se dedicam ao trabalho e também à criação dos filhos? 

Lívia Rigueiral é CEO do Homer e sócia-investidora da venture builder Ipanema Ventures. Engenheira de formação, a executiva ainda colaborou como Gestora de Produto e Projetos da CorretorVIP. 

Terça, 23 de Fevereiro de 2021 - 12:05

Terapia Quântica ajuda jovens com ansiedade e emocional abalado na pandemia

por Ana Cláudia Queiroz Pereira

Terapia Quântica ajuda jovens com ansiedade e emocional abalado na pandemia

“A terapia tem sido algo maravilhoso. Neste momento de quarentena as pessoas não estão passando por momentos bons... No espaço quântico aprendemos muito, sinto a energia e uma sensação incrível e a tia Ana Cláudia é uma fonte de coisas boas”. Este é o depoimento da estudante Bruna Isensée de 12 anos. Assim como ela atendo diversas outras crianças em meu espaço quântico. Sentimento de solidão, principalmente por que estão sem os amigos, sem escola e sem a família completa, é o começo de tudo ... eles sentem um vazio e como não compreendem bem os fatos, desenvolvem ansiedade, irritabilidade, agressividade, indiferença e carência, que por sua vez podem desencadear o déficit de atenção, a síndrome do pânico e a depressão. Onde já se viu criança com depressão?

 

O trabalho com crianças e adolescentes surgiu por acaso. Após uma sessão de barras de access com terapia quântica, uma cliente ficou convencida que funcionaria muito bem com a própria filha. Na semana seguinte ela trouxe a criança que tinha 8 anos. A experiência foi incrível. Enquanto eu fazia as barras de access, a criança conversava comigo com muita naturalidade sobre os probleminhas dela. Nessa hora percebi que ela já sabia de muitas coisas do ponto de vista quântico. A memória cósmica dela era muito recente, mas ninguém lhe dava atenção ou acreditava nela, e por isso estava sempre chamando atenção para ser notada. Com esse desabafo dela, lembrei da minha criança quando tinha oito anos, cheia de conflitos, medos e inseguranças. Mas a criança em questão não tinha com quem conversar e desabafar, ou até mesmo falar sobre seus amigos imaginários. O déficit de atenção, que era o maior problema que essa criança trazia, foi resolvido em 4 sessões. Fiquei tão feliz com o resultado que convidei um filho de uma amiga, então com 12 anos, para repetir o trabalho e comprovar o resultado. Ele aceitou o convite. Menino lindo, inteligente, mas com a autoestima muito baixa. Estava passando por uma mudança muito grande e a mãe não estava sabendo lidar com tal situação. Repeti o trabalho com ele, fizemos 5 sessões e ele voltou a se socializar lindamente.

 

Como o rio só corre para o mar, continuei recebendo esses jovens com inseguranças diversas. A verdade é que durante a terapia eles logo se identificam com a minha criança interior e o trabalho flui naturalmente! Como somos todos energia, e energia não envelhece, somos todos um, uno com o criador, nos identificamos rapidamente. O trabalho com essa turminha está sendo um grande presente para as famílias nesse momento tão perturbador de pandemia e só nos resta plantar a semente do agora com as nossas crianças. O futuro é hoje, e por isso se faz necessário e importante esse trabalho de cura na raiz do problema.

A pandemia trouxe a família pra dentro de casa. Como a conversa, o diálogo já não se fazia muitas vezes por falta de tempo, perdemos de alguma forma a intimidade com os nossos familiares. De repente o mundo mudou e tivemos todos que entrar em um espaço muito novo, aonde estamos tendo que aprender a conviver com o novo normal.

Experiência Profissional 

Uso várias técnicas aprendidas em mais de 20 anos de estudos e cursos, mas o que cura mesmo no final das contas é o resgate do amor, o amor-próprio. Trabalho com crianças de 8 a 80 anos. Em todos os casos tratamos basicamente as mesmas coisas, crenças limitantes e padrões negativos da criança interior. Cada idade com suas demandas. Tenho ajudado bastante as pessoas a se reconhecerem seres infinitos poderosíssimos e optarem por novas escolhas. Sair da casa negativa de infância e perdoar a história, para que possam seguir o fluxo da vida com facilidade, alegria e glória!

 

Uso PNL (Programação Neurologista), Reiki, Deekha, Alinhamento dos chackas, linguagem do corpo, Barras de Access, Facelift e diversos processos corporais que atuam diretamente nas doenças que foram criadas pelos sentimentos negativos. Todas essas técnicas são acompanhadas de muita conversa quântica, pautada em muito conhecimento dos grandes cientistas e grandes mestres, a começar por Jesus Cristo. Meu trabalho não tem nenhum cunho religioso. Mas Jesus foi o homem mais quântico de toda a história e por isso me inspira a cada trabalho com o exemplo de amor, seja em uma sessão de terapia com barras de access, ou qualquer outra técnica, ou no workshop “SAIA DA CAIXA E EMPODERE-SE!” Este é um trabalho lindo realizado em jovens e adultos, voltamos à casa de infância para perdoar nossa história no caso dos adultos, e para compreender o que está se passando na vida e criando perturbação no caso dos jovens e adolescentes. Passamos um dia inteiro juntos, são 8 horas de muito autoconhecimento, exercícios, meditações, vivências e expansão da consciência. Um dia de imersão total aonde o empoderamento acontece para quem escolhe se reconhecer a potência máxima que nasceu ser, saindo da casa de infância com gratidão! Vamos aprender que gratidão é o amor maior. É o amor refinado! O puro néctar da vida.

O retorno é de muita gratidão! A transformação é um fato real e todos se transformam. E eu como fico? Transbordando no meu propósito de vida, sendo a energia que quero ver no mundo começando por mim mesma!

@anaclaudiaquantica

Domingo, 23 de Agosto de 2020 - 11:05

Dr. Elsimar, o Sísifo brasileiro

por Luciana Bastianelli

Dr. Elsimar, o Sísifo brasileiro

Esta semana, no último dia 17 de agosto, a Bahia perdeu um dos médicos mais importantes e que mais contribuiu para saúde das mulheres, o médico e cientista Dr. Elsimar Coutinho.
O baiano era autoridade reconhecida mundialmente no tratamento da infertilidade, referência em reprodução humana, planejamento familiar, pioneiro no desenvolvimento de anticoncepcionais femininos e fabricação de implantes hormonais, foi incansável na sua missão de garantir bem estar às mulheres de todas as classes sociais e no trabalho social que desenvolvia. Muitas vezes irreverente, era polêmico e carismático e conseguia arrancar gargalhadas nos congressos de medicina. Como repórter de televisão tive a oportunidade de presenciar alguns momentos como este e adorava ser escalada para entrevistá-lo e repercutir suas ideias inovadoras. 
O médico Dr Elsimar Coutinho tinha um jeito simples e fácil de explicar e passar seu conhecimento aos jornalistas e com certeza impactou positivamente e salvou milhares de vidas. Nós do Bahia Notícias Mulher prestamos, hoje, uma singela homenagem a este grande homem com o artigo que ele já conhecia assinado pela escritora, biomédica e advogada Luciana Pondé Bastianelli Knop.

Iga Bastianelli, 
jornalista e editora do BN Mulher 
 

 

Dr, Elsimar,

 

Não sei se compará-lo a Sísifo seria de fato o mais acertado, já que a figura de Sísifo é revestida de certa leviandade para com os deuses e a punição que lhe é imputada afigura-se em sua existência como seu próprio destino. Sísifo enganou os deuses, desafiou-os, desprezou-os; até que, no inferno, seu suplício foi criado: o castigo de rolar ao topo de um rochedo uma enorme pedra que, neste ponto, movida por força própria, rola terra abaixo a fim de ser novamente reconduzida ao cimo para despencar outra vez e ainda outras mais, em um ciclo contínuo e sem fim....

 

Há duas contraposições no mito de Sísifo para o entendimento do seu rochedo e do seu suplício. Em um primeiro plano, o rochedo é a destinação para o trabalho humano. Se virmos Sísifo como o homem perene – pretérito, presente ou de futuro distante – que, assim como ele, percebe ser seu trabalho uma fonte de produção inútil, esgotável e incompleto em sua faina, decerto o castigo dos deuses em atribuir-lhe tal tarefa parece destruir-lhe a esperança e a lucidez.

 

Em “O Mito de Sísifo”, os argumentos de Albert Camus revelam que todo trabalho humano parece ser inútil, mas dessa inutilidade se vale o homem para tornar-se o senhor de seus dias. E isto torna-se evidente ao ver o homem valer-se da subjeção de sua natureza para resguardar a vida de uma finalidade, cuja verdadeira explanação de sentidos jamais será conhecedor. Para Sísifo, indagar a vida não é exatamente respondê-la, pois a incessante subida ao cimo do rochedo é o seu chamamento; e a resposta, seu movimento.

 

O homem-Sísifo é conhecedor do nada, sabe-o em sua existência em tempos passados e nos que virão, mas esquece o paradigma da sua existência para fazer dele tarefa para seu destino. No reinício incessante do seu tormento, de sua consciência de que nada será completado, transforma-se em senhor único e soberano de seu fado, e com ele seu sentido imaginário de vitória o faz superior a seu suplício.

 

Talvez Sísifo seja uma marionete dos deuses ou talvez o seu corcel. O tempo aqui é hipotético, pois o trabalho humano, por mais rotineiro que pareça, faz a vida fluir, sem que a direção pareça ter um objetivo maior; mas seu movimento é suficiente para criar um ou mais destinos. Seu trabalho, Dr. Elsimar, é o de um corcel: fez de um passo, dois e muitos e muitos mais. Se isto terá um fim? É provável, porém de nada importa, pois seu caminho é a força de uma ideia e a ideia é a sua destinação. Nesse ponto podemos compará-lo a Sísifo, em sua consciência, em sua irreverência, em sua persistência.

 

A persistência é a dona do mundo e dos loucos, sabendo ser ela quem nos impulsiona para um objetivo qualquer, único ou não, provavelmente sem um sentido maior. A figura de Sísifo nos ensina isso, o homem-Elsimar nos ensina isso: ele é o espelho dos nossos próprios esforços e é a sua persistência que destroi qualquer castigo.

 

Contudo, há um contraponto na direção do destino de Sísifo, um aspecto bem mais trágico em seu mito que o homem, por certo, não conhecerá. O sentido da vida se faz perder quando nos ocupamos de nosso destino, já que o pensamento pouco nos traduz sobre ela e o que nos resta é demasiado dramático em sua certeza: o fim de nossas tarefas nos aguarda. É terrível sabermos peças de um quebra-cabeça genético e de um jogo de azar em que o acaso, por vezes, toma proporções enormes de sobrevivência, fazendo surgir facetas novas para um mundo cujo propósito desconhecemos. Porém, é importante ver o homem feliz em suas tarefas e de suas tarefas, porque, diferente de Sísifo neste aspecto, ele é conhecedor de seu fim.

 

O homem perene é o próprio Sísifo em sua fortuna, quando derrota os deuses fazendo de seu rochedo sua vitória suprema. Porém, cada indivíduo é sabedor de sua morte e é neste ponto que os propósitos de Sísifo se distanciam do homem singular. Não se pode esquecer que o rochedo o aguarda pela eternidade, e o adentrar a eternidade consciente de seu destino parece devastador. O que há de mais trágico no mito de Sísifo não é o que ele faz de seu destino. Para os deuses, como Sísifo reveste seu rochedo de nada importa, pois seu castigo está no encarceramento de sua consciência que jamais saberá perdida. O fato de estar-se preso à eternidade pelo seu consciente afigura-se devastador para Sísifo, pois ele jamais conhecerá o fim do seu tormento. E abordar seu estado de consciência pela eternidade é pensar no pior dos castigos, é imaginar uma lucidez jamais interrompida. E aí se percebe a fúria implacável dos deuses em revesti-lo de uma tarefa inútil, sendo ele conhecedor de sua incompletude e infinitude. Desse ponto de vista, não há destino para Sísifo; o trabalho “inútil e sem esperanças” não parece ser seu tormento, mas o estar-se preso à sua realidade e não se desvencilhar jamais dela e de seu próprio ser, de seu próprio pensar, afigura-se dramático pela sua consciência. 

 

Já deu para entender que assim como Sísifo, Dr. Elsimar é o herói absurdo.  “Ele o é tanto pelas suas paixões como por seu tormento”. Posso vislumbrar o tanto de rochas que se espatifaram ao longo do caminho e mesmo as que rolaram antes de o cimo alcançar.  Mas fato, Dr. Elsimar, é que a figura de seu rochedo emerge maior que de muitos outros. Assim como em Camus, curvo-me diante do seu trabalho pelo pioneirismo, pela persistência, pela irreverência. Concentro-me na figura de Elsimar-Sísifo, nas suas mãos sujas de barro, seu suor, seus cabelos emaranhados de poeira e no poder sobre seu rochedo, cuja consciência, para seu conforto, saberá um dia ausente.

 

Ao grande cientista do nosso século e do próximo.

Luciana Bastianelli

* Artigo escrito em Dezembro 1999

 

Dr, Elsimar,

“A própria luta em direção aos cimos é suficiente para preencher um coração humano.” (Albert Camus – O Mito de Sísifo)

Parabéns, Dr. Elsimar, por tudo!

Luciana Bastianelli

 

 

 

 

Segunda, 06 de Julho de 2020 - 14:05

5 Estratégias para você conseguir melhorar sua produtividade

por Iara Nancy

5 Estratégias para você conseguir melhorar sua produtividade

 

A produtividade é a maneira como a gente age; funciona como um piloto automático para gerar o que a gente deseja na vida. Não é apenas sobre trabalho, mas é como a gente vive enquanto vive.  
Sugiro 5 estratégias:

1. PLANEJE SEMANALMENTE 

Planejar é construir direção para as suas ações. Agir no impulso e sem planejamento é  perder tempo, além de um gasto emocional muito grande! Quando você planeja a sua semana, você oferece sentido para cada ação. Semanalmente, faça uma reunião com você tanto para avaliar a semana que passou, como para direcionar cada ação a ser realizada.  Se o planejado não resultou no que foi esperado, faça ajustes adaptativos e mantenha os  passos na busca da concretização dos resultados planejados. Aprenda a planejar! Não existe produtividade sem planejamento!

2. ELIMINE O PERFECCIONISMO 

Pra quê viver buscando perfeição? A busca de ser/fazer perfeito é o que define o perfeccionismo. Será mesmo possível algo perfeito?
  Além disso, o que é perfeito pra uma pessoa pode não ser pra outra... E aí mora tanta frustração!
Convido você a refletir: qual é o sentido desta busca por algo perfeito?
Já pensou que essa busca por perfeição pode revelar baixa autoestima e carência de aprovação? Ou seja, eu me vejo tanto como incapaz, eu me coloco tanto em culpa e vivo tanto em desamor próprio que só a demonstração de perfeição em algo que eu fiz me consola, afinal "se não for perfeito não serve! E talvez seja a única maneira de receber reconhecimento...
Como você se olha quando pensa assim? Bora sair desse lugar! Afinal, só quem é perfeito produz a perfeição!
Reconheça o seu esforço e dedicação! Aceite que tudo pode ser melhorado, apesar da possibilidade de não ser perfeito! Elimine essa necessidade de ser aprovado pelo outro! 
Só quando a gente elimina essa busca desnecessária pela perfeição é que a gente se ama verdadeiramente!

3. ESTUDE DIARIAMENTE

Nem precisa de texto para argumentar os benefícios de estudar todos os dias! O corpo precisa de comida da mesma maneira que a mente precisa de estudo. Não basta ler, precisa estudar!
Ler é decodificar uma mensagem... estudar é elaborar um conhecimento próprio através da reflexão de uma mensagem decodificada! 
Todo dia a gente se alimenta, afinal o alimento de hoje não sustenta corpo amanhã!
A sugestão é que você reserve 1 hora por dia, em 3 blocos com 20 minutos, sendo:  
a) pela manhã (na primeira hora do dia) uma leitura técnica com temática de trabalho e/ou estudo acadêmico;
b) de tarde (enquanto descansa do almoço) uma leitura de conhecimentos gerais para ampliar o olhar sobre o mundo,  como História, Filosofia e Literatura;
c) de noite (na última hora do dia) leituras preferencialmente com temas de autoconhecimento e/ou espiritualidade)
Escolha assuntos diversos que interessam e estude! Todos os dias!

4. FAÇA O POSSÍVEL

Nem pense em "dar conta de tudo". A gente nunca consegue dar conta de tudo! E algumas situações existem para a gente não "dar conta" mesmo! Se a gente refletir com sinceridade, a gente se cobra e se pune pelo impossível! 
Então, a estratégia saudável e necessária é a seguinte: "Qual é o meu melhor possível neste momento?" Muitas vezes a gente sabe que pode fazer bem melhor, mas neste momento, fazer o possível já é suficiente!

5. DESCANSE SEM CULPA 

Você vive na correria todo o tempo e o tempo todo?
Viver cansa, gente! Não tem como não ser assim!
Um ponto de reflexão é que não estamos apenas cansados, estamos exaustos! Outro ponto de reflexão é que muita gente não se permite descansar! Aqui a coisa fica muito mais séria! Séria e adoecedora!
Cansaço é a reação normal do corpo e da mente sinalizando que a energia vital foi gasta, só isso! Descansar é minimizar o gasto de energia, contemplar a simplicidade da vida e produzir energia necessária para o corpo e a mente funcionarem de maneira saudável, minimizando os efeitos dos estressores diariamente.
Tem gente que vive tão pressionado/pressionada pelo sistema, pela cultura que só se sente útil se estiver "produzindo" todo o tempo. E é justamente ao contrário! Ninguém produz com qualidade quando está cansado! A criatividade é consequência do descanso!
Descanse! E descanse sem culpa!
Quando você aprender a descansar o corpo e a mente, você vai viver milagres acontecendo na sua vida! Seu sistema imunológico fortalece, você produz mais, o tempo estica, o humor melhora, você lida melhor com os desafios cotidianos... experimente aí e veja o que acontece não apenas com a sua produtividade, mas com a qualidade da sua vida!
 

Instagram: @debemcomotempo / @iaranancy
Iara Nancy Araújo Rios  – Caminhante no mundo, amante das palavras e apaixonada pela alma humana. Mãe de Luigi,  Educadora, Historiadora,  Psicóloga (CRP 03/7864) e Palestrante. Especialista em trabalhos técnicos com gestão de tempo, produtividade e qualidade de vida, com desenvolvimento de competências socioemocionais em empresas, instituições de ensino e família. Pós-graduada em Psicologia Conjugal e Familiar. Pós-graduada em Teoria e Metodologia da História. Perita e Pós-graduada em Psicologia do Trânsito. Mestre em História Social pela UFBa. Mentora do método “De bem com o tempo”. Instagram: @debemcomotempo / @iaranancy

Quarta, 24 de Junho de 2020 - 11:05

Reels: em primeira mão, tudo sobre a nova ferramenta de vídeos do Instagram 

por Iga Bastianelli

Reels: em primeira mão, tudo sobre a nova ferramenta de vídeos do Instagram 

 

 

Ontem, 23 de junho, o Instagram anunciou uma nova ferramenta de criação de vídeos de até 15 segundos com efeitos de edição: o Reels. A expansão da função Cenas, que foi lançada exclusivamente no Brasil no final do ano passado e que ficava restrita dentro do Stories, chega cheia de novidades, principalmente como uma concorrência forte para o Tik Tok .


Para falar sobre a novidade, Igor Saringer, conhecido pelo seu canal no YouTube e como o primeiro criador de conteúdo brasileiro que teve um filtro próprio no Instagram, foi um dos influenciadores brasileiros selecionados para testar a ferramenta antes de todo o mundo. "É uma honra participar do lançamento da nova função. Já contribuo com a rede social há algum tempo criando filtros, que já impactaram mais de 25 bilhões de pessoas, e com a criação de stickers para os Stories, que já alcançaram a marca de 1 bilhão de pessoas. É um reconhecimento muito positivo para o meu trabalho", comenta. 

 

Mais detalhes sobre a nova funcionalidade 

Qualquer pessoa que quiser testar a ferramenta poderá publicar o seu Reels no Stories, Feed, Explorar ou enviar por DM, e é possível começar um projeto novo direto pela plataforma, ou fazer o upload de vídeos da galeria do celular. Além disso, o projeto completo pode ser filmado em uma só tomada ou separado em cortes, com músicas e áudios da biblioteca do próprio Instagram. O usuário poderá, ainda, utilizar o áudio original de outra pessoa para dublar, dançar ou seguir o que a criatividade mandar. 


