Quinta, 02 de Abril de 2020 - 21:05

Empresas produzem milhares de máscaras para os serviços de saúde

por Iga Bastianelli

Empresas produzem milhares de máscaras para os serviços de saúde

Fábricas adaptadas para produzir 10 mil máscaras por dia

 

O grupo Calzedonia, holding italiana de moda e detentora da marca Intimissimi, que tem lojas nos shoppings Barra e Salvador, franqueada pela empresária Renata Andrade, adaptou algumas de suas fábricas para a produção de 10 mil máscaras e aventais médicos por dia, para serem doados aos serviços de saúde italianos.

As entregas das máscaras já começaram e o hospital de Verona - cidade onde se encontra a sede do Grupo Calzedonia - foi o primeiro a receber. A Itália é um dos países mais afetados pelo Covid-19. À frente da ação está Sandro Veronesi, presidente e fundador do grupo Calzedonia.

 

 

 Handmade: Costureiras fazem máscaras de tecido para doação 

Diante do atual cenário de pandemia, pequenas atitudes são capazes levar conforto e consolo às pessoas. Foi pensando nisso que, Mirian Gotfyrd e Fabiana Geraigire, sócias-diretoras da Blue Gardenia, e toda sua equipe confeccionaram mais de 800 máscaras reutilizáveis e laváveis. Em tempo de escassez, as peças foram doadas para Prefeitura da cidade de Santos, em prol da distribuição para pessoas que mais necessitam fazer uso delas."Nessa hora o que vale é o amor ao próximo" enfatiza a diretora de criação, Mirian Gotfryd.

 

27 mil máscaras para profissionais de saúde de saúde de hospitais públicos do Ceará e Rio Grande do Norte. 

A Vicunha, referência global em soluções jeanswear, em apoio às instituições hospitalares brasileiras e para atender às suas necessidades mais urgentes no combate ao Coronavírus(COVID-19), doa 27 mil máscaras para secretarias de saúde do Ceará e do Rio Grande do Norte, estados onde a companhia possui operações industriais no país. Os equipamentos de proteção individual (EPIs) serão destinados a profissionais de saúde de hospitais públicos para evitar o contágio pelo novo Coronavírus. 

 "Os itens faziam parte dos nossos estoques fabris para serem utilizados por funcionários na produção têxtil. Com o aumento dos casos do novo Coronavírus no Brasil, e o alerta sobre a falta de equipamentos de proteção para profissionais de saúde devido à pandemia, decidimos disponibilizar os materiais para uso imediato no sistema de saúde" afirma o diretor-presidente da Vicunha, José Maurício D’Isep. 

Vitamina D: A nova queridinha da saúde no reforço a imunidade

O déficit de vitamina D é confirmado por meio de exames de sangue específicos. De acordo com a OMS, há insuficiência quando a concentração é menor do que 30 ng/ml (nanogramas por mililitro de sangue). Valores abaixo de 10 ng/ml são classificados como insuficiência grave. Dosagens iguais ou superiores a 30 ng/ml estão na faixa da normalidade, cujo limite máximo é 100 ng/ml. 

Vitamina D é o nome geral dado a um grupo de compostos lipossolúveis que são essenciais para manter o equilíbrio mineral no corpo. As formas principais são conhecidas como vitamina D2 (ergocalciferol: de origem vegetal) e vitamina D3 (colecalciferol: de origem animal). 

Embora seja chamada de vitamina, a substância é, na verdade, um pró-hormônio, ou seja, dá origem a vários hormônios importantes para o corpo. É sintetizada a partir de uma fração do colesterol, transformada sob a ação dos raios ultravioleta B do sol. Ela também está presente em alimentos -- principalmente peixes de água fria --, mas sua concentração neles é muito pequena, o que dificulta atingir as necessidades diárias. 

Estudos científicos já revelaram que a vitamina D oferece proteção contra doenças respiratórias e fortalece o sistema imunológico. Outro alerta veio da Organização Mundial da Saúde (OMS), que a deficiência da substância pode diminuir a imunidade, pois ela desempenha um papel de imunomodulação, aumentando as defesas das mucosas.

A nutricionista Adriana Stavro, especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis, destaca que a vitamina D é fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo como um todo, pois além de atuar na regulação do sistema imunológico, que é nosso sistema de defesa, ela faz parte de todo um processo de tratamento e prevenção, inclusive, de doenças autoimunes, como artrite reumatoide e a esclerose múltipla. 

Para garantir níveis adequados de vitamina D, o Ministério da Saúde recomenda, além de consumir alimentos fontes, a exposição solar de quinze a vinte minutos pelo menos três vezes por semana, sem protetor solar, até às 10:00h ou após as 16:00h. 

Vitamina D nos alimentos 
1 colher (sopa) de óleo de fígado de bacalhau — 227% da quantidade diária recomendada 
85 g de salmão cozido — 75% da quantidade diária recomendada. 
85 g de atum enlatado com água — 26% da quantidade diária recomendada 
85 g de fígado de boi cozido — 7% da quantidade diária recomendada 
1 ovo grande (com gema) — 7% da quantidade diária recomendada. 
 


 

 
   


 





 

 

Terça, 31 de Março de 2020 - 15:05

Especialistas ensinam como manter a produtividade no Home Office

por Iga Bastianelli

Especialistas ensinam como manter a produtividade no Home Office

 

 

Nossa sociedade nunca viveu dias como os que estamos vivendo agora: de repente, somos obrigados a ficar isolados, em quarentena, distantes do trabalho e de quem amamos. O que fazer para não "pirar"? 

Segundo a coach acadêmica e professora das disciplinas de Desenvolvimento Gerencial e Gestão de Carreira dos cursos de Pós-graduação da FECAP, Maria de Lurdes Zamora Damião, estamos experimentando uma situação completamente desconhecida, cheia de incertezas, e nosso maior desafio é manter o equilíbrio mental e emocional. 
 

MANTENHA UMA ROTINA 

Para quem está trabalhando home-office, o ideal é planejar a semana com disciplina, para que o trabalho não se misture com as tarefas domésticas, por exemplo. "Para fazer a divisão do tempo, avalie a semana ou dia, identificando as necessidades de descanso, sono, higiene, home-office, faculdade, lazer, refeições, revisões de conteúdo, exercícios físicos, atividade religiosa, entre outros. Registre essas informações em uma planilha", ela ensina. 

Já a Especialista em Gerenciamento de Projetos e Administração Estratégica e Coach de produtividade, Eleine Passos indica métodos e ferramentas que auxiliam no cumprimento de tarefas para o trabalho em casa “Muitas famílias estão tendo que se adaptar a uma nova realidade, com todos em casa em tempo integral é preciso estabelecer novas metas, criar hábitos, reconhecer limites e principalmente fazer gestão de si mesmo. Ser produtivo não é fazer mais em menos tempo e sim fazer o que é preciso com qualidade”, alerta a especialista que também destaca os seguintes pontos:

 

Vista-se para trabalhar e cuide da sua auto-estima

É muito tentador ficar com a roupa de dormir, portanto, tome um banho, coloque uma roupa leve, arrume os cabelos. Isso ajudará o seu psicológico a entrar no “modo trabalhar”, além de contribuir para manter a sua auto-estima.

 Combine com a família o seu horário de trabalho

Se você não mora só é importante deixar claro para sua família que você não está de férias. Determine o seu horário de trabalho, com as pausas necessárias ao seu ritmo. Para quem tem filhos pequenos há algumas possibilidades como revezar os cuidados com o parceiro ou outro membro da família e criar uma rotina de atividades escolares. “É uma forma de integrar a criança e ajudá-la a compreender que as atividades de estudo e trabalho continuam mesmo dentro de casa para que quando a situação se normalize ela não sinta tanta dificuldade em retomar a rotina”, explica Eleine.

Crie métricas de acompanhamento e mantenha contato com sua equipe

Não basta planejar é importante também acompanhar os resultados. Para empresas e líderes que tem funcionários é aconselhável realizar reuniões online para analisar o funcionamento das demandas e utilizar ferramentas de gerenciamento de atividades. Nesse ponto a tecnologia ajuda e oferece algumas opções de compartilhamento, inclusive gratuitas. Para videoconferências existe o Skype, Hangout, Zoom e para o controle de tarefas oTrello, Todoist e Asana.

Lembre-se que toda crise passa e os aprendizados ficam

Apesar da crise, esse modelo de trabalho pode passar a ser mais bem aceito nas empresas e trazer uma série de benefícios em produtividade como economia de tempo e dinheiro. “A cultura do home office ainda é pequena aqui no Brasil, mas se bem gerida pode ajudar muito, principalmente nas pequenas empresas. Economiza-se com a conta de energia e vale transporte, além do tempo que gasta-se no deslocamento, por exemplo”, conclui Eleine.

 "Apesar de proporcionar uma série de vantagens aos colaboradores, como flexibilidade de horário com deslocamento e comodidade ao profissional, a atividade remota requer muito mais organização individual, monitoramento e capacidade de colaboração dos líderes e entre as equipes. Pois o previsto e o planejado nem sempre acontecem e as pessoas ficam mais tensas frente ao novo. E agora estamos num tempo de imprevistos", afirma Janaína Rost, head da TackTMI, empresa de treinamentos corporativos e desenvolvimento de talentos da multinacional de recursos humanos, Gi Group. 

Para ajudar as empresas a proteger seus funcionários e clientes da pandemia e dar andamento às suas atividades com eficiência, a TackTMI desenvolveu uma plataforma de conteúdos virtuais com treinamentos acessíveis e de rápida aplicação, que tratam das principais questões que envolvem desde gerenciamento de equipes remotas a administração do tempo de trabalho, como manter a comunicação e interação entre diversos públicos, melhorar a produtividades das vendas, no modelo virtual, entre outros. 
 

 
   


 




 

Segunda, 30 de Março de 2020 - 12:05

Poesia e reflexões em tempos de isolamento social

por Thais Villar

Poesia e reflexões em tempos de isolamento social


Após o carna-val
Do vendaval da carne
A quaresma en-carna
Reclusos no Karma
De um auto isolamento
Ainda dúbio de momento
Adestramento de movimento
Mas eu tento, neste intento
Para a carne, um alento

Vida que é escolha
Convoca à renúncia.
Denúncia de negação.
A um vírus invisível
Uns dizem sim
Outros dizem não
Interdependência que desafia
Coexistência que alerta
Se há carne, pode haver putrefação.
Contaminação.

A pandemia que exala
O que quase todo mundo cala
Sobre o que quase não se fala
O recalque: o desfalque.
Essa falta mais faltosa ainda
O buraco sem fundo
Essa angústia que não finda
Afeto de final de mundo
E tu, e eu e ele, mais humanos, mais ainda
Mas, olho as prateleiras vazias
E vejo um escarro imundo:
Não há oração para todas as crias.

Quarenta e quatro anos tenho
Quaresma não faço
Não sou feita de aço
Tenho pulmões a pleno vapor
Cabeça pensante, labuta constante
Mas a falta de ar afirma
Sim, há um temor
E nesse Isso tem algo que me traga
Me inspira e me murcha
Me melhora e me estraga
E a quarentena resolve:
A ti, o que te move?

Não sou canalha
Enxergo o fio da navalha
Não tenho casta
Reconheço uma “pessoa nefasta”
E por mim sou quase inominável
Estou por um triz, atriz, abominável
Pela falta de paciência
Minha acidez queima e crema
Como esse álcool que ora reina
Encharca a taça, em gel higieniza
Vale a analgesia para ficar na própria companhia
E na escuta de tanta gente que, na blasfêmia, teoriza
Hipócrates e hipocrisia

Covid e cova
Eu quero é prova
De que tu e os teus
Nas tramóias de alcova
Vão se colocar na reta
A mim não me desinfeta
A mim também não me infecta
Porquê não adianta só saber
Tem que saber-fazer
Reconhecimento de um Desejo
E meu ensejo, por hora
É tão somente,
in-conscientemente: viver.

* Thaís Villar é formada em direito e escritora 

Instagram: @thaiscravovillar

Facebook: thaisvillar e tchaulobomau

Blog: pulsoeimpressoes.new.blog

Opinião sobre o cenário da crise econômica em meio a Pandemia

A pandemia do Coronavírus levou o planeta a uma crise de saúde com superlotação de hospitais nos países com mais casos da doença e números assustadores de mortes e infectados. Especialistas já dizem que, além de uma crise de saúde, a questão afetará a economia a longo prazo. O FMI prevê que a recessão mundial por causa do vírus pode ser pior que em 2009. No Brasil, já existem casos de demissões provocadas após a pandemia e as estimativas do mercado apontam para números negativos de crescimento. 

 

Há especialistas e pesquisas que apontam que a construção civil, alimentação fora do lar, moda, varejo tradicional e saúde são alguns dos setores mais impactados pela pandemia. Marcelo Simões é CEO da Apure, marca especializada em consultoria empresarial, e acredita que com inteligência e criatividade é possível passar por esse momento: “A hora é de identificar em que podemos ser melhor, para que possamos crescer. Claro que precisamos levar em consideração a área de atuação, mas para todas vale a regra de que adaptar é sobreviver. Mesmo sentado no sofá trabalhando em regime de home office, é possível produzir igual ao que era produzido dentro do escritório. Os meios de comunicação atuais nos oferecem ferramentas para que estejamos sempre próximos aos clientes e consumidores, ainda que o momento seja de isolamento social. O e-commerce é um grande exemplo de transação de bens e serviços, sem barreiras de tempo e distância, e está sendo uma solução bastante funcional neste período  de crise, em que o isolamento social é fator primordial para combater o coronavírus”. Marcelo ressalta que não é possível garantir números positivos, mas que continuar a produção, respeitando as orientações das autoridades de saúde, é o caminho: “Se não for possível operar com 100% de produtividade efetiva, que seja com 80% ou 70%, mas precisamos produzir”.

 

Pensar em ações e estratégias para fortalecer a empresa é um desafio que empreendedores e microempreendedores enfrentam neste processo. A saída pode estar em ações como o planejamento de formas alternativas de venda e prestação de serviços; uma comunicação forte no ambiente digital; a clareza ao explicar para clientes como será o funcionamento do serviço prestado durante a crise; entregas em domicílio quando produtos; atendimento online, se possível, quando serviços; comunicar os cuidados com higiene e prevenção que a empresa adotou, sempre atento ao que determinam as autoridades em Saúde e planejar a atuação para o fim da crise.

 

 

Startup apoia instituições de saúde a contratarem profissionais durante pandemia 

 

A Jobecam, plataforma de empregos e entrevistas gravadas que torna os processos de seleção mais eficientes e justos por meio da tecnologia de vídeo e inteligência artificial, vem ajudando diversas instituições do setor de saúde a resolver um importante problema: a seleção e contratação de profissionais. Com o coronavírus (COVID-19), classificado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma pandemia, um recrutamento ágil e eficiente se torna ainda mais necessário. 
 

"Estamos com uma alta demanda para atender os clientes do setor de saúde. Alguns hospitais como o Mário Covas, IGESP, Meridional e A. C. Camargo estão contratando um alto volume e precisam de profissionais capacitados para atender as demandas durante este período de crise", comenta a proliferação do vírus e, claro, garantir que a operação de seleção não pare", afirma a fundadora e CEO da empresa, Cammila Yochabell. 
 

Ao todo são mais de 600 vagas, incluindo posições para fisioterapeutas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares de enfermagem e médicos. Os profissionais interessados em preencher as posições devem acessar o site http://www.jobecam.com, onde é possível realizar as candidaturas e gravar as entrevistas, otimizando assim o processo e garantindo a segurança demandada no momento. 
 

"A Jobecam já nasceu com o propósito de tornar os processos seletivos remotos. Acreditamos que, desta forma, damos mais acessibilidade e oportunidade para todos. Frente a crise que estamos passando, notamos que somos mais do que necessários para contribuir com a redução da proliferação do vírus e, claro, garantir que a operação de seleção não pare", finaliza Cammila Yochabell. 
 

 

Terça, 24 de Março de 2020 - 15:05

QUARENTENA: O que comprar? Qual quantidade? 

 QUARENTENA: O que comprar?  Qual quantidade? 



Embora não estejamos como na Itália, e Argentina (proibidos de sair de casa) como resultado da pandemia do coronavírus (COVID19) as circunstâncias nos obrigaram a considerar que a auto quarentena chegou. E à medida em que os casos se espalham pelo mundo e mais pessoas são expostas ao vírus, mais e mais indivíduos e famílias entram em quarentena imposta ou de forma voluntária. 

Há menos de um mês, aqui no Brasil isso parecia ser impensável. Mas hoje o termo quarentena se torna cada vez mais realidade. Portanto, se a quarentena bater na nossa porta, não é nada recomendável pedir pizza por 2 semanas no café da manhã, almoço e jantar. 


Por isso, vamos nos organizar. Quais alimentos você deve ter  em casa por duas semanas? Entenda que, depois de saber que você deve ficar de forma imposta em quarentena, será tarde demais para dar uma parada no supermercado mais próximo. 

Neste momento a mensagem principal é: planeje com antecedência, mas sem pânico. 

Vamos lá. Hora de abrir os armários e despensa. Faça um inventário do que você já tem em casa 
Não corra para o super mercado e comece a colocar caixas e mais caixas de suco, leite, arroz, feijão arroz etc. no carrinho. Não precisa. Tem mais gente que precisa comprar. Lembre-se SOLIDARIEDADE. 

Feito o inventário, aí sim vá até a loja e compre os produtos que estão faltando e que poderão ser consumidos por duas semanas. Mas lembre-se. Consuma o que você tem em casa primeiro. E a regra é, o primeiro a vencer o primeiro a ser consumido. 

Organize um cardápio com ingredientes que não sejam perecíveis como: arroz, feijão, feijão fradinho, macarrão, quinua, grão de bico, cuscus marroquino, tapioca, aprimorados com proteínas e vegetais. 
Você também pode incorporar facilmente produtos lácteos. Com exceção do leite fresco, os produtos lácteos como queijo e iogurte costumam ter uma data de validade maior que 2 semanas. 

O maior problema são as frutas e legumes frescos, especialmente na segunda semana da quarentena (imposta). Maçãs, laranjas e peras duram mais tempo, assim como alguns legumes (cebola, batata, abóbora e cenoura). Por isso consuma os outros vegetais e frutas primeiro e deixe estes para a segunda semana. Outra opção são os congelados. 

Frutas e legumes congelados são nutricionalmente semelhantes. Brócolis congelado, espinafre e vegetais misturados podem ser cozidos no vapor, salteados ou assados, como faria com os frescos. 

Estocar comida congelada é bom, mas e as famílias que não têm muito espaço no congelado/freezer? Para otimizar o espaço no freezer, remova os alimentos de suas embalagens originais e armazene por porções do tamanho das suas refeições em sacos com zíper. Não esqueça de rotular as sacolas, com nome dos alimentos e a data de validade. 

Manter refeições simples e sem estresse durante a quarentena é muito importante. Duas semanas presas na casa, sua paciência pode se esgotar muito mais cedo do que se espera.  É hora de comida simples, pouco estresse e colaboração de todos da casa. 

 Apenas fique atento aos suprimentos básicos, faça um plano e faça suas compras com sensatez. E não coma uma caixa inteira de barras de cereais de uma só vez. EQUILÍBRIO.

Segunda, 23 de Março de 2020 - 16:05

5 dicas básicas para desinfetar as roupas em casa 

 5 dicas básicas para desinfetar as roupas em casa 

 

A pandemia do novo coronavírus é assunto em todo o Brasil. Com isso o fechamento do comércio, os pedidos do governo para as pessoas não saírem de casa e apenas os serviços básicos de supermercados, hospitais e farmácias que estão liberados para funcionar. Sendo assim, como o serviço de lavanderia se enquadra neste cenário? 

Este último é de grande importância, pois os germes que voltam para casa são deixados nas roupas e, por isso, é essencial uma limpeza completa para evitar a propagação do COVID-19. 

Segundo o Dr. Jaume Alijotas Reig, especialista do Instituto de Medicina e Imunologia de Barcelona, "o vírus pode durar entre 2 e 3 dias nas roupas, são pouco tolerantes às altas temperaturas e são facilmente removíveis com água sanitária". Então para combater esta doença que se espalha pelo Brasil, a Mr Jeff oferece cinco dicas importantes para desinfetar as roupas em casa. 

1 - Use muita água em cada lavagem e evite cargas muito grande de roupas na máquina. É importante que as peças tenham espaço para mexer de forma adequada durante o processo. 

2 - Use mais sabão do que o habitual, pois ele retém melhor a sujeira e tem capacidade de remover qualquer resíduo. 

3 - Caso a roupa esteja contaminada de produtos químicos ou materiais tóxicos, use um desinfetante especial para lavagem, como o alvejante. 

4 - Em caso de pessoas doentes em casa, além do uso do alvejante, é importante que as roupas sejam lavadas com água quente, acima dos 60ºC, para que o vírus não sobreviva nas peças. 

5 - No processo de secagem, o processo em alta temperatura também ajuda a completar o processo de limpeza das roupas. Assim como o secador, no ato de passar a roupa, o ferro quente também é bastante útil para as roupas de algodão e roupas de cama. 

Logo após a execução, lembre-se de sempre lavar as mãos com água e sabão, usar alcóol em gel e evitar contato ao rosto, de preferência nos olhos, nariz ou boca. É extremamente importante que cuidemos das roupas contra o vírus, mas também mantermos o nosso nível de higiene e, claro, ficarmos em casa o máximo possível. 

Quinta, 19 de Março de 2020 - 17:05

Saúde emocional durante o isolamento: o que fazer? 

por Elaine Ribeiro

Saúde emocional durante o isolamento: o que fazer? 



Vivemos tempos difíceis e incertos frente à pandemia de coronavírus, que exige de nós muitas mudanças. Por exemplo, novas jornadas de trabalho, isolamento social, adiar compromissos, aumentar os cuidados com higiene pessoal e limpeza dos ambientes e, especialmente, atitudes e posturas responsáveis para evitar o pânico ou aumentar estados ansiosos. 

É um grande desafio para um mundo que nos pede para sermos ativos e produtivos o tempo todo. Porém, a não transmissão desse vírus só será possível se tivermos um comprometimento pessoal em favor do coletivo. 

Conscientes de nossas responsabilidades para frear a disseminação do Coronavírus, é importante também estarmos atentos a ansiedade gerada em muitas pessoas, e agravada naqueles que já sofrem com transtornos de natureza ansiosa. 

Sendo assim, com objetivo de manter o equilíbrio mental e a nossa saúde, podemos recomendar, especialmente àqueles que podem desenvolver quadros de ansiedade, que evitem confirmar a todo momento notícias de casos de infectados e mortos, pois, ao ficar em estado de alerta, fazem projeções ou criam cenários que podem ser piores do que o real. Também é extremamente importante acessar fontes confiáveis de informação, priorizando os canais de órgãos oficiais e meios jornalísticos tradicionais. 

Use sua disposição para atitudes de prevenção e cuidado. Não quebre a quarentena por razões que não estejam previstas neste tempo; não subestime os fatos, esteja, dentro do possível, agindo com segurança. Evite grupos de whatsapp ou redes sociais que propagam um grande número de informações, muitas vezes, sem fonte confiável. A sobrecarga de informações é altamente prejudicial! 

Procure atividades dentro de casa que possam ocupar seu tempo de maneira útil: leia livros, assista filmes, organize sua casa, veja coisas que estavam pendentes e não eram feitas porque você não encontrava tempo. Compreenda que não conseguimos controlar tudo, porém, algumas coisas estão ao nosso alcance! 

Seja realista, mas evite o pessimismo, pois ele aumentará sua angústia. Procure conversar sobre seus sentimentos com pessoas que possam aceitá-los e não influenciá-lo para que fique ainda mais ansioso. Ouça música! Uma boa trilha sonora poderá ajudar, e muito, seu estado de humor. Desenhar, pintar, propor jogos em família e fazer uma prática relaxante pode ser bastante útil. 

Embora o tempo seja de distanciamento no convívio social, use os meios digitais para aproximar-se de amigos e familiares. Mantenha uma boa rotina de sono e alimentação saudável, pois isso contribui para o aumento da resposta imunológica. Entenda a mudança como uma necessidade para um bem maior, porque ao relutar em ter pequenos gestos, você pode colocar em risco seu processo emocional ou de seus parentes. 

É tempo de nos revermos, de aceitarmos mudanças repentinas, pois precisamos deste comprometimento coletivo. Ninguém gosta de viver aprisionado, mas este sentimento pode ser amenizado a partir da forma como você avalia as situações. 

Não é "prisão", é colaboração! Também não é necessário negar a situação, mas, sim, reduzir nosso ritmo de vida, rever nossas posturas e, se necessário, buscar ajuda. Muitos psicólogos estão mantendo atendimento online. O Centro de Valorização da Vida (CVV) está com linhas abertas para o contato telefônico pelo número 188, e muitas iniciativas solidárias têm mostrado que precisamos ter esperança, sempre! 

Elaine Ribeiro é psicóloga clínica e organizacional da Fundação João Paulo II / Canção Nova. 
 

 
Sexta, 13 de Março de 2020 - 12:00

Projeto discute saúde reprodutiva da mulher em Salvador

Projeto discute saúde reprodutiva da mulher em Salvador
Foto: Divulgação

Questões como o adiamento da maternidade, congelamento de óvulos, a importância dos hábitos de vida para a fertilidade e reprodução assistida serão tema de ação gratuita em Salvador. Os temas serão abordados durante o projeto “Fertilidade in Cena”, que vai acontecer de 18 a 20 de março, na Praça Central do Shopping Barra, de forma gratuita.

 

A proposta é levar informação às mulheres que sonham em serem mães e não conseguem ter filhos espontaneamente ou desejam planejar a maternidade. O projeto é uma iniciativa do Centro de Medicina Reprodutiva em homenagem ao Mês da Mulher.

 

O Fertilidade in Cena terá formato de talk show com especialistas de várias áreas.  Dentre os temas: “Infertilidade: a visão de quem já viveu esse drama”, com a participação da jornalista e escritora Denise Rodrigues (SP); “A Reprodução Humana no Século 21”, com os especialistas em Reprodução Humana, Joaquim Lopes e Gérsia Viana, a embriologista Janaina Mendes Santos e a geneticista, Maria Betânia Toralles; “Até quando posso adiar a maternidade”, com a psicóloga Cristina Rocha, a ginecologista e especialista em medicina reprodutiva, Karina Adami e o obstetra Caio Lessa. “Quando a mulher deve optar pelo congelamento de óvulos? Quais os principais motivos e indicações? , com as especialistas em Reprodução Humana, Sofia Andrade e Gérsia Viana,  a oncologista Mayana Lopes,. “Hábitos de vida e fertilidade”, com os especialistas em medicina reprodutiva Valentina Cotrim e Pedro Paulo Bastos, a endocrinologista Alina Feitosa e o nutricionista Daniel Cady.  “Novas configurações familiares e o papel da reprodução assistida”, com os especialistas em medicina reprodutiva, Sofia Andrade e Vinicius Medina Lopes e a psicóloga, Cristina Rocha. Durante a programação, haverá também a participação de mulheres que enfrentaram a infertilidade e vão contar um pouco das suas experiências.

Quarta, 11 de Março de 2020 - 14:05

Conheça mais sobre Elke Maravilha!

por Iga Bastianelli

Conheça mais sobre Elke Maravilha!

Uma das mulheres mais emblemáticas da TV, a atriz, modelo, cantora e jurada, Elke Maravilha é tema da primeira produção Original em língua portuguesa da sueca Storytel, uma das líderes globais em streaming de audiobooks, podcasts e e-books. Escrita pelo jornalista e escritor Chico Felitti e narrada pela atriz Fernanda Stefanski, Mulher Maravilha conta desde sua infância na chegada ao Brasil, com sua família refugiada do regime nazista, até os tempos de grande sucesso como uma das modelos mais requisitadas do país, e depois como jurada do programa do Chacrinha, onde ingressou na televisão. A obra vai a fundo na vida de Elke e revela, por exemplo, que ela nasceu na Alemanha, e não na Rússia, como sempre afirmou, e o Brasil sempre acreditou. 

 

A biografia também joga luz em episódios inéditos da vida da artista, como o convite para ingressar na televisão, além do período em que passou apátrida. 

Elke Grunupp, Melissa Vassiliki, Elke Evremidis ou apenas Elke, antes de ser conhecida como Elke Maravilha. Lembrada por muitos como uma personalidade televisiva, Elke passou por momentos emblemáticos na vida como por exemplo ter sido presa política por seis dias quando peitou a ditadura, em 1971. Considerada como subversiva e de personalidade forte, foi uma das primeiras mulheres a afirmar em rede nacional de televisão que havia feito três abortos. Casou-se oito vezes, foi apátrida, alcoólatra e morreu pobre. Foi funcionária de Silvio Santos e foi uma das maiores antagonistas do apresentador, com quem teve desavenças. 

Sua história, com acontecimentos suficientes para encher quatro ou cinco vidas, não havia sido contada por inteiro até este lançamento. Do premiado jornalista Chico Felitti, autor de Ricardo & Vânia, Mulher Maravilha.

Quarta, 11 de Março de 2020 - 08:05

Casa inteligente: conheça algumas soluções!

   Casa inteligente: conheça algumas soluções!
 

“Quem nunca esqueceu uma luz acesa ao sair para trabalhar e só percebeu ao chegar de noite em casa?”. 

É assim que o arquiteto baiano Márcio Barreto começa a desemaranhar o conceito das casas inteligentes. Desligar as luzes automaticamente ao sair, climatizar ambientes e abrir fechaduras com reconhecimento biométrico são exemplos que caracterizam residências autônomas. 

 

Essas construções, apesar de remeterem as tecnologias do século XXI, já são exploradas desde antigamente, com a busca essencial pelo conforto movendo o significado das casas inteligentes. O retrato caricato e fascinante da casa do Sr. Phileas Fogg no filme “Volta ao Mundo em 80 Dias?—?Uma Aposta Muito Louca”, com engrenagens movendo comidas e peças de roupa, despertou ainda mais, nos anos 2000, o imaginário de casas que trabalham sozinhas.

 

Para Márcio, casas inteligentes tem a serventia principal de facilitar a vida dos moradores. Com o advento de novas tecnologias, as residências agora movem suas “engrenagens” através de redes sem fio como o wi-fi e o bluetooth. Segundo o arquiteto, essa possibilidade acessível de se conectar a redes sem fio abre brechas para tornar casas autônomas e adaptáveis.

 

“Mesmo que a casa não tenha sido construída com o conceito de automação, é possível usar recursos para torná-la. Já existem produtos comercializados de forma mais acessíveis capazes de tornar residências funcionais e inteligentes. A ‘tomada inteligente’ é o produto mais simples para atender essa demanda. Conectando a mesma a uma cafeteira, sanduicheira ou fritadeira elétrica, é possível controlar esses equipamentos através do wi-fi,

 

O profissional elenca ferramentas para tornar as casas confortáveis e automáticas, tais como: lâmpadas com acendimento através de sistema wi-fi; tomadas inteligentes; sensores de presença; câmeras de segurança; fechaduras biométricas e até robôs-faxina. 

 

Além de ajudar no conforto e segurança das moradias, Márcio salienta o preço médio dessas peças e ferramentas. Um “tomada inteligente” custa aproximadamente R$ 70, enquanto sensores de presença chegam a quase R$ 40, ambos encontrados no Mercado Livre. Outros acessórios, como robôs-faxina, possuem uma variação entre R$ 100 à R$ 3.000, segundo preços averiguados na Americanas.com. 

 

 

Segunda, 09 de Março de 2020 - 08:05

Mulheres vivem 4 anos mais do que homens 

Mulheres vivem 4 anos mais do que homens 

 

Ao longo dos anos, diversos avanços na medicina e na sociedade permitiram que as pessoas vivessem mais e melhor. De acordo com o o último levantamento da Organização Mundial de Saúde (OMS), atualmente, a expectativa de vida dos homens é de quase 70 anos e, das mulheres, cerca de 74. Embora a igualdade de gênero tenham melhorado as condições de vida e a saúde feminina nas últimas décadas, ainda há comportamentos, exposição a riscos e vulnerabilidade a doenças típicos das mulheres. 

"De maneira geral, as enfermidades que mais diminuem a expectativa das mulheres são as doenças cardiovasculares, como o acidente vascular cerebral (AVC) e o infarto, a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e o Alzheimer, além de outras específicas, como câncer do colo do útero, câncer de mama e problemas relacionados à gestação", revela Nadia Ferreira Rivera membro da Doctoralia, mestre em Medicina, especialista em clínica geral, diagnóstico, medicina de adolescentes e endocrinologia. 

Embora sejam biologicamente mais suscetíveis a essas doenças, o estilo de vida interfere diretamente no desenvolvimento dos problemas de saúde. "As mulheres costumam ter uma alimentação mais equilibrada, com alta ingestão de frutas, legumes e hortaliças, o que pode reduzir em até 30% o risco de doença cardiovascular. Ao mesmo tempo, elas não costumam incluir atividades físicas em sua rotina diária, o que pode aumentar o risco", alerta a médica. 

Para que as mulheres vivam mais e com qualidade, o acompanhamento médico ao longo da vida é fundamental. "Em cada faixa etária há exames que podem auxiliar no diagnóstico precoce de doenças, permitindo que seja feito o tratamento em estágio inicial e aumentando as chances de cura. Entre eles, estão o Papanicolau, a mamografia, o eletrocardiograma e a curva glicoinsulinêmica. Este último ajuda a detectar o pré-diabetes, que tem uma alta taxa de risco cardiovascular nas mulheres", explica Dra. Nadia. 

Cuidado com a saúde na palma da mão 

As mulheres não param. Muitas se dividem entre trabalho, família, amigos e acabam precisando de uma ajuda extra para otimizar as atividades do dia e cuidar da saúde. Por esse motivo, utilizam-se de todos os recursos disponíveis, como os aplicativos de celular. Os apps auxiliam no controle do período menstrual, em dietas e exercícios e no agendamento de consultas com especialistas, como o da Doctoralia. 

Domingo, 08 de Março de 2020 - 15:00

Medicina fica mais feminina, mas ainda é desigual

por Claudia Collucci | Folhapress

Medicina fica mais feminina, mas ainda é desigual
Foto: Divulgação / Carla Cleto

Ao mesmo tempo em que a medicina se torna cada vez mais feminina, a desigualdade salarial das médicas é maior do que a encontrada na média de todas as ocupações de mulheres no país. Elas, que representam 45,6% dos 452.801 dos profissionais médicos do país, também continuam pouco presentes em cargos de liderança nos conselhos e entidades da categoria.

 

Em 2018, o rendimento médio das médicas em atividade no Brasil, com idades entre 25 e 49 anos, equivalia a 71,8% do recebido pelos médicos, segundo a PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) do IBGE: R$ 12.618 contra R$ 17.572. Nessa faixa etária, as médicas já são maioria: 53,2% dos profissionais ativos. A diferença é maior do que a média geral de rendimento de todas mulheres ocupadas nessa faixa etária (R$ 2.050), que equivale a 79,5% do recebido pelos homens (R$ 2.579).

 

Os dados do IBGE, compilados a pedido da reportagem pelo professor da USP Mario Scheffer, coordenador da Demografia Médica, corroboram estudo sobre o tema publicado na revista científica British Medical Journal em 2019. O trabalho mostrou que a desigualdade de renda a favor dos médicos permaneceu mesmo após ajustes de variáveis, como especialidade, carga horária, anos de formado e local de trabalho.

 

"A feminização na medicina é só um fenômeno quantitativo, não quer dizer maior igualdade de gênero. A presença feminina está aumentando, mas isso não se reflete em igualdade de salários ou de maior presença no corpo docente das faculdades, nas entidades representativas e nos cargos de lideranças administrativas dos grandes hospitais", diz Scheffer. Na próxima terça (10), o Sindicato dos Médicos de São Paulo lança uma campanha a favor da igualdade salarial.

 

Segundo a infectologista Juliana de Carvalho, 35, secretária de assuntos jurídicos do sindicato, a proposta é que o tema esteja em todas as negociações com os empregadores. "Além de menores salários, as mulheres sofrem com a precarização do trabalho. Com a 'pejotização' das equipes, não têm férias, não têm licença-maternidade", diz ela, mãe de dois filhos e que trabalha 40 horas semanais em serviços públicos e privados.

 

Para ela, a sobrecarga de trabalho é um dos fatores que levam muitas médicas a não buscar cargos associativos. Não há um levantamento oficial da participação de mulheres nesses cargos, mas basta olhar os sites das principais entidades médicas para notar as discrepâncias. Tanto no CFM (Conselho Federal de Medicina) quanto na AMB (Associação Médica Brasileira), a presidência e todas as vice-presidências são ocupadas por homens.

 

As mulheres figuram a partir da secretaria-geral. No CFM, dos 11 cargos da diretoria, três são ocupados por mulheres. Atualmente, elas representam um quarto dos conselheiros médicos no país. Para Dilza Teresinha Ambrós, secretária-geral do CFM, uma maior participação de médicas nas diretorias dos conselhos é só uma questão de tempo. "Ainda é pouco, mas temos avançado bastante." A composição da nova diretoria da centenária ANM (Academia Nacional de Medicina) é ainda mais discrepante. Todos os 15 integrantes, empossados na última terça (3) para o biênio 2020-2021, são homens.

 

"É inegável a necessidade de termos mais mulheres ocupando posições de destaque. Mas elas também precisam buscar essas oportunidades, se candidatarem", afirma o oftalmologista paulista Rubens Berfort Filho, primeiro médico fora do Rio de Janeiro a assumir a presidência da ANM. A cirurgiã Angelita Habr-Gama e a psiquiatra Carmita Abdo são algumas das médicas pioneiras em entidades representativas de suas áreas. Gama presidiu as sociedades brasileira e latino-americana de coloproctologia e o Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva. Abdo foi a primeira mulher a ocupar a presidência da ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), entre 2017 e 2019, e é secretária-geral da Associação Médica Brasileira.

"Eu nunca pleiteei a vida associativa, ela foi uma consequência da minha carreira acadêmica. Eu pertenço a alguns colegiados há muito tempo, mas uma coisa maior, como a presidência da ABP, só aconteceu na sexta década da minha vida", diz Abdo, 70.

 

Segundo ela, é preciso vocação para ocupar cargos de liderança que exigem dedicação extra e, muitas vezes, colocam a pessoa numa posição solitária. "Você tem que tomar decisões, resolver impasses e diferenças. Entendo que muitas pessoas, homens e mulheres, não queiram isso." Uma das experiências que mais a agradou durante a gestão ABP foi a oportunidade de conhecer de perto a realidade da psiquiatria no país e receber muitas manifestações de carinho e respeito. "As meninas diziam: 'você é minha inspiração'. Fiquei emocionada."

 

A psiquiatra afirma que nunca se sentiu discriminada ou desvalorizada dentro da medicina por ser mulher. "Nunca esperei menos. A gente pode e deve perseguir o que deseja. Mas precisa ter a autoestima no lugar." Pioneira em cirurgia na USP, Angelita Gama driblou 'nãos' Primeira mulher titular em cirurgia da USP, a primeira a ser aceita pela sociedade americana de cirurgia e a primeira premiada pela sociedade europeia de cirurgia. Desde 1952, quando entrou na Faculdade de Medicina da USP, aos 19 anos, Angelita Gama coleciona pioneirismos.

 

Neste domingo (8), a médica lança a biografia "O não não é resposta" (DBA Editora), escrita por Ignácio de Loyola Brandão. Na obra, ela relata as barreiras enfrentadas e as realizações na área cirúrgica, ainda hoje uma das com menor número de mulheres.

"O primeiro não que eu ouvi foi dos meus pais quando optei pela medicina e eles queriam que eu fosse professora como minhas irmãs. Depois, quando decidi pela cirurgia, o chefe da residência disse que era melhor eu ir para a área clínica, que a cirurgia era para homens. Fui em frente, prestei concurso e passei." Quando decidiu pela especialidade de coloproctologia voltou a enfrentar resistência. Após conseguir uma bolsa para estagiar em um hospital de Londres especializado em cirurgias colorretais, foi barrada inicialmente sob o argumento de que a instituição só aceitava homens. "Fui a primeira mulher a estagiar lá."

 

Ao entrar para o mercado de trabalho, as coisas se tornaram mais simples, segundo ela. "Sempre trabalhei em pé de igualdade, no mesmo nível de trabalho dos homens, ou até mais", afirma. Casada há 56 anos com o também cirurgião Joaquim Gama, a médica diz que continua bem humorada e satisfeita com a vida, operando no mesmo ritmo de antes. "Levanto às 6h da manhã e só volto pra casa à noite. Felizmente, tenho uma saúde muito boa, uma resistência física excelente. Aguento firme o meu trabalho em pé de igualdade com meus colegas até mais jovens."

 

Para ela, que não tem filhos, as mulheres são tão boas quanto os homens no exercício profissional, mas, quando se tornam mães, tendem a dedicar um tempo menor à carreira e também enfrentam mais dificuldades para assumir cargos associativos. "Em geral, as funções da maternidade acabam se tornando prioritárias para as mulheres. Eu nunca tive vocação maternal, mas sempre tive muita vocação para operar. Descobri muito cedo o meu dom."

No Dia Internacional da Mulher, conheça espaço dedicado a elas no Bahia Notícias
Foto: Reprodução

No Dia Internacional da Mulher o Bahia Notícias, por meio da Editoria Mulher, parabeniza todas baianas e brasileiras. O espaço vem contando cases de sucesso, divulgando matérias e dando visibilidade às mulheres que fazem acontecer em suas diversas áreas. Subdividido em temas como Moda, Decoração, Bem Estar, Empreendedorismo, Blogando e Entrevistas, o BN Mulher a cada dia vem conquistando mais leitoras e seguidoras no instagram @bahianoticiasmulher.


O BN Mulher foi idealizado e tem como editora a jornalista Iga Bastianelli, que tem especialização em Comunicação Empresarial com ênfase em Marketing e Jornalismo de Moda. Depois de morar sete anos na África, onde trabalhou como editora chefe do Programa Revista África da Globo Internacional e como coordenadora voluntária de projetos sociais, aprendeu sobre o poder de realização que as mulheres podem ter quando estão unidas em um propósito. De volta a Salvador, a jornalista percebeu a carência de um espaço editorial na Bahia.

 

“Há quase três anos o Bahia Notícias saiu na frente e de forma inédita lançou a primeira editoria do estado focada no público feminino. As Mulheres tem um espaço próprio aqui no Bahia Notícias”, disse o diretor Ricardo Luzbel. 

 

De acordo com a editora Iga Bastianelli os desafios ainda são grandes: “Continuamos a semear e apoiar as mulheres na expectativa que possamos nos fortalecer. Já entrevistamos muitas pessoas que contribuem com as novas gerações como referência. E cada vez mais a lista aumenta. Isso prova que as mulheres incorporaram o desafio e estão dispostas a continuar mudando a realidade ao seu redor”, afirmou.

Se você já conhece o Bahia Noticias Mulher continue acessando e compartilhando, se não conhece confira! Para saber como ter sua marca associada ao BN Mulher tire suas dúvidas com nossa editora igabastianelli@bahianoticias.com nosso setor comercial, pelo e-mail bruno@bahianoticias.com.br.

8 de março: advogada destaca leis e avanços sobre o direito da mulher

 

O 8 de março é um dia repleto de história. Traçando uma linha do tempo pelas passeatas na cidade de Nova York em 1909, reivindicação do voto feminino em 1910, a manifestação das operárias russas em 1917 e o cartaz símbolo do feminismo “We Can Do It!” em 1943, a oficialização do Dia Internacional da Mulher só veio a acontecer mesmo em 1975 pela ONU. 

 

Apesar da data possuir o teor marcante do 8 de março de 1917, onde cerca de 90 mil operárias russas protestaram contra o czar Nicolau II, em detrimento das condições precárias de trabalho, o Dia Internacional da Mulher expressa toda a trajetória de lutas pela igualdade de direitos e representatividade, dramas vividos até hoje pelas mulheres. 

 

No Brasil, o ambiente patriarcal—propulsor de práticas machistas—cultivou raízes em cenários urbanos e rurais desde o século 16. Desde então, os lentos avanços para a desconstrução do machismo vieram através de bases educacionais, em paralelo aoestabelecimento de leis. 

 

Segundo a advogada criminalista Rebeca Matos, os avanços na legislação, apesar de escancarados — Lei 9.504/97 das Eleições; Lei 11.340/06 Maria da Penha; Lei 12.737/12 Carolina Dieckmann; Lei 13104/15 do Feminicídio e a mais recente Lei 13.718/18 da Importunação Sexual—evidenciam um cenário reativo e de jurisdição tardia.

 

“Foi um trabalho bem árduo ao longo do tempo conseguir o espaço que nós mulheres temos hoje, ainda que insatisfatório. Vivemos em um país extremamente machista, o que torna incabível precisar acontecer uma tragédia, para assegurar direitos intrínsecos às mulheres. Foi assim com Maria da Penha, Carolina Dieckmann e tantas outras que não tiveram seus nomes escritos na lei”, lamenta a perita. 

 

Justificando seu discurso em dados, Rebeca atenta para levantamentos feitos em 2018: Instituto Datafolha—Uma em cada quatro mulheres brasileiras acima de 16 anos foram vítimas de agressão?—?Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)—Valor médio da hora trabalhada é de R$ 13 para mulheres, enquanto homens ganham R$ 14—e Alto Comissariado das Nações Unidas para Direitos Humanos (ACNUDH)— Brasil ocupa 5º lugar no ranking mundial de feminicídio.

 

Mesmo a legislação se fortalecendo ao redor das mulheres nas últimas três décadas contra atos como: apalpadas; assédios; beijos forçados; violências física, psicológica e patrimonial; “mão boba”; feminicídios e exposição de imagem na web sem autorização, Rebeca afirma que esse grupo ainda sofre discriminação em diferentes níveis.

 

Para a advogada, os avanços nos direitos da mulher podem ser mensurados em uma balança. “Apesar do direito ao voto, trabalho, endurecimento de penas, entre outros direitos assegurados, a balança ainda desequilibra para o lado do preconceito e do machismo.”, conclui. 

 

 Empresas abertas por mulheres cresce 118% no último ano 

 Que o mercado de trabalho empreendedor cresce em um ritmo acelerado não é segredo para ninguém - o Brasil atingiu a marca de 52 milhões de brasileiros em idade produtiva desempenhando algum tipo de atividade empreendedora no início de 2019, segundo o Global Entrepreneurship Monitor (GEM). O que a Contabilizei, um dos maiores escritórios de contabilidade do país e o pioneiro a oferecer os serviços 100% online mostra ao analisar sua base de clientes, é que a mulher tem papel definitivo nesse crescimento. 

Só em 2019 o número de empresas abertas por mulheres cresceu 118% quando comparado ao número de 2018, segundo dados da startup. Dados do Sebrae reforçam a representatividade feminina no mercado empreendedor - o último número divulgado mostra que já são 24 milhões de mulheres empreendedoras no Brasil. "O crescimento ano após ano do número de mulheres proprietárias dos seus negócios demonstra não só o fim definitivo do mito de que empreender é coisa de homem, mas que nós, mulheres, somos uma força essencial para o crescimento do cenário empreendedor brasileiro", comenta Marihelen Santos, gerente de sistemas da Contabilizei. 

Quando os dados da empresa são analisados sob o ponto de vista regional, os estados do Rio de Janeiro e do Paraná são destaque, com 27% e 25% de mulheres à frente dos seus negócios, respectivamente. Outro dado interessante é de que as empreendedoras dominam o segmento de comércio - seja em e-commerces ou lojas físicas -, representando 39% das empresas ativas da Contabilizei. 

 

Sábado, 07 de Março de 2020 - 08:05

Barra Mulher homenageia personalidades baianas

por Iga Bastianelli

Barra Mulher homenageia personalidades baianas

O Shopping Barra revelará os nomes das 10 mulheres com relevância na sociedade baiana em diversos campos de atuação, seja social, artístico, científico ou profissional. O Barra Mulher acontecerá no próximo dia 11 de março, quarta-feira, a partir das 19h, na Praça Central Euvaldo Luz. Pelo segundo ano consecutivo, o público também pôde participar ativamente das indicações, pela internet, sugerindo nomes de mulheres que se destacaram na Bahia para concorrer à premiação.


“Essa noite de homenagens é sempre uma festa marcada pela emoção. Reunimos mulheres tão fortes e representativas, com histórias de luta, sem deixar de lado a delicadeza e o charme inerentes à mulher da Bahia”, afirmou Karina Brito, gerente de Marketing do Shopping Barra. A principal proposta do Barra Mulher é valorizar o papel feminino, reconhecendo os talentos que espalham felicidade, profissionalismo, competência e dedicação nos seus mais variados segmentos. O corpo de jurados é composto por formadores de opinião, entre jornalistas, artistas, profissionais liberais renomados, entre outros.

O Barra Mulher já premiou mulheres de diversos setores da sociedade, como as cantoras Ivete Sangalo, Daniela Mercury e Margareth Menezes, as escritoras Mabel Veloso e Myriam Fraga, a historiadora Consuelo Pondé, a líder religiosa Mãe Stella de Oxóssi, a designer Goya Lopes, entre muitas outras. O troféu da premiação é inspirado na divindade feminina, idealizado pelo designer Ray Vianna. A imagem representa elegância, altivez, respeito e coragem.

Sexta, 06 de Março de 2020 - 16:05

Reflexão de uma líder: "O papel das empresas para equidade de gênero"

por Paula Castro

Reflexão de uma líder:

 

No mês de comemoração ao Dia Internacional da Mulher, é impossível não refletir sobre os avanços feitos na representatividade feminina no mercado de trabalho. Ainda assim, há muitos desafios que estão diante de nós para alcançar níveis mais altos de equidade nos espaços majoritariamente masculinos.

Sabemos que, no Brasil, as mulheres são grande parte da força de trabalho, mas os números relacionados ao poder feminino em cargos de chefia precisam melhorar. O perfil das mulheres de hoje é muito diferente daquele do começo do século.

Chamo atenção sobre isso como alguém que reconhece que ocupa uma posição por tanto tempo masculinizada. Como líder de uma operação de manufatura em uma multinacional como a Bayer, uma indústria química, seria mais rápida a associação a um representante masculino, e não o inverso. No entanto, as mulheres estão construindo um futuro mais igualitário, então torna-se cada vez mais importante o apoio de empresas responsáveis e conscientes, para dar espaço à competência de seus colaboradores sem a preocupação com o gênero.

Minha trajetória profissional sempre me levou para a indústria. Escolhi fazer um curso de Engenharia, onde mais uma vez a maioria é masculina, e desde que saí do colégio técnico, trabalhei com grupos e times majoritariamente formados por homens. Posso dizer que nunca me senti intimidada por isso. Talvez porque, dentro de casa, na educação que recebi de minha mãe Sonia, eu já sabia que precisaria me impor e lutar para ganhar meu espaço, pois ela também fez o mesmo. Eu trabalhava durante o dia, estudava à noite e me inspirava nas poucas mulheres que me rodeavam naquela época, há 20 anos, para seguir e fazer escolhas profissionais.

Hoje aos 38 anos de idade, olho para a minha jornada e me encho de orgulho e gratidão. Orgulho pelas conquistas do trabalho e pela minha vida pessoal. E gratidão por ter encontrado, no meio desse caminho, empresas e líderes que acreditaram no valor da inclusão e diversidade, me permitiram ser quem eu sou. Como mulher e executiva, entendo a minha responsabilidade em contribuir para políticas e práticas mais justas e encorajar outras mulheres a construir suas próprias jornadas de sucesso e felicidade.

Paula Castro é líder de HSE (Saúde, Segurança e Meio Ambiente) para as operações de Manufatura de Sementes na Bayer de Camaçari

 

No mês de março Hospital da Mulher estimula doação de cabelo em campanha 'Fio Solidário'
Foto: Divulgação

Durante o mês de março, em que se celebra o Dia Internacional da Mulher, o Hospital da Mulher realiza a campanha “Fio Solidário”, que tem como lema “Corte o cabelo, doe amor”. Através da ação, todas as quintas-feiras deste mês a unidade de saúde vai oferecer serviço de cortes de cabelo e confecção de perucas destinadas às pacientes oncológicas do hospital.

 

Além da possibilidade de mudança de visual, as mulheres participantes poderão proporcionar a outras mulheres elevação da autoestima de outras. Para participar da campanha, basta comparecer às quintas-feiras ao hospital, localizado no Largo de Roma, em Salvador, a partir das 8h. Para a confecção da peruca, é necessário doar no mínimo 20 centímetros de cabelo.

 

Além da campanha ‘Fio Solidário’, a unidade também promoverá, durante o mês, ações de beleza e autocuidado com sessões de maquiagem, distribuição de lenços, musicoterapia e apresentações artísticas.

 

“A escolha pelo mês de março se deu justamente por ser um mês especialmente dedicado às mulheres e sem dúvida esse gesto de amor e carinho vai trazer de volta a esperança e o sorriso de muitas das nossas mulheres” garante a presidente da Comissão de Humanização do Hospital da Mulher, Patrícia Santana.

Quarta, 04 de Março de 2020 - 09:05

Março Amarelo chama atenção para a endometriose

Março Amarelo chama atenção para a endometriose

  

A campanha do Março Amarelo é o ponto de partida para chamar a atenção para um problema mais comum do que se imagina, a endometriose. A doença já atinge 176 milhões de mulheres ao redor do mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil são sete milhões de mulheres que sofrem com a doença. E o pior: 10% a 15% das mulheres brasileiras que são acometidas pela endometriose estão em idade reprodutiva.

 

A endometriose ocorre quando o endométrio, a mucosa que reveste a parede interna do útero – e que é eliminada durante a menstruação - ao invés de ser expelido para fora do corpo, acaba indo no sentido contrário e alcançando a cavidade abdominal ou mesmo os ovários.

 

O grande problema, segundo especialistas, é que ainda existe uma demora muito grande no diagnóstico da doença. Muitas vezes porque, como os sintomas são semelhantes aos da menstruação, como dores e cólicas, as mulheres não se atentam.

 

“É fundamental que a mulher esteja atenta aos mínimos sinais em seu corpo. Quanto antes for descoberta e tratada menores serão as implicações que a endometriose pode vir a ocasionar”, explica a médica  Genevieve Coelho. Vale ressaltar que a endometriose é uma doença grave, mas que se descoberta cedo, tem tratamento e pode não causar sequelas.

 

Quanto mais atentas aos sinais que a endometriose vai emitindo, maiores as são as chances de uma descoberta breve e também se reduz a possibilidade de ela evoluir para a grave consequência da infertilidade.

O assunto está tão em voga que a Dra. Genevieve Coelho fará uma palestra sobre Endometriose no Ministério Público da União, em Salvador, no próximo dia 12 de março. O evento é direcionado para servidoras do órgão.

Segunda, 02 de Março de 2020 - 21:00

Cientista que sequenciou genoma do coronavírus em apenas 48h é baiana

por Bruno Leite / Mari Leal

Cientista que sequenciou genoma do coronavírus em apenas 48h é baiana
Foto: Reprodução / Facebook

A cientista Jaqueline Goes de Jesus, umas das responsáveis pelo sequenciamento do genoma do primeiro caso de coronavírus na América Latina-Brasil no prazo recorde de 48h, é baiana. A soteropolitana tem graduação em Biomedicina, mestrado em Biotecnologia e doutorado em Patologia. 

 

Em sua conta no Instagram, ao falar sobre o resultado da pesquisa e a repercussão positiva do feito, Jaqueline agradeceu pelo carinho recebido e disse estar "muito feliz". "Acostumada apenas com a repercussão dentro do meio científico, ainda estou tentando aterrissar nesse milhão de mensagens de parabéns e agradecimento. Muito obrigada pelo carinho de todos vocês: familiares, amigos e pessoas que ainda não conheço. Mas não poderia deixar de enfatizar que não estou sozinha nessa jornada. Tudo é fruto do trabalho incansável de uma equipe extremamente dedicada da qual faço parte", destacou. 

 

A formação de Jaqueline conta com passagem pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e tecnologia da Bahia (IFBA).

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Tenho recebido incontáveis notificações de compartilhamento, menções e tags sobre a divulgação do nosso trabalho na publicação da primeira sequência do Coronavírus na América Latina. Fico muito feliz que nosso alcance tenha ido tão longe. Acostumada apenas com a repercussão dentro do meio científico, ainda estou tentando aterrissar nesse milhão de mensagens de parabéns e agradecimento. Muito obrigada pelo carinho de todos vocês: familiares, amigos e pessoas que ainda não conheço. Mas não poderia deixar de enfatizar que não estou sozinha nessa jornada. Tudo é fruto do trabalho incansável de uma equipe extremamente dedicada da qual faço parte. Por isso gostaria que vocês os conhecessem também. São pessoas que não saíram na mídia, mas sem as quais nada disso seria possível! Este trabalho foi realizado no Instituto Adolfo Lutz em colaboração com o @caddecentre. Meus parabéns ao Dr. Claudio Sacchi, do Laboratório Estratégico do IAL, figura importantíssima nesse processo. E aos meus supervisores Ester Sabino e Nuno Faria. Nesta imagem vocês podem ver Dra Claudia Tavares e Dr Claudio Sacchi do Instituto Adolfo Lutz. Parabéns a todos! #fapesp #mrc

Uma publicação compartilhada por Jaque Goes (@jaque.gj) em

Estudo revela: Instagram supera, pela primeira vez, número de usuários do Facebook

 

A Socialbakers, plataforma em soluções para otimização de performance corporativa em redes sociais, revela em novo estudo que pela primeira vez o Instagram superou o número de usuários do Facebook. 

O total de interações no Instagram foi ainda quase 20 vezes maior do que no Facebook. Conclusões do novo relatório Social Media Trends Report Q4 2019 da Socialbakers foram feitas com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo. 

“A escrita está na parede já há algum tempo, mas agora é oficial. Quando se trata dos 50 maiores perfis de marcas, o Instagram tem um público maior que o Facebook”, afirma Yuval Ben-Itzhak, CEO da Socialbakers. 

No Brasil, os principais perfis de grandes marcas estão dividindo seu conteúdo entre o Facebook e o Instagram, mas estão vendo significativamente mais interações no Instagram. Já o tamanho da audiência para esses perfis permanece menor que no Facebook. 

As principais marcas publicaram mais postagens no Facebook, mas o engajamento nessas postagens não atingiram os números alcançados no Instagram. O estudo foi feito com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo e no Brasil, entre outubro e dezembro de 2019. 

Por aqui, no Instagram, a Netflix Brasil que possui 16,8 milhões de seguidores foi ainda a marca com maior engajamento nessa rede social com 20 milhões de interações com só 122 postagens. 

Outras marcas que se destacaram no Instagram foram Lojas Americanas, com 18,5 milhões de interações em 1882 postagens, Hotel Urbano, com 12,8 milhões de interações e 1915 postagens, Grão de Gente, com 4,5 milhões de interações em 807 postagens, e Arezzo, com 3,5 milhões de interações em 289 postagens. 

Já no Facebook, com 12,8 milhões de seguidores, o Hotel Urbano foi a marca com maior engajamento nessa rede social, superando a marca de 10,4 milhões de interações com 2507 postagens. 

Outras marcas que se destacaram no Facebook foram Salon Line, com 4,4 milhões de interações com 181 postagens, Havan, com 3,8 milhões de interações em 533 postagens, Netflix, com 3,5 milhões de interações em 195 postagens, e To de cacho, com 3,4 milhões de interações e 163 postagens. 

O estudo revelou ainda que apesar das tentativas de atrair consumidores durante a temporada de festas, as interações relativas das postagens no Instagram e no Facebook foram menores no quarto trimestres de 2019 do que no ano anterior. 
Indicando que as marcas precisam ser mais inteligentes sobre o conteúdo que publicam e se concentrar no conteúdo de alta qualidade em volumes menores para aumentar o envolvimento. 

Quinta, 27 de Fevereiro de 2020 - 21:05

Exagerou na folia? Especialistas sugerem detox, dieta e noites de sono

por Iga Bastianelli

Exagerou na folia? Especialistas sugerem detox, dieta e noites de sono

 

 

O Carnaval é com certeza um dos feriados mais esperados pelos brasileiros e sabemos que fins de semana prolongados, como este, são um convite aos excessos, não é mesmo? É normal que as pessoas deixem de lado seus hábitos saudáveis, exagerem na ingestão de alimentos gordurosos, doces e álcool.

 

Agora que o feriado acabou, você não sabe como voltar à rotina? Esse é o momento de redefinir suas metas, adotar estratégias certeiras para retomar o foco, seguindo uma alimentação balanceada e retomando a prática de exercícios físicos. 

 

De acordo com estudo inédito realizado pelo Vigilantes do Peso com mais de 1.500 brasileiros, 79% das pessoas alegam ter emagrecido e voltado a engordar por não conseguir manter os métodos usados. "O efeito sanfona consiste na volta do organismo ao peso anterior e ocorre justamente porque as dietas são generalizadas e não levam em consideração as características individuais", explica o Nutricionista do Vigilantes do Peso, Matheus Motta. 

 

Para não se deixar impactar pelo Carnaval, confira cinco dicas inspiradas no estudo publicado pela Revista Obesity. 

Metas diárias de ingestão de alimentos: Que tal aproveitar o momento e escolher quais produtos irá consumir ao longo do dia. A forma de estabelecer objetivos pode influenciar a probabilidade de alcançá-los.

Anote tudo o que consumir: Esse processo acontece devagar e é uma das maneiras mais eficazes para emagrecer.

Coma mais frutas e legumes: Consumir um prato repleto de frutas, legumes e verduras coloridas faz bem para a saúde e acaba proporcionando a perda de peso.


De acordo com Jessica Santos, nutricionista da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, é importante voltar o mais rápido possível à rotina:

hidratação
A água é a principal aliada para evitar desidratação, problemas de digestão e inchaço pós-folia. Além de beber os dois litros de água por dia, também é possível optar por  sucos integrais ou naturais e até água saborizada com frutas. 

Reduza o consumo de alimentos gordurosos
“Comidas ricas em gorduras trans e sódio podem interferir no bom funcionamento do intestino, causando a sensação de inchaço.

Inclua mais frutas no dia a dia  
Abacaxi, melancia e melão são algumas opções de frutas que facilitam a eliminação de toxinas do organismo, além de serem pouco calóricas e ajudarem na digestão.

Adotar outros hábitos saudáveis 
outra recomendação é descansar, respeitando as oito horas de sono necessárias para a recuperação do corpo.

A Consultora do Sono da Duoflex, Renata Federighi, explica como os foliões podem recuperar as forças após dias intensos de comemoração que causam um acumulo de cansaço. 

"Pequenas medidas já são suficientes para revigorar o corpo e a mente. A recuperação do sono deve ser feita de forma gradual e a longo prazo para restaurar o padrão natural. Por isso, é indispensável respeitar a rotina do sono e evitar exageros", explica a especialista. 

Sono de Qualidade

Os horários irregulares de sono devem ser reajustados para que as fundamentais 7/8 horas bem dormidas sejam asseguradas. Para isso, é necessário um ambiente calmo, escuro, bem arejado e confortável. "Colchão e travesseiros corretos são indispensáveis. O primeiro deve ser macio o suficiente para deitar sem afundar, já o travesseiro deve sustentar a cabeça e alinhar a coluna". A posição mais indicada para dormir é a lateral com os joelhos semiflexionados e, de preferência, com um travesseiro entre eles.

7 em cada 10 solteiros acreditam que é possível encontrar um amor verdadeiro no carnaval!

 

Passou o carnaval e o relacionamento da folia vai continuar? Pesquisa mostra que o “amor de folia” também pode render uma grande história. Ao menos, muitas pessoas estão dispostas a mudar o status para relacionamento sério também no carnaval. É o que revela uma pesquisa realizada com 3.475 pessoas pelo The Inner Circle, aplicativo que tem como foco incentivar as pessoas a se conectarem na vida real. 


A grande maioria (97,7%) dos solteiros afirmaram que estão abertos a conhecerem pessoas no carnaval, e 69,1% ainda concordam que é possível encontrar um amor verdadeiro. 
 

Outra boa notícia é que 69,9% dizem utilizar os apps de relacionamento durante as festas, o que aumenta as chances de sair do carnaval em ótima companhia. Muitos (37,4%), inclusive, já se apaixonaram no carnaval, e 42% afirmaram que o “lance” carnavalesco chegou a se tornou um romance sério. Os solteiros deram algumas dicas das três principais características que mais observam: 63,5% são mais atraídos pela beleza, 62,2% pela conversa, 57,5% pelo senso de humor, 50,9% pela espontaneidade e 38,5% pela sensualidade. 


O levantamento contou com a participação de 46% de mulheres e 53,7% homens, com idades entre 31 -- 40 anos (43,9%); 21 -- 30 anos (29,4%); e entre 41 -50 anos (21,4%). O olho no olho faz toda a diferença para perceber se o crush pode mesmo se tornar um amor pra vida toda!
“Essa pesquisa nos surpreendeu positivamente por saber que as pessoas estão de coração aberto para encontrar um amor no carnaval”, comenta David Vermeulen, fundador e CEO do The Inner Circle. 

Sábado, 22 de Fevereiro de 2020 - 07:05

Reflexões da Advogada: "Mas é carnaval", "Foi só um beijinho": #Nãotemdesculpa

por Paula Krempser

Reflexões da Advogada:

Salvador realiza uma das festas mais esperadas do ano. Os sorrisos estampados nos rostos traduzem a alegria dos foliões em curtir os quase 10 dias de festa ao som de bandas afamadas, com diversos gêneros musicais.

 

Como diz Leo Ribeiro, “Vamos cantar, dançar, pular, correr atrás do trio... Vamos brincar, azarar, namorar, cair na folia”, porém, não esqueçamos que o assédio sexual contra foliãs e foliões desde 2018, com a entrada em vigor da Lei nº 13.718, criminaliza os atos de importunação sexual e divulgação de cenas de estupro, nudez, sexo e pornografia, condicionando a pena para as duas condutas em prisão de 1 a 5 anos, mais dura do que para homicídio culposo (sem intenção de matar), cuja pena é de 1 a 3 anos.

 

A importunação sexual foi definida em termos legais como a prática de ato libidinoso contra alguém sem a sua anuência “com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro". Vale destacar que este tipo de crime foi inserido no Código Penal atual no Título VI - Dos crimes contra a dignidade sexual, Capítulo I - Dos crimes contra a liberdade sexual, artigo 215-A, deixando claro que o Poder Legislativo consagrou que o “pudor” não se relaciona mais com a “dignidade sexual”, como ocorria no código de 1940. Mas a proteção desse “pudor público” ainda não foi afastada completamente, visto que se mantiveram os crimes de ato obsceno e objeto obscenocomo dispostos nos artigos 233 e 234 do Código Penal.

 

O crime de importunação sexual, como acima tipificado, tem como bem jurídico protegido a liberdade sexual dos cidadãos, ou seja, seu direito de escolher quando, como e com quem praticar atos de cunho sexual. É crime comum, ou seja, pode ser praticado por qualquer pessoa, seja do mesmo sexo ou gênero, e a vítima também pode ser qualquer pessoa, com exceção a condição de vulnerável, que não impede seu enquadramento do fato à norma, desde que não haja contato físico.

 

O elemento subjetivo sempre será o dolo direto e especial, tal seja vontade dirigida à satisfazer do próprio despudor, libidinagem, ou de terceiros, não bastando o simples toque ou “esbarrão” na pipoca ou no bloco, por exemplo. Deve ser ato doloso capaz de satisfazer a lascívia do agente e ofender a liberdade sexual da vítima ao mesmo tempo. O momento consumativo será com efetiva prática do ato libidinoso, admitindo tentativa, como por exemplo, tentar “passar a mão” nas partes íntimas de alguém no ônibus, na pipoca ou no bloco e ser impedido por populares.

 

Assim, como estamos em um período festivo, onde diversas vezes o efeito do álcool traz perigo aos dias de folia, dando falso empoderamento, ao passo que tem alguns a acharem que a festa em si trás subterfúgios para justificar o assédio com os famosos dizeres: "achei que ela queria", "mas foi só um beijinho", "é carnaval", e "foi o álcool", como assevera a importante campanha do Governo Federal cujo tema é "Assédio é Crime. #Nãotemdesculpa", bem como a ação “Não é Não” que ganhou visibilidade em todo o país em 2017 e chegou na Bahia em 2018, o limite e o conhecimento da lei são fatores importantíssimos para o melhor aproveitamento do Carnaval.

