Estudo revela que indução ao parto na 39ª semana reduz risco de cesariana
Foto: Reprodução / Pixabay

A indução ao trabalho de parto na 39ª semana de gravidez pode reduzir o risco de uma cesariana de emergência. Foi o que revelou uma recente pesquisa realizada pelo National Institute of Child Health and Human Development (NICHD), órgão público de saúde infantil do governo americano e publicada no New England Journal of Medicine. Segundo o estudo, em vez de esperar as primeiras contrações naturais da 40ª semana, essa medida pode evitar que a mãe tenha de se submeter a um parto cesáreo.

 

A médica especializada em medicina perinatal e responsável pela pesquisa, Uma M. Reddy, constatou que a cesariana pode ser evitada a cada 28 mulheres submetidas à indução do parto normal na 39ª semana, após ter estudado mais de 6 mil mulheres saudáveis que tiveram o primeiro filho em mais de 40 hospitais pelo país. Enquanto, metade delas foram submetidas, as outras permitiram que a gravidez progredisse até o fim. A conclusão foi que cerca de 18,6% sofreram uma cesariana e 22% não passaram pelo procedimento.

 

Os pesquisadores reforçaram no artigo que a indução de parto não é recomendada antes da 39ª semana, já que os pulmões do bebê não estão desenvolvidos ainda. A partir da 41ª, no entanto, ela é, sim, recomendada, pois os riscos de complicações na placenta, cordão umbilical e líquido amniótico são maiores, além de a mãe poder desenvolver pré-eclâmpsia nesta fase.

Quinta, 09 de Agosto de 2018 - 08:05

Telomerase: Exame revela a idade do nosso corpo

Telomerase: Exame revela a idade do nosso corpo

Última pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Estatística e Geografia (IBGE), em 2016, aponta que a expectativa de vida do brasileiro aumentou em mais de 30 anos desde 1940 – hoje vivemos, em média, até os 75,8 anos.

 

Este cenário mostra que, cada vez mais, a preocupação com o bem-estar e a saúde se torna primordial na busca de um envelhecimento saudável. Como estaremos daqui 10, 20 ou 30 anos, ninguém sabe, mas assim como devemos poupar dinheiro, para ter um futuro tranquilo, também temos que cuidar da saúde desde já, para chegarmos bem lá na frente.

 

Realizado em clínicas de países da Europa e nos Estados Unidos, o exame da telomerase é usado para identificar e auxiliar na prevenção em doenças do envelhecimento, como artrite reumatoide, problemas cardiovasculares e resistência insulínica (pré-diabetes), que é o desequilíbrio entre a quantidade de insulina no organismo, podendo causar doenças como a diabetes.

 

O diagnóstico é feito a partir de um simples exame de sangue capaz de avaliar a diminuição dos telômeros, que são sequências repetidas de DNA localizadas nas extremidades de todos os cromossomos humanos, e que têm a função de impedir o desgaste do material genético.

 

Se o processo de encurtamento dos telômeros estiver mais rápido do que o normal – o que está diretamente ligado aos hábitos de vida de cada um – o envelhecimento do indivíduo poderá ser mais rápido e as chances de aparecimento de doenças aumentam.

 

Por isso, Julia Gouvea, médica do esporte e especialista em envelhecimento saudável, lembra que todos nós vamos envelhecer, mas para que não seja um processo doloroso e desconfortável, a preocupação com o estilo de vida deve começar bem cedo.

 

"Quem acha que ainda é bastante jovem para começar a pensar no futuro, pode estar cometendo um grande engano. A partir dos 30 anos, as chances de problemas cardiovasculares e hormonais, por exemplo, começam a aumentar. Por isso, fazer exames com regularidade, além de pequenos hábitos de alimentação e práticas de exercícios físicos são fundamentais para ter uma vida tranquila durante o envelhecimento", afirma.

Veja os erros que podem comprometer a saúde do couro cabeludo
Foto: Divulgação

Não é preciso ser nenhum especialista para saber que, assim como o cabelo, o couro cabeludo necessita de cuidados especiais. Isso porque quanto mais bem tratado, mais saúde e vitalidade os fios terão. De acordo com a especialista em tratamentos capilares, Renata Souza, um cabelo saudável é reflexo de um couro cabeludo bem tratado, desintoxicado, revitalizado com os nutrientes de que ele precisa.

 

Desde a falta de delicadeza ao pentear e ao prender os fios, tracionando o cabelo e causando danos à estrutura e trazendo sensibilidade até a negligência na limpeza correta da região, há uma série de atitudes que podem comprometer a saúde do couro cabeludo. Entre elas está estar atenta na hora de escolher o xampu, já que cada cabelo tem necessidades específicas e diferentes. "O uso de cosméticos capilares incorretos e a não remoção completa deles dos fios e do couro cabeludo pode levar à obstrução, dificultando a entrada de nutrientes e impedindo o crescimento de novos fios", alerta Renata.
 

Cuidado com a temperatura

Outra preocupação é de não utilizar água muito quente para lavar os cabelos devido ao ressecamento do couro e o aumento da oleosidade. A proteção contra o sol também é bem-vinda, já que os fios e o couro são sensíveis aos raios solares e merecem proteção física com acessórios e produtos.

 

Excesso de produtos

A aplicação equivocada de cremes e finalizadores também é bem prejudicial quando se ultrapassa a linha da orelha e chega à raiz. "Além disso, uso de secador muito próximo à raiz, não respeitando uma distância segura de 10 cm, a poluição, o stress, o pentear sem cuidado são fatores que comprometem a saúde do couro cabeludo", acrescenta.

Domingo, 05 de Agosto de 2018 - 14:00

Viajar com crianças requer uma série de cuidados

Viajar com crianças requer uma série de cuidados
Foto: Reprodução / Pinterest

 

As viagens em família costumam ser divertidas e deixam muitas lembranças saudáveis da infância. No entanto, quando se trata de crianças todo cuidado é pouco e alguns cuidados durante a viagem precisam ser tomados. Segundo a pediatra Patrícia Filgueiras dos Reis, esses cuidados devem começar com a escolha do destino, que deve ser feita com antecedência e, se possível, com a participação dos pequenos.

 

Quanto à saúde, a médica alerta sobre alguns cuidados. “É bom fazer uma consulta antes das viagens (1-2 meses), verificando inclusive as vacinas do cartão da criança e atualizando as que possam estar atrasadas, indicando-se aquelas que possam ser necessárias, de acordo com o destino escolhido para a viagem”, comenta.

 

Outra medida recomendada é um “kit de medicamentos para viagem” com anti-térmico, anti-alérgico, anti-emético, repelente, protetor solar, antissépticos tópicos e curativos adesivados. Se a criança portar algum problema de saúde, assegurar que seu tratamento completo também embarcará na sua bagagem. “Dependendo da gravidade do problema, também é recomendável levar um relatório do médico que a acompanha para orientação a outro serviço médico, caso ela venha necessitar – as receitas das medicações em uso também devem ser portadas”, explica.

 

A especialista lembra ainda do uso do protetor solar, que deve ser reaplicado a cada 2 horas nas crianças. A escolha do melhor protetor solar deve ser feita de acordo com o tipo de pele de cada um e com a idade. E se a viagem for para áreas com mosquitos, não esquecer o repelente, já que muitas vezes a criança pode ser alérgica a picada o que pode acabar estragando o passeio. “Se a viagem for de carro ou ônibus, é bom fazer algumas paradas, para que elas possam descansar e fazer suas necessidades fisiológicas. Nestes momentos, ofereça líquidos e alimentos leves. Providenciar algumas atividades para os momentos de espera ajudam a ter uma viagem mais tranquila”, sugere a médica.

 

Para finalizar, a pediatra lembra que os pais devem estar atentos às regras de segurança de cada local, assim como devem assisti-las durante toda a viagem. “Verificar também os riscos locais (área rural, praia, metrópole, ecoturismo, esportes radicais) e orientar os filhos”, completa.

Sexta, 03 de Agosto de 2018 - 08:05

Como ajudar as crianças com a tensão pré-avaliação

Como ajudar as crianças com a tensão pré-avaliação
Foto: Reprodução / Pinterest

Bastam as avaliações escolares se aproximarem para que as crianças comecem a entrar em pânico. Tal ato é um misto de sentimentos, como o medo, a frustração e a preocupação. Para Ana Regina Caminha Braga, psicopedagoga e especialista em educação especial e em gestão escolar, esse é um processo delicado em que o professor deve estar atento, já que para os alunos, o dia da avaliação é esperado com estresse e nervosismo.

 

“Para eles a avaliação é a identificação de julgamento do certo ou errado de maneira extrema, é aquela que rotula e é evasiva aos colegas, que por instantes também constroem suas relações partindo dessa visão”, explica a especialista. Toda essa ansiedade e tensão pré-avaliação, podem acabar levando a criança a níveis de stress fora dos padrões para a idade. Podendo desencadear ainda, alguns sintomas demasiados, entre eles enjoo, diarreia, pressão baixa, taquicardia, sensação de desmaio, choro e sentimento de incapacidade.

 

Para Ana Regina, uma criança de oito anos que no dia da prova já acorda estressada, mal-humorada, fala para os pais que está nervosa, não consegue comer, mesmo tendo estudado a matéria, não é rara hoje e deve chamar nossa atenção para a questão. “Os exemplos são vários, e por hora vivenciamos alguns deles enquanto professores. Marcos, garoto inteligente precisava de uma nota alta em física, mas tinha um professor que lidava de maneira muito dura no dia da avaliação. Qual foi a sua reação? Crise de choro do começo ao fim da avaliação e o seu resultado foi abaixo do seu potencial”, detalha.

 

Segundo a professora, estes exemplos e fatores chamam o professor a uma reflexão sobre os métodos de avaliação atuais e como podemos melhorá-los. Ela afirma ainda, que não existe um culpado para a situação, mas sim, um conjunto de fatores que devem ser avaliados e se possível melhorados, para que alunos e professores não sofram. “Minha preocupação está no fato do professor ser a porta de entrada e de abertura ao novo, pois é ele que acompanha o aluno do primeiro ao último dia de aula. Se essa mediação não acontece de maneira tranquila, alguns problemas, como os já citados, podem ser revelados e precisam ser encaminhados para soluções adequadas, evitando assim maiores prejuízos”, completa Ana Regina Caminha Braga.

Ingerir frutas e verduras pode reduzir o risco de câncer de mama
Foto: Reprodução / Thinkstock

Além de essencial para uma alimentação saudável, o consumo de frutas e verduras pode oferecer diversos benefícios à saúde das mulheres. Segundo um estudo recente da Universidade de Harvard, esses alimentos  podem diminuir em até 11% o risco do desenvolvimento de um câncer de mama.

 

De acordo com o site da revista Boa Forma, os estudiosos revelam que é necessário ingerir mais de cinco porções por dia em quantidades variadas. No entanto, a pesquisa teve como base uma xícara de vegetais crus ou cozidos e uma xícara de frutas picadas ou cozidas para determinar uma porção de cada item.

 

Os vegetais e legumes "contra câncer" e de coloração amarela e laranja, como brócolis, couve-flor e abóbora, são os que mais podem combater os riscos de desenvolver a doença. Outros estudos também relacionam o poder do consumo de fibras à redução desse tipo de câncer. Mas no caso das frutas e verduras, outras propriedades foram levadas em conta, como antioxidantes, vitaminas e nutrientes.

 

Para a conclusão, foi realizado uma análise de questionários de alimentação dos anos 90 com mais de 100 mil mulheres participantes do Nurses' Health Study, uma das mais conceituadas pesquisas de saúde dos Estados Unidos. Além disso, foi observado os fatores de risco dentre eles idade, peso e histórico familiar.

 

Os pesquisadores afirmaram que quanto maior a adoção de hábitos saudáveis, menores são as chances de ter câncer de mama. Inclusive, isso vale até para os casos de tumores mais agressivos.

Quinta, 02 de Agosto de 2018 - 11:05

Dicas do Conselho Federal de Medicina da Bahia

por Rafaela Souza

Dicas do Conselho Federal de Medicina da Bahia
Foto: Reprodução / Facebook

A morte da bancária Lilian Quezia Calixto, de 46 anos, decorrente de um procedimento estético mal sucedido nos glúteos trouxe à tona uma discussão sobre os exageros cometidos em nome da beleza, que é muito debatido, mas ainda longe de ser solucionado. De acordo com as investigações do caso, a intervenção foi realizada pelo médico Denis Furtado, conhecido como Dr. Bumbum de uma forma que não se enquadra nos princípios médicos legais.

 

A bancária teria conhecido o especialista nas redes sociais e viajou de Cuiabá para o Rio de Janeiro a fim de realizar o procedimento. Após a cirurgia – feita na residência do médico, prática proibida – Lilian teve complicações e não resistiu. As causas não foram divulgadas, mas acredita-se que o falecimento esteja ligado ao uso pelo Dr. Bumbum de grandes quantidades de polimetilmetacrilato (PMMA), material indicado, em doses pequenas e limitadas, para preenchimento de áreas específicas do corpo e da face.

 

De acordo com o representante da Bahia no Conselho Federal de Medicina (CREMEB), Otávio Marambaia, o caso serve de alerta para todas as mulheres que desejam realizar algum tipo de procedimento estético. Confira as recomendações que o especialista deu em entrevista ao BN Mulher:

 

Cuidado com as redes sociais

Marambaia destaca que o fenômeno de auto promoção de profissionais de saúde nas redes sociais é preocupante. Afinal, o Dr. Bumbum atraía as pacientes através do seu perfil no Instagram com milhares de seguidores. Diante disso, o especialista estimula o bom senso na hora de interpretar o que é mostrado nas telas. “É necessário ter cuidado com as redes sociais, pois nem tudo que aparece ali é verdade. Não deixem de conhecer o consultório e médico pessoalmente”, adverte. Para o especialista, as pessoas devem desconfiar sempre desses resultados instantâneos e da exibição nas redes sociais.

 

Escolha do profissional

O cuidado na hora de escolher o médico é algo essencial, de acordo com Marambaia. “Não basta ser médico, tem que ser especialista na área”, reforça. Além disso, o conselheiro sugere que o paciente busque informações sobre o profissional no próprio Conselho de Medicina para não ter nenhuma dúvida quanto a credibilidade e até eficiência do médico.

 

Visite a clínica

Outro detalhe muito importante quando se pensa em qualquer cirurgia é o local onde é realizada. A clínica deve estar com a situação regularizada, alvará em dia e vistoriada por instituições especializadas. “Nós não temos capacidade instrumental para vigiar todas as cidades do estado, mas os pacientes podem e devem denunciar, além de estarem atentos se o estabelecimento age de forma correta e legal”, explica. Além de ter uma boa estrutura para proceder em casos de complicações. “Se você está num ambiente apropriado, os efeitos colaterais que poderiam acontecer em qualquer cirurgia podem ser remediados”, argumenta.

 

Relação paciente X médico

Antes de tudo, é interessante que o médico tenha uma relação ética com o paciente e vice versa. “O profissional precisa ser ético e buscar entender o desejo dele, muitas vezes a vontade do paciente acaba se sobrepondo. Nesse momento, o compromisso e sinceridade do médico podem ajudar a conduzir os casos”, explica.

 

Período que antecede a cirurgia

Para encarar um procedimento cirúrgico, é preciso estar com a saúde em dia. Segundo o especialista, é recomendado uma requisição de exames para investigar se anda tudo bem com o paciente. Essa é uma das formas de evitar futuras complicações e problemas durante o procedimento. “Nenhuma cirurgia é isenta de riscos, mas para diminuí-los é necessário que o médico haja como médico”, afirma.

 

Grupos de risco

Pessoas que sofrem de diabetes, hipertensão e doenças degenerativas fazem parte do grupo de risco. Marambaia conta que devido a isso esse grupo requer um cuidado maior.

 

Após a operação

O sucesso da cirurgia também depende muito do paciente. O especialista reforça que é indispensável que o pós-operatório seja respeitado. Evitar a prática de esportes, exposição solar, direção de veículos, obedecer o tempo de repouso e alimentação são uma das orientações médicas.

Mamães famosas comemoram o Dia Mundial da Amamentação no Instagram
Foto: Agência Brasil

No Dia Mundial da Amamentação, celebrado nesta quarta-feira (1), várias famosas aproveitaram o momento para publicar fotos em que aparecem amamentando os seus filhos. Além disso, elas falaram sobre o ato, que estimula a união e promove benefícios para a saúde de ambos.

 

A atriz Sheron Menezzes contou sobre o início difícil: "Amamentei exclusivamente no peito até os 7 meses e meio e continuo. Não foi fácil no começo. Tive dor, bico rachado, bico sangrando, peito empedrado", desabafou. 

 

 

Essa lembrança linda é para celebrar o início da Semana Mundial da Amamentação... Amamentei exclusivamente no peito até os 7 meses e meio ( passarinho nao aceitou bem a introducao alimentar ) e continuo amamentando... Não foi fácil no começo. Tive dor, bico rachado, bico sangrando, peito empedrado... Cansa, mas depois que tudo isso passou, descobri o prazer da amamentação e se tornou a coisa mais deliciosa, os momentos mais maravilhosos do meu dia, quando ficamos olho no olho, corpo com corpo, respirando na mesma sintonia. Pretendo amamentar meu guri ate os 2 anos de idade ou mais, e, enquanto Benji quiser, sempre terá um colo quentinho e um mamazinho gostoso esperando por ele. Tente, insista! Nossos bebês merecem esse cuidado e esse carinho! É pra toda a vida! Amamentação é a base da vida. ???? @clicksdanina #meuguri #passarinhodamae #babybenji #semanamundialdeamamentacao #semanamundialdoaleitamentomaterno

Uma publicação compartilhada por Sheron Menezzes (@sheronmenezzes) em

 

Assim como Sheron, muitas mulheres sofrem com esses problemas durante o processo de amamentação. Apesar disso, a atriz reforçou que tudo foi passageiro e que o "dar de mamar" se tornou um prazer. "Descobri o prazer da amamentação e se tornou a coisa mais deliciosa, os momentos mais maravilhosos do meu dia, quando ficamos olho no olho, corpo com corpo, respirando na mesma sintonia", completou, a mãe de Benjamin, de 9 meses.

 

Além dela, Carol Castro também se manifestou sobre a data: "Eu chamo de AMARmentar porque é um ato de amor. Requer amor. É só amor! O início pode ser muito difícil, mas vale a pena cada segundo... Essencial para o bebê e para a mãe. Agradeço todos os dias por poder ter esse momento mágico com minha filha", escreveu a atriz, mãe de Nina, que completa 1 ano no dia 12 de agosto.

 

 

O objetivo da data é alertar a população para a importância do leite materno para o desenvolvimento saudável dos bebês. Segundo dados da Organização Mundial de saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas (Unicef), mais de 800 mil vidas seriam salvas se toda criança fosse amamentada desde o nascimento até os 2 anos de idade. No entanto, essa é uma realidade distante, pois, em 2017, apenas 38% dos bebês com menos de seis meses tinham o leite materno como alimento exclusivo, o que representa menos da metade do pecentual considerado ideal pela OMS.

 

Doação de leite materno em Salvador (lembre aqui)

O projeto "Bombeiros Amigos do Peito" recolhe doações de leite materno e distribui para as maternidades Iperba - Instituto de Perinatalogia da Bahia - e Climério de Oliveira, ambas em Salvador. Com dez coletas diárias, o leite é direcionado a crianças prematuras ou com algum problema de saúde que, por algum motivo, não podem ser amamentadas pelas próprias mães. Atualmente, a iniciativa conta com a participação de 60 mulheres voluntárias. 

Quarta, 01 de Agosto de 2018 - 11:00

Descubra os artifícios que podem combater a celulite

Descubra os artifícios que podem combater a celulite
Foto: Reprodução / Getty Images

Os furinhos e aspecto de casca de laranja da pele é uma das características mais criticadas pelas mulheres. Apesar de não ser considerada uma condição médica grave, há muitos fatores que podem contribuir para melhora ou piora desse problema, como condições hormonais, genéticas, ou externas, como álcool, má alimentação, sedentarismo, uso de anticoncepcionais e tabaco. No entanto, segundo o site da revista Boa Forma, há vários artíficios para combater a celulite. Confira!

 

Cremes
É uma opção que pode ser uma grande aliada na hora de reduzir as celulites. Os cremes podem oferecer um resultado melhor se unida a hábitos saudáveis, como uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos. Além disso, o produto deve ser aplicado constantemente para perceber os primeiros sinais de melhora.

 

Massagem
Além do creme, a massagem pode proporcionar um efeito poderoso na hora da aplicação do produto e potencialização dos seus efeitos. Isso acontece porque, durante a massagem, a área que está recebendo o creme tem o aumento de circulação, o que facilita a absorção da fórmula.

 

Alimentação adequada
Apostar numa alimentação equilibrada contribui para a redução da gordura corporal e, consequentemente, na melhora do aspecto da celulite. Invista em alimentos ricos em fibra e nutrientes, como grãos, verduras, legumes e frutas. Além disso, a ingestão de água é muito importante para combater a retenção e amenizar o problema.

 

Exercícios físicos
A prática de exercícios favorece a queima de gordura, além de acelerar o metabolismo e favorecer a circulação sanguínea. É recomendado alternar exercícios aeróbicos e de fortalecimento para eliminar a gordura e combater a flacidez.

Consumo de álcool durante a gravidez pode reduzir capacidade cognitiva do bebê
Foto: Reprodução / Pixabay

Não precisa ser nenhum especialista para saber que o consumo de álcool durante a gravidez pode ser prejudicial para a saúde do bebê. Segundo o novo estudo realizado pela Universidade de Macquaire, na Austrália, ingerir bebidas alcoólicas nesse período pode comprometer o potencial e desenvolvimento cognitivo da criança. Para a conclusão, mais de 5 mil crianças que, desde 2004, foram avaliadas até os 11 anos de idade. De acordo com o site universa, as mães foram questionadas acerca do consumo de álcool e cigarro ao decorrer da gestação e amamentação, baseados em perguntas da Organização Mundial de Saúde.

 

Os critérios de vocabulário, raciocínio não-verbal e demais processos cognitivos foram levados em conta para a pesquisa. As mulheres que mais consumiram álcool durante a amamentação tiveram os filhos com menores notas em raciocínio não-verbal. A idade das crianças variam de 6 a 7 anos.

 

Já o efeito do fumo sobre a cognição das crianças não foi tão relevante em comparação ao álcool. no entanto, os estudiosos relembraram que o cigarro provoca outros problemas sobre o desenvolvimento do feto.

Histórico de Conteúdo