Além disso, os Reels criados por cada usuário já podem ser encontrados em um novo ícone no perfil. "Eu já preparei mais de 30 vídeos e posso dizer que adorei a novidade, principalmente porque é possível fazer tudo no mesmo aplicativo. Já usava o Cenas e achava bem legal, mas era uma pena que o conteúdo sumisse em 24 horas. Agora é possível criar um conteúdo mais elaborado e garantir que ele ficará disponível e em destaque pelo tempo que você quiser", finaliza Igor. Os famosos filtros do Instagram também podem ser adicionados aos vídeos, além de ser possível alterar a velocidade, usar o temporizador, contagem regressiva e efeitos especiais. Depois de filmado, você também pode fazer cortes, ordenar trechos e adicionar cenas ao projeto. 

Domingo, 21 de Junho de 2020 - 08:05

Reflexões sobre 'Branding' em tempo de crise!

por Patrícia Lopes

Reflexões sobre 'Branding' em tempo de crise!

 

 

Desde que a pandemia de COVID-19 começou aqui no Brasil, tenho recebido muitas ligações de profissionais, amigos, parceiros, desanimados e desmotivados por  conta do impacto negativo que o coronavírus  trouxe para suas vidas e para os seus investimentos.

Muitos deles são empresários, executivos, microempreendedores, políticos, entre outros.

Falo sempre que é tempo de avançar!

Já  percorremos muitos caminhos, e, agora, é hora de nos posicionarmos como um exército corajoso, que não recua no  meio da guerra. Percebo que eles ficam motivados, e meu coração transborda de alegria!

 

“Não fui eu que ordenei a vocês? Seja forte e corajoso! Não se apavore nem desanime, pois o senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar”. Josué 1:9

 

Não tem sido fácil para ninguém, mas é necessário se reinventar em tempos de crise! Quando falo em crise, catástrofe, lembro da capacidade dos japoneses de superar suas tragédias. Se existe um país que sabe fazer da crise uma oportunidade, este é o Japão. Foi a devastação nuclear em Nagasaki e Hiroshima, em agosto de 1945, que determinou a rendição incondicional do imperador Hirohito. Três meses depois, o governo japonês criou um plano para reconstruir 119 cidades destruídas pela guerra. Menos de duas décadas depois, o país já despontava como umas das potências econômicas mundiais e depois atingiu o posto de segunda maior economia do planeta – posto que perdeu em 2010 para a China. Nagasaki e Hiroshima são modernas e em nada lembram a catástrofe – a não ser em museus e memoriais.

 

Tudo depende da forma que você prefere enxergar

Não importa o tamanho do seu negócio ou sonho. Não importa como ele é hoje. O que vai fazer ele ser incrível é a forma como você já o enxerga no futuro. A força de um negócio está no entusiasmo dos seus idealizadores e representantes. Está na vontade de fazer a diferença, de agir, trazer novidades e melhorias. É acordar todos os dias querendo mais e melhor. É entender que tudo precisa de tempo e dedicação para gerar resultados. É principalmente não desanimar no meio do caminho.

 

“Enxergar o que não existe como se já existisse”- Romanos 4:17

 

Para quem busca permanecer “ativo no mercado”,  mesmo em um cenário econômico conturbado, segue algumas dicas que preparei para você!

 

Assim como seu negócio precisa de gestão para prosperar,  você também precisa. Quando falamos em marca, falamos em valor, falamos em proposta de valor. Investir em sua marca é garantir um processo de agregação de valor contínuo.“Tempos de crise são necessários para garantir a evolução”.

Realizar o gerenciamento da própria marca é colocar os seus recursos e seu tempo em algo que certamente trará retorno em curto, médio e longo prazo, uma vez que suas ações estejam alinhadas à sua estratégia. Muitos possuem dificuldades no “how to do” e fazem perguntas como: E agora qual o melhor caminho a seguir? Qual meu próximo passo?  O que vou precisar para chegar lá?

 

Desenvolver e administrar a imagem e a marca pessoal é um divisor de águas na vida de qualquer pessoa, mas exige comprometimento. É para aqueles que realmente querem mudar e crescer em direção ao sucesso. É para os que têm coragem de se conhecer profundamente e se posicionar com autenticidade e responsabilidade, oferecendo o que tem de melhor ao mundo, para que brilhem e sejam escolhidos para as posições e situações que aspiram!

 

Descubra aquilo que  difere uma pessoa admirável de uma pessoa comum!

 

  • Faça bem feito!

Independente da tarefa que for realizar, dê o seu melhor, seja impecável detalhista e vá além do esperado.

Sua excelência reflete na sua vida, aposte nisso!

 

  • Cuide da sua aparência

Aquela maquiagem leve favorecendo seus pontos fortes.

Uma postura segura. Neste caso incluiria até a leveza da expressão facial, aquele sorriso agradável no rosto e o brilho no olhar. Impossível não ser cativado por essa pessoa.

 

  • Escolha com Ética

Todas as escolhas que você toma, nas diversas áreas de sua vida, refletem diretamente na sua imagem pessoal e constroem a sua reputação.

Então, se você quer ter uma boa imagem, não seja tentado pelo caminho mais fácil ou imoral, mesmo que a recompensa inicial seja alta.

Tome sempre decisões éticas e conquiste uma imagem sólida e confiável.

 

  • Tenha humildade

A humildade te deixa um ser mais acessível e você só tem a ganhar com isso!

 

  • Seja uma pessoa positiva

Em uma conversa, um bate papo, uma reunião, em todas as situações, procure falar sobre o lado positivo. Mesmo que a situação pareça muito ruim, descubra algum ponto positivo ou até algum aprendizado. Isso serve para falar de situações como também de pessoas, escolha falar bem.

 

  • Tenha e transmita segurança

Uma pessoa auto-confiante transmite confiança imediata.

Assim fica muito mais fácil para os outros confiarem em você e acreditarem naquilo que você diz.

 

  • Seja responsável pela sua vida

O resultado dos seus dias depende exclusivamente de você e da sua percepção como responsável pela sua vida e imagem.

Assuma de uma vez por todas as rédeas da sua vida, se sinta totalmente responsável por ela. Se algo te desagrada, tome você uma atitude para mudar o cenário. Não se faça de vítima, não coloque a culpa em ninguém. Sua imagem é resultado daquilo que você faz todos os dias, só você pode querer melhorá-la, só você pode querer ser mais e ter resultados melhores.

 

Se você quer crescer mais, está em transição de carreira ou deseja iniciar esse processo, esse é um programa essencial para que você crie a estratégia necessária para o seu êxito. Agora só depende de você! Que termine logo essa pandemia  e  que possamos  ser mais fortes depois disso tudo.

 

 

Patrícia Lopes

Estrategista em Personal Branding e Consultora de Etiqueta e Imagem

Instagram  @etiquetapatricialopes

 

Domingo, 14 de Junho de 2020 - 09:05

Você já descobriu e consegue viver o seu propósito?

por Xaxá Fernandes

Você já descobriu e consegue viver o seu propósito?

 

Atualmente, a maioria das pessoas dedica a vida para a triste realidade de lutar pela sobrevivência. Agora, você já parou para pensar em como seria o mundo se elas pudessem encontrar prazer genuíno nos seus dias, trocando um fardo pesado pela realização dos seus sonhos, dos seus propósitos de vida?

 

Quando eu decidi abandonar a minha carreira corporativa rumo ao empreendedorismo, por volta dos meus quarenta anos, fui motivado pelo fato de que, apesar de ter sido muito bem-sucedido até ali - eu ocupava uma posição de diretoria numa grande empresa e aquele trabalho só me significava dinheiro, nada mais. Até que descobri meu novo propósito como palestrante, escritor e mentor de Relacionamentos para Mulheres. Por isso estou aqui para fazer você mulher refletir!

 

O conceito que me ajudou a mudar a minha vida, foi Ikigai, a “razão de viver”. O conceito vem de Okinawa, um conjunto de ilhas localizadas ao sul do Japão, também conhecida como a “terra dos imortais”. A região é uma das cinco zonas azuis (blue zones), localidades do planeta com número de habitantes centenários muito superior à média mundial, sendo o Ikigai um dos principais motivos da longevidade dessa população.

 

Em resumo, o Ikigai representa a intersecção de quatro aspectos da vida: aquilo que você ama fazer; o que você faz de melhor; o que a mundo precisa; pelo o que você pode ser remunerada. Se o uso do seu tempo – no trabalho ou fora dele - obedece a essas quatro premissas, você está vivendo o seu Ikigai, um conceito lógico e simples mas, ao mesmo tempo, bastante poderoso, que exige um mergulho profundo no processo de autoconhecimento.

 

O Ikigai representa algo muito pessoal e que nos obriga a resgatar a nossa essência, nossos sonhos de criança. Ele nos faz enxergar muito além do nosso ego e da personalidade que construímos no decorrer da vida. E cada um de nós pode desenvolver muitos Ikigais ao longo da vida, ampliando bastante as oportunidades e horizontes à nossa disposição para nos reinventarmos sempre que for necessário.

 

Ainda, os habitantes de Okinawa não apenas detêm uma das maiores longevidades do planeta como, principalmente, uma das maiores expectativas de saúde, provando que cumprir seu propósito de vida é mesmo uma ótima maneira de viver uma vida que valha a pena ser vivida.

 

E então? Está disposta a rever sua vida a partir desses princípios? Não tenha medo. O único medo que você deve ter é o de envelhecer desperdiçando a sua vida! Mão à obra!

Xaxá Fernandes (@xaxafernandes.insta)

Segunda, 11 de Maio de 2020 - 09:05

Reflexões atuais: "Chique é ser discreta"!

por Bia Kawasaki

Reflexões atuais:

 

A grande revolução no mundo da moda pós pandemia é que nós mulheres e consumidoras decidimos escolher melhor as nossas roupas. Mulheres inteligentes e elegantes só usarão roupas que valorizam sua dignidade e que as deixe mais bonitas e mais femininas. O Belo é atraente por si só. Prestar atenção na verdadeira beleza e amá-la nos ajuda a sair do pragmatismo utilitarista. Não somos e nunca seremos “mulheres objeto”. O sexy e o vulgar não estão com nada! É cafona sair por aí mostrando tudo como se fôssemos carne na vitrine do açougue! 

As marcas que reduzirem as pessoas à sua dimensão corporal perderão suas clientes mais valiosas, aquelas que sabem o valor inestimável de sua exclusividade, aquelas que sabem que é preciso transcender, dar sentido sobrenatural às suas escolhas através do material. A boa moda preserva nosso “diamante interior”, expressa a virtude da #modéstia, fortalece a autoestima e nos liberta do consumismo exagerado. 

A felicidade é fruto da maturidade e consequência da pessoa que se valoriza. Pessoas com #autoestima saudável miram sua bússola interior para o Bem (com B maiúsculo!!!). O sentido de sua vida é claríssimo e move sua vontade e suas escolhas.  

Moda é comunicação!


O que somos por dentro é o que manifestamos por fora.
Nunca “abra mão” do seu livre direito de escolha. “Maria vai com as outras” é sinônimo de escravidão! Seja coerente com seus valores em suas escolhas. A estética, a ética e a moral precisam caminhar de mãos dadas em todos os ambientes! Até na padaria! Na balada, praia, academia, trabalho, viagens. A duplicidade não é elegante! Não posso ser uma na igreja e outra na danceteria. A unidade de vida é libertadora! Sem verdade nos tornamos pessoas pobres de espírito.

Queridos estilistas e influencers de moda: a riqueza da moda será proporcional à medida que sirva para contribuir ao valor insubstituível de cada pessoa. Chega de tentar “maquiar a pornografia” com editoriais atraentes e caríssimos. Ninguém mais aguenta ver tanto peito e tanta bunda de fora! Me desculpem o meu português tão explícito! Mas a verdade é que, quem consome pornografia mata aos poucos o seu mundo emocional.  

“O #pudor e a modéstia são uma espécie remédio para a desordem do mundo!” Ratzinger .

Nós que trabalhamos com moda e consumimos moda somos responsáveis por colocar ordem nesse coreto! Somos poderosos agentes de mudança e responsáveis por compartilhar a Boa moda! É necessário e urgente proteger a intimidade através da moda. Conto com vocês! Unidos somos muito fortes!

Histórico de Conteúdo