Celebrem a alegria neste Carnaval com todo o respeito e dignidade que qualquer cidadão merece! Bom Carnaval à todos!

Advogada, sócia do Escritório Paula Krempser Advocacia & Assessoria Jurídica, Especialista em Direito Civil, atuante nas áreas de obrigações e contratos e Direito de Família, Especialista em Direito Administrativo com ênfase em Licitações e Contratos Administrativos, Ex-assessora parlamentar da Câmara Municipal de Salvador, Ex-assessora jurídica da Comissão Permanente de Licitação da Secretaria Municipal de Educação de Salvador, Ex-assessora jurídica da Diretoria de Planejamento, Orçamento e Finanças da Secretaria Municipal de Educação de Salvador, Ex-Assessora jurídica da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, Assessora jurídica da Diretoria Administrativa e Financeira da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza de Salvador.

Quarta, 19 de Fevereiro de 2020 - 17:05

Nutricionistas falam para o BN Mulher como se alimentar durante os dias de folia

por Iga Bastianelli

Nutricionistas falam para o BN Mulher como se alimentar durante os dias de folia

 

 

Além da fantasia é fundamental cuidar da alimentação durante os dias de folia. Para isso uma hidratação e alguns cuidados são essenciais. 

O período de Carnaval é uma época onde os foliões gastam muita energia e podem perder bastante líquido. Para isso o foco é não deixar de fazer uma alimentação equilibrada e ingestão adequada de água. “Para aqueles que vão passar o dia fora de casa, devem realizar uma boa refeição com quantidade de proteínas magras, gorduras saudáveis como azeite, castanhas e abacate, carboidratos integrais”, explicou a nutricionista paulista Adriana Stavro . 

De acordo com ela outra boa dica é levar pequenos lanches para serem consumidos ao longo do dia, uma estratégia para não correr o risco de hipoglicemia.

 
     

Já para Cristiane Hanashiro, nutricionista da Beneficência Portuguesa de São Paulo é recomendável ter um café da manhã reforçado com frutas, fibras e cereais, ovos, pão integral e vitaminas de frutas", explica 

 

Segundo ela é importante evitar comer em lugares inadequados para não correr o risco de ter uma intoxicação alimentar", salienta e especialista. 

 

Mantenha-se hidratado 

A hidratação do corpo é indispensável e, por isso, a ideia é consumir líquidos como suco de frutas naturais, água e água de coco para suprir as necessidades de hidratação. 

 

Alimentos para dar disposição 

Nutricionista da Bio Mundo lista as melhores comidas apara se incluir no cardápio do folião 

• Castanhas: fonte abundante de energia e sais mineiras, além de serem snacks práticos e saudáveis para levar na bolsa. "Oferecem ômega 3 e 6, vitamina E e fotoquímicos. Pequenas porções são extremamente nutritivas", explica a especialista. 

• Melancia: fruta rica em água, essencial para manter a boa hidratação. Além de ser fonte de minerais como magnésio e potássio e vitaminas A e C. 

• Gengibre: poderoso digestivo e auxilia contra mal estar e enjoo. Dica: suco de melancia com gengibre. 

• Ovo: Um café da manhã reforçado para quem deseja um dia inteiro de energia deve ter ovo incluso, já que o alimento é rico em proteínas. "Combinar com uma fatia de queijo branco, por exemplo, torna a refeição ainda mais saborosa e completa", sugere a profissional. 

Segunda, 17 de Fevereiro de 2020 - 09:05

Os melhores modelos de sapatos para curtir os dias de folia com conforto e estilo!

por Iga Bastianelli

Os melhores modelos de sapatos para curtir os dias de folia com conforto e estilo!

 

Bloquinhos, escolas de samba, festas, cores e muito brilho! Carnaval é a época de elaborar looks criativos, sem esquecer do conforto, principalmente na hora de escolher o sapato ideal para compor o estilo!

A Bebecê selecionou modelos democráticos e cheios de movimento, para conquistar o coração e os pés das foliãs! Se você for da turma que não dispensa um glamour, o bom e velho salto é ponto alto da folia, mas sempre com muito conforto!

O clássico dos anos 90 e queridinho das consumidoras volta ao portfólio de Zaxy em um combo exclusivo. Para aproveitar a folia sem preocupações, a Zaxy Be Yourself traz uma minibag perfeita para carregar tudo o que é necessário durante as festas, podendo ser usada de 5 formas diferentes. A sandália está disponível em preto, transparente e prata com glitter, fazendo par com as bolsas azul, roxa e laranja, respectivamente.

Procurando o tênis ideal para cair na folia?


A Skechers, reconhecida por criar os tênis mais leves e confortáveis do mercado, apresenta modelos ideais para montar looks práticos e aproveitar a folia com segurança e tranquilidade! Confira:

 

Quinta, 13 de Fevereiro de 2020 - 10:05

Motivação ajuda a perder até 5x mais peso, aponta estudo!

 Motivação ajuda a perder até 5x mais peso, aponta estudo!

Todo mundo sabe que para perder peso de forma saudável e duradoura é necessário adotar novos hábitos, mudar a dieta e praticar atividade física regularmente. Mas, sabemos que mesmo para as pessoas que já estabeleceram uma rotina, encontram dificuldades em se adaptar a novo esse processo. 

 

De acordo com estudo científico publicado pelo International Journal of Obesity, a falta de incentivo pode prejudicar diretamente o emagrecimento. A pesquisa aponta que a motivação é um fator importantíssimo na luta contra a balança, podendo potencializar em até cinco vezes a perda de peso. 

 

O Nutricionista do Vigilantes do Peso, Matheus Motta, ressalta que para se manter focado é importante encarar a realidade com leveza, vivendo um dia de cada vez e sabendo tirar lições das adversidades. "A jornada para emagrecer é um processo que exige disciplina e força de vontade". 

 

Brunno Chagas é um bom exemplo disso. Associado do Vigilantes do Peso, o arquiteto conseguiu perder 25 kg em aproximadamente um ano com a ajuda do programa e da prática de atividade física. "Desde a infância sempre tive problemas com o excesso de peso e tinha dificuldade de emagrecer. Imaginava todos os dias como gostaria de estar, mas não sabia por onde começar. Foi aí que decidi mudar meus hábitos para perder peso com saúde". 

 

Confira quatro passos que vão ajudar a ter mais motivação: 

 

Mantenha o Foco: Se essa semana você se deixou levar pelos excessos e não perdeu tanto peso quanto gostaria, pense na causa principal. Pode ter sido aquele reencontro com os amigos de escola na pizzaria, ou o happy hour para comemorar o aniversário de um colega de trabalho. Acabou exagerando? Comece a semana planejando suas refeições para não perder o controle da sua alimentação. 

 

Metas Realistas: Não adianta se matricular na academia mais moderna se você não tem tempo para frequentá-la ou isso vai pesar demais no orçamento. Passe a subir as escadas ao invés de usar o elevador quando chegar em casa e no trabalho. Use espaços públicos para caminhadas e corridas. Escolha atividades que você gosta e sua meta de exercícios será atingida de uma forma mais rápida e natural. 

 

Planejamento: Tem um compromisso importante e está se sentindo muito ansioso? Não compre doces e tenha sempre por perto opções mais saudáveis, como frutas ou barras de cereal. Considere fazer um exercício de respiração ou meditação para se acalmar. 

 

Pensamento Positivo: Apesar de acontecimentos ruins, você ainda pode conseguir se alimentar de forma saudável, fazer atividades físicas e sentir-se bem. E, se não atingiu a meta estabelecida para esse período, tudo bem. Faça os ajustes necessários para a próxima semana. Não desanime! 

Quarta, 12 de Fevereiro de 2020 - 22:05

Quer perder peso? Conheça mais sobre a dieta cetogênica

Quer perder peso? Conheça mais sobre a dieta cetogênica

 

A dieta cetogênica tem uma proposta aparentemente simples: perder peso reduzindo a quantidade de carboidratos, como pães e arroz branco, e aumentando o consumo de gorduras e proteínas, como queijos, manteiga e carnes. Porém, como toda experiência de reeducação alimentar, é essencial que o processo seja orientado por um profissional de Nutrição. 

De acordo com Luiza Ferracini, nutricionista da Dietbox , empresa responsável pelo software de nutrição, a dieta cetogênica é chamada assim pois leva o corpo a um estado de cetose, ou seja, quando a gordura é convertida em corpos cetônicos pelo fígado gerando energia, uma vez que  o organismo está em jejum ou com pouca glicose disponível. "A glicose é obtida por meio do carboidrato, tornando-o a principal fonte de energia do corpo humano. Diminuir bruscamente a quantidade de carboidrato ingerida diariamente força o metabolismo a utilizar as gorduras como fonte de energia, causando a perda de peso", comenta. 

A especialista explica que o cardápio da dieta cetogênica é sempre definido de acordo com cada paciente. Leva-se em conta fatores como idade, sexo, peso, altura, rotina de exercícios físicos e, é claro, a rotina de trabalho, estudos e tempo fora de casa. "No geral, proteínas, legumes e gorduras são a base da alimentação, evitam-se alimentos derivados de leite, doces, pães, macarrão e farinhas, todo tipo de fonte de açúcar e alguns vegetais e leguminosas, como milho, mandioca, feijão e batatas". 

Luiza comenta que no início da dieta, a falta de carboidratos pode levar a enjoos, dificuldade de concentração, dor de cabeça e mau-humor. "Além disso, se seguida a longo prazo, existe a possibilidade de gerar problemas mais sérios como hipoglicemia, perda de músculos e aumento do nível de colesterol, por isso é fundamental a indicação e acompanhamento médico durante todo o processo", conclui. Na opinião da especialista, o ideal é que a dieta cetogênica seja seguida por um período máximo de seis meses. 

Histórico de Conteúdo