Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

 Médica anestesista alivia a dor por meio de lives musicais

 

“Quem canta seus males espanta”, diz-se popularmente. Ou pelo menos traz alento ao coração de quem admira boa música, principalmente em tempos em que as notícias não soam tão positivas. É o que Rosa Avilla promove dentro e fora dos hospitais onde atua há 31 anos. Como uma soprano, mescla músicas eruditas e populares. As lives musicais ocorrem todos os sábados, às 21h,  em sua página oficial do Facebook e Instagram.

 

Mas nem sempre foi assim. A médica esperou longos anos para estrear nos palcos. No entanto, em um ano e quatro meses já lançou 25 videoclipes, promoveu 16 shows e mais de 20 lives. Incentivada pelos vizinhos, Rosa Avilla, realizou seu primeiro show em março deste ano, na varanda de seu apartamento em São Paulo, com as janelas abertas e vizinhos nas suas respectivas sacadas. Depois disso, não parou mais.

 

“Desde março, tenho recebido incontáveis mensagens de agradecimento dos meus amigos e seguidores pelos momentos de abstração e paz que recebem por meio da música que divido com eles. Como cantora, estou me saindo uma excelente anestesista, porque consigo aliviar a dor e tensão deste momento tão difícil!”, revela a cantora que perdeu dois colegas médicos e um amigo para  o Covid-19.

 

Ao lado do maestro, compositor  e  produtor musical , o pianista David Pasqua, Rosa Avilla interpreta canções de autoria do musicista, muitas delas vertidas para o italiano.  Clássicos do jazz, MPB também compõem o repertório elegante e versátil, como ela mesma classifica. “David tem sido meu mentor e tem dado asas ao meu ecletismo, sobretudo ao resgate de canções da língua italiana, de nossos ascendentes imigrantes. Além disso, a música está ganhando um espaço muito grande nos meus dias, e é difícil resistir a ela , pois tem aflorado emoções que jamais pensei provocar e sentir: promover o bem-estar de modo natural e orgânico, anestesiando somente as sensações negativas”, pondera a médica-cantora.

Histórico de Conteúdo