Quinta, 23 de Maio de 2019 - 09:05

Zumba para aliviar a TPM

por Iga Bastianelli

Zumba para aliviar a TPM

 A TPM é comum entre muitas mulheres. Segundo estudos recentes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), os sintomas afetam 80% das brasileiras e são causados pela alteração hormonal que o corpo sofre durante o ciclo menstrual, que pode resultar em manifestações físicas e psicológicas, desde retenção de líquidos, fadiga e até irritabilidade.

 

Ao contrário do que muitas pensam, esses sintomas não são permanentes e podem ser amenizados com a prática de atividade física. Durante o treino, ocorre o aumento do metabolismo e da circulação sanguínea, o que melhora todas as funções do corpo, além de liberar a endorfina, hormônio relacionado a sensação de bem-estar, explica a Master Trainer de Strong By Zumba, Anna Kobe.

 

Já a ginecologista, obstetra e mastologista Mariana Rosario completa, “o exercício físico potencializa a produção do hormônio serotonina. É um componente presente em grande parte dos remédios que trata a depressão, mas podemos tê-lo, por meio do treino, como um antidepressivo natural.”

 

A especialista ainda explica que o ciclo menstrual é dividido em duas fases de 14 dias cada: a estrogênica, que é o período após a menstruação, no qual a mulher se sente mais disposta, sem inchaço, com pele e cabelo mais bonitos, pois o estrogênio promove a sensação de bem-estar. A segunda fase é a progestagênica, quando o corpo se prepara para a ovulação e podem ocorrer os sintomas da TPM.

 

 “A Strong Zumba é uma atividade que recomendo fazer também nos dias de menstruação, por ser rápida e completa. Trabalhamos o corpo todo, com o próprio peso. O programa também tem um formato de 30 minutos, o STRONG 30, para aqueles dias que você precisa de uma versão mais curta, com a mesma intensidade”, explica a Master Trainer Anna Kobe.

 

A Dra. Mariana garante que não há contraindicações e que durante a menstruação pode treinar normalmente. “É preciso, apenas, respeitar o que está sentindo, tendo um cuidado a mais para quem tem fluxo intenso ou cólicas fortes, nestes casos o treino deve ser mais leve”, finaliza.

Histórico de Conteúdo