Dicas da influenciadora

Para quem quer perder peso, um dos obstáculos mais difíceis é a falta de coragem para iniciar uma dieta ou exercícios. Mais difícil ainda, é manter-se focada, para não parar o processo, no meio do caminho. Encarar a situação como um novo estilo de vida, ajudará bastante. Antes de qualquer coisa, a pessoa precisa mudar o pensamento, para o cérebro entender que é preciso comer se está com fome e não apenas com vontade. E, neste último caso, a ansiedade é o maior vilão, pois desencadeia a compulsão alimentar. 

 

A influenciadora Life Style Le Takamura explica que, existem diversas maneiras para manter o foco, tanto na dieta, quanto nos exercícios físicos. A primeira delas é traçar um objetivo. "Escreva um cartão, com todas as vantagens de emagrecer e leia duas vezes por dia. Administre seu tempo, incluindo o horário da academia e os da alimentação, de acordo com o que pede a dieta, sempre orientada por um médico da área", disse ela. Antes de cada refeição, preste atenção na real sensação do seu estômago. Classifique a sensação entre 0 e 10, em nível de fome real, durante toda a refeição e no final. Vale lembrar que, seguir uma dieta muito restrita, também é um atalho para o desânimo.

 

Para manter a disciplina na academia, convide algum amigo para matricular-se também, ou para exercitar-se em um parque. Determine dias e horários que farão isso. Muitas vezes, este "suposto compromisso" entre amigos, faz com que as pessoas não desistam da atividade física. Outra dica importante é sempre criar novas metas. 

 

Estas metas podem ser a perda de mais quilos, centímetros de cintura, o aumento dos músculos dos braços, a diminuição da ansiedade, entre outras. Lembrar constantemente da sensação no pós treino, também é uma técnica que pode ajudar. Exercitar-se faz o organismo produzir endorfina, um dos neurotransmissores responsáveis por prazer e relaxamento, algumas pessoas chegam até a ficar irritadas, ansiosas, depressivas, cansadas e com péssimo humor quando deixam de fazer atividades física.

 

 

Temperaturas amenas do outono e inverno não dispensam cuidados com a pele
Foto: Divulgação

Por mais que o calor seja bastante agressivo com a pele, as temperaturas mais amenas do outono e inverno não deixam de exigir cuidados.  “A pele é o maior órgão do corpo humano e assim como os demais requer alguns cuidados. Apesar de não darmos muita importância é bom entendermos que quando não protegemos adequadamente nossa pele, corremos o risco de contrair doenças, algumas até mais graves como o câncer”, diz o dermatologista André Lauth. Mas o que podemos fazer para ajudar a mantê-la bonita e saudável durante esse período? Para te ajudar nesta tarefa, o médico listou os principais cuidados que você deve ter neste período:

 

Não exagere no banho: muitas vezes ele é o principal responsável pelo ressecamento da pele. Banhos demorados, quentes, com buchas e sabonetes por todo o corpo retiram a hidratação natural da pele. O ideal é passar pouco tempo embaixo d'água, usar sabonetes de glicerina e apenas nas axilas, mãos, pés e regiões íntimas. Você se ajuda e ainda ajuda o planeta.

 

O hidratante corporal é seu melhor amigo: ele evitará o ressecamento da pele, principalmente nas extremidades (membros superiores e inferiores), que costumam ser as áreas mais afetadas. Cada pessoa sabe que áreas são mais secas no seu corpo e deve hidratá-las ainda mais. O dermatologista é o profissional capacitado para indicar o hidratante correto para o seu tipo de pele.

 

Não abandone o filtro solar: não é porque a temperatura está mais amena, que você deve se descuidar e deixa o protetor solar de lado. O sol continuará causando danos à sua pele e acelerando seu envelhecimento, passe-o todos os dias.

 

Procedimentos dermatológicos mais agressivos: essa é a melhor época para se realizar procedimentos dermatológicos mais agressivos, como por exemplo, o laser. A menor incidência das radiações solares reduz o risco de surgimento de manchas na pele após a realização dos procedimentos. Além disso, as temperaturas mais amenas reduzem o desconforto sentido após estes tratamentos.

Truques para acertar no tom e aplicação do batom vermelho
Foto: Reprodução / Instagram

O batom vermelho é um queridinho de muita gente na hora de se maquiar. Marcante e chamativo, esse item é indispensável no nécessaire, além de ser um clássico, carrega um grande poder empoderador. Segundo a maquiadora Daniella Vaz, do JacJacques Janine Fashion Mall (RJ), cada uma de nós tem um tom de vermelho para chamar de seu. A dica é observar se a sua pele tem um tom quente ou frio. "Peles quentes devem usar um vermelho mais alaranjado, já as frias combinam mais com vermelho frio [azulados]", diz ela. Claro que você pode usar todos os tipos, mas vale avisar que quando alguém de pele fria usa um batom alaranjado, o batom fica bastante chamativo, quase fluorescente. A mesma regra vale para quem tem pele quente, se a pessoa usa um vermelho azulado, a cor vai se sobressair bastante.

 

Na hora de aplicar o batom, é melhor ter cuidado para não borrar. Também é necessário, segundo a maquiadora, aplicá-lo em todos os espaços da boca. Por isso, ela recomenda um lápis de boca vermelho que, devido ao seu formato, facilitam muito o desenho do contorno. O correto é aplicar sempre o lápis antes do batom para deixar os limites dos lábios já destacados. "O ideal é que o lápis seja vermelho também. Caso não tenha, pode usar um tom mais cor de boca", ensina Daniella. O pincel de boca também é bem-vindo para aplicar o batom. "O bastão não te dá tanta precisão dos detalhes como um pincel e, para uma boca vermelha, os detalhes são fundamentais", diz a maquiadora. Se por acaso borrar durante a aplicação, Daniella utiliza um cotonete ou um pincel chanfrado com um pouco de base da cor da pele da pessoa, que além de limpar, clareia, tirando o vermelho em volta.

 

De acordo com Daniella, o segredo para manter o batom intacto está na hora de comprar o produto. Existem opções na indústria de cosméticos que tem duração de 6 a 24 horas e só saem com demaquilantes. Para a maquiadora, a textura também é muito importante. Os mattes fixam mais por serem menos cremosos. "Opções em gloss, vinil ou muito cremoso durarão menos, pois não ‘seca’ muito nos lábios", ensina ela. Para garantir ainda mais durabilidade, o truque é aplicar um pouco de pó translúcido (incolor) depois de passar o batom.

 

Para conseguir uma cor ainda mais intensa, existe um truque chamado "apagar os lábios", que consiste em aplicar base na boca para deixá0la do mesmo tom da pele, para só depois aplicar o batom. Segundo Daniella, o truque vale para pessoas com forte cor natural nos lábios. Outra opção é aumentar o número de camadas. Mas se o batom for muito cremoso, melhor não escolher essa alternativa. De acordo com o site Uol, é indicado tirar o excesso com algum papel antes de sair de casa, caso contrário, a probabilidade de você usar e sujar o dente é muito grande.

Deixar de lado a toalha pode ajudar a manter cachos com menos frizz
Foto: Reprodução / Pinterest

A primeira das dificuldades das mulheres com cabelos cacheados é controlar o frizz. O que algumas pessoas não sabem é que uma das maiores inimigas na hora de controlar os fios rebeldes é a toalha. Secar os fios com ela pode deixar o cabelo extremamente estático. Para evitar isso, utilize uma toalha de microfibra, que ajuda a deixar as madeixas mais macias e facilita na absorção de cremes. Uma outra dica é dar uma ultima enxaguada com agua fria ao sair do banho, para ajudar a fechar as cutículas.

 

Outro mal com o qual se deve tomar cuidado é o sol. Os cabelos também são sensíveis aos raios solares e por isso devem ser protegidos com um leave-in que ofereça proteção UV. E por falar em sol, o calor, principalmente se vier de um secador de cabelo também é um vilão para os cachos, use sempre um protetor térmico ou evite usar sempre que puder o secador para não ressecar os fios.

 

Outra coisa importante, mesmo que você queira manter os fios longos, é estar com o corte em dia. É preciso cortar os cabelos para que os cachos permaneçam hidratados até as pontas e cresçam com mais volume e forma definida. E claro, não deixe de hidratar os fios. Mantê-los hidratados garante um cabelo mais saudável, forte e com mais brilho.

Quinta, 12 de Abril de 2018 - 08:05

Um incentivo maior para humanização dos partos

Um incentivo maior para humanização dos partos
Foto: Pinterest

Humanizar o momento de dar a luz é preciso. "Acredito que estamos a caminho de tornar cada vez mais humano este processo, isto é, tornar cada vez mais consciente a importância de um processo que para a humanidade sempre foi instintivo e natural e que por algumas décadas tentamos interferir mecanicamente " diz a idealizadora do Despertar do Parto, psicóloga, Doula e Mãe de 3 filhos, Eleonora de Moraes.

Para muitas mulheres, um dos momentos de maior realização é a hora da maternidade, mas o início dessa fase da vida envolve momentos como o parto, e nauralmente, é um processo dolorido e complicado, não é a toa que a mulher pode morrer por dar a luz.

O parto pode ser cesário ou normal, mas o contexto atual de um parto normal pode ser quase tão doloroso quanto o cesário. Obstetras recomendam ao máximo o corte da barriga, a não ser que seja de urgência ou uma questão onde não haja condições da mãe ter seu filho pelo processo natural.

Nas maternidades para acelerar o processo do nascimento, faz-se corte na entrada do canal vaginal, aperta-se a barriga da mulher no intuito de acelerar a saída do bebê. Existe também o "ponto marido", onde o cirurgião costura a vagina além do tamanho que ela tinha, apertando, para que proporcione mais prazer ao marido nas futuras relações sexuais.

Por isso fala-se tanto no parto humanizado. Um momento de fato natural, existe todo um ritual para a chegada de um novo ser e para o bem estar da mulher, sem por em risco a saúde dela. Desta forma a mãe usa das suas forças para por seu filho para fora, a dor é única e exclusivamente do processo, não por cortes e costuras primariamente desnecessárias.

Esse tipo de parto pode ocorrer em casa, com uma parteira, em uma piscina, com luzes e aromas para ajudar a mãe e pode ser também em maternidades, até mesmo públicas. Hoje já existe um incentivo maior na humaização dentro das maternidades, até mesmo para aqueles casais que tem receio de ter o filho em casa.

Quinta, 12 de Abril de 2018 - 08:05

Um incentivo maior para humanização dos partos

Um incentivo maior para humanização dos partos
Foto: Pinterest

Humanizar o momento de dar a luz é preciso. "Acredito que estamos a caminho de tornar cada vez mais humano este processo, isto é, tornar cada vez mais consciente a importância de um processo que para a humanidade sempre foi instintivo e natural e que por algumas décadas tentamos interferir mecanicamente " diz a idealizadora do Despertar do Parto, psicóloga, Doula e Mãe de 3 filhos, Eleonora de Moraes.

Para muitas mulheres, um dos momentos de maior realização é a hora da maternidade, mas o início dessa fase da vida envolve momentos como o parto, e nauralmente, é um processo dolorido e complicado, não é a toa que a mulher pode morrer por dar a luz.

O parto pode ser cesário ou normal, mas o contexto atual de um parto normal pode ser quase tão doloroso quanto o cesário. Obstetras recomendam ao máximo o corte da barriga, a não ser que seja de urgência ou uma questão onde não haja condições da mãe ter seu filho pelo processo natural.

Nas maternidades para acelerar o processo do nascimento, faz-se corte na entrada do canal vaginal, aperta-se a barriga da mulher no intuito de acelerar a saída do bebê. Existe também o "ponto marido", onde o cirurgião costura a vagina além do tamanho que ela tinha, apertando, para que proporcione mais prazer ao marido nas futuras relações sexuais.

Por isso fala-se tanto no parto humanizado. Um momento de fato natural, existe todo um ritual para a chegada de um novo ser e para o bem estar da mulher, sem por em risco a saúde dela. Desta forma a mãe usa das suas forças para por seu filho para fora, a dor é única e exclusivamente do processo, não por cortes e costuras primariamente desnecessárias.

Esse tipo de parto pode ocorrer em casa, com uma parteira, em uma piscina, com luzes e aromas para ajudar a mãe e pode ser também em maternidades, até mesmo públicas. Hoje já existe um incentivo maior na humaização dentro das maternidades, até mesmo para aqueles casais que tem receio de ter o filho em casa.

Terça, 10 de Abril de 2018 - 14:00

Soluções dos cabeleireiros para correção de cor

Soluções dos cabeleireiros para correção de cor
Fotos: Reprodução / Instagram

É comum para quem pinta o cabelo, faz luzes ou descoloração ter que passar por aquelas situações que a raiz está bem mais escura que o restante dos fios, ou quando o cabelo fica com tons desiguais de mechas, e ainda quando o seu cabelo ficou com um tom muito mais claro do que você gostaria. O motivo pode ser por causa de um resultado indesejado feito no salão ou em casa, ou simplesmente pelo fato de o cabelo ter crescido. Existem ainda tons, como o loiro e o ruivo que, além desses problemas, também sofrem com o desbotamento, que acontece por causa do contato do cabelo com o sol, piscina, produtos químicos ou até mesmo lavagem.

@valeria_ribeiro

 

@andrewferreirahair

 

Tendo isso em vista, diversos cabelereiros vêm se especializando em técnicas específicas de correção de cor. Essas técnicas têm o cuidado de reformar e corrigir o cabelo a partir de como ele está, não tendo que recomeçar tudo do zero. “Quando alguma cliente chega com esse problema, eu analiso caso a caso para aproveitar tudo o que já tem de mechas. O objetivo é ter o mínimo de química possível. Então, o que dá para aproveitar eu aproveito”, explica a cabelereira Valeria Ribeiro, do salão Absolute, em São Paulo.

 

@mbiaggi

 

De acordo com Valeria, muitas vezes retocar a raiz é imprescindível, principalmente quando há uma grande diferença entre os tons, mas que é possível reaproveitar algumas mechas. “É um trabalho artesanal mesmo, de ir costurando o cabelo. Às vezes uma mecha está muito mais grossa que a outra, eu aplico um pouquinho só de tonalizante, apenas para deixar a diferença de tons menos evidente”, conta a especialista. Durante o processo, as pontas viram a referência, e o retoque da raiz se dá seguindo esse tom. “Se a cor estiver desbotada, eu retoco algumas partes com um pouco de descolorante, mas sem deixar agir por muito tempo. A ideia é só dar um pouco de brilho”, explica ela.

 

@alineassuncaomake

Protetor solar é essencial para preservar a pele de danos causados pela luz e poluição
Foto: Reprodução / Pixabay

Manter uma pele saudável vivendo nas grandes cidades não é uma tarefa fácil. Além da radiação solar, com os raios UVA e UVB, a poluição é outro grande vilão que pode causar danos à pele. Como a população está exposta diariamente a estes agentes externos, alguns cuidados são essenciais para se evitar os efeitos nocivos da radiação solar e da poluição na pele. "A poluição pode agir de duas formas: aumentando a produção de radicais livres ou reduzindo as defesas antioxidantes da pele”, explica a dermatologista Juliana Zimbres, especialista em cosmiatria. “Atualmente, existem alguns produtos que diminuem o contato da poluição com a superfície cutânea e outros que também possuem ação antioxidante, auxiliando na redução dos radicais livres. O ideal é aliar estas duas ações, para se combater de forma mais eficiente os efeitos prejudiciais da poluição sobre a pele", completa a dermatologista.

 

Outro vilão que pode causar danos à pele é a luz visível. Segundo Juliana, o contato persistente com a luz visível, emitida por computadores, celulares, tabletes, iluminação de escritório e aparelhos de TV, favorece o aparecimento de manchas na pele e pode acelerar o envelhecimento cutâneo. "Por ser uma radiação eletromagnética, é capaz de penetrar mais profundamente na pele, promovendo o aparecimento de manchas de difícil tratamento, além de agir diretamente sobre o colágeno da pele, facilitando o aparecimento de rugas", diz a médica.

 

Para atender a necessidade de fotoproteção completa, a marca Cetaphil apresenta o novo protetor Cetaphil Sun FPS 70 Ultra Matte & Oil Control, protetor solar facial para uso diário nas versões com e sem cor. Ele foi desenvolvido com a tecnologia Solar Care Intelligence, que combina filtros solares com ingredientes de ação antioxidante contra os efeitos da radiação, garantindo proteção contra os raios UVA, UVB, luz visível e infravermelho. O produto também conta com Face Technology, ou seja, combinação de 5 ativos elaborados com partículas e minerais de alta capacidade absorvente, que agem como uma esponja, controlando e reduzindo a oleosidade e o brilho da pele por 12 horas. Ambas as tecnologias foram cuidadosamente desenvolvidas por dermatologistas e formuladores brasileiros especializados em proteção solar para garantir alta proteção para a pele, aliada a um controle contínuo de brilho e oleosidade.

Doação de células-tronco pode ser feita depois de qualquer tipo de parto
Foto: Reprodução / Pixabay

Assim que a gravidez é descoberta, uma das principais questões é definir se o parto será normal ou se a paciente terá que ser submetida à cesárea. Tal decisão influencia diretamente os pais que decidem congelar as células-tronco do sangue de cordão umbilical, mas fica neles a dúvida se o tipo de parto pode ou não influenciar na coleta. Segundo o médico Nelson Tatsui, Diretor-Técnico do Grupo Criogênesis e Hematologista do HC-FMUSP, o processo é viável independentemente da escolha do parto e o material pode ser recolhido logo após o bebê ter nascido. “Depois, as células-tronco são separadas no laboratório e podem ser armazenadas em tanques refrigerados com nitrogênio, a uma temperatura próxima de -190°C. O procedimento da coleta é rápido, leva em torno de cinco minutos, é indolor e não apresenta nenhum risco para a mãe ou para o bebê”, explica ele.   

 

O especialista também ressalta que, mesmo em casos de emergência ou partos prematuros, a coleta poderá ser realizada. “O procedimento poderá ser realizado a partir de 32 semanas de gestação, conforme descrito na legislação (RDC 214)”, diz o médico. Segundo ele, se algum contratempo ocorrer durante o procedimento, é preciso que a empresa contratada seja informada imediatamente e que o médico que vai realizar o parto tenha conhecimento de que será feita uma coleta de células tronco. “Vale lembrar que o clampeamento tardio do cordão não inviabiliza o procedimento, permitindo uma coleta satisfatória além de prover nutrição adequada do bebê”, completa Dr. Nelson.            

 

De acordo com a Fundação Parent's Guide to Cord Blood, o sangue do cordão umbilical vem apresentando importantes resultados clínicos para o tratamento de diversos tipos de patologias. “Dentre as principais estão a Leucemia, Talessemia e Linfomas. Além disso, muitas doenças encontram-se em estudo avançando, como Diabetes Tipo 1, doenças neurológicas e, até mesmo, a Aids”, finaliza.

Acalmar bebê com comida pode fazer com que ele crie o hábito de comer sem fome no futuro
Foto: Reprodução / Pixabay

O hábito de oferecer comida ao bebê quando ele está agitado pode estar relacionado ao ganho de peso durante a infância, segundo um trabalho publicado no International Journal of Obesity, feito pela Penn State University, dos Estados Unidos. Os cientistas pediram para que 160 mães de bebês com 6 meses de vida preenchessem questionários sobre a frequência do choro do filho e o que elas faziam para acalmá-los. O temperamento dos pequenos também foi avaliado, tanto pelos pais quanto pelos pesquisadores, que registraram traços de raiva, medo, tristeza, agitação, riso, choro e reações à novas coisas e pessoas.

 

Com 18 meses, as crianças voltavam a ser analisadas e pesadas, para saber quanto peso ganharam. No momento em que verificaram a pesagem, os pesquisadores descobriram que, a medida que os pais usavam comida para acalmar os bebês, mesmo que eles não estivessem com fome, as crianças iam ganhando mais peso. O efeito, no entanto, foi observado apenas nos bebês com comportamentos classificados como “urgente”, que envolviam crianças extrovertidas, ativas e atraídas por novidades. “Crianças ‘urgentes’ tendem a ter uma sensibilidade maior a recompensas que as outras”, explicou a psicóloga que assina o trabalho, Cynthia Stifter.

 

A conclusão do estudo é que esse hábito pode fazer com que os filhos comam mais quando estiverem mais velhos. De acordo com o site da revista Bebê, as crianças classificadas como “urgentes” parecem apresentar mais sensibilidade em seu sistema de dopamina, neurotransmissor relacionado ao bem-estar, liberado pelo cérebro quando fazemos uma atividade que nos dá prazer. “Se eles forem recompensados com comida, que ativa esse sistema de maneira intensa e rápida, farão uma conexão mais forte entre comer e se sentir bem”, afirma Cynthia. Para ela, é por esse motivo que o apetite dessas crianças aumentaria nos anos seguintes das suas vidas. “Estas crianças têm tendência a se entediar facilmente porque estão sempre em busca de algo novo para capturar sua atenção. Então, se estão entediados e já fizeram a associação entre comida e prazer, a buscarão não por fome, mas porque estão em busca de alguma coisa para fazer”, finaliza a pesquisadora.

Histórico de Conteúdo