Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Gbarbosa é condenado por registrar estado médico na CTPS de funcionário
Foto: Reprodução / TRT-BA

O Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT-BA) condenou o supermercado Gbarbosa a pagar R$ 3 mil de indenização por anotações feitas na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) de um repositor de mercadorias do setor de peixaria. Conforme o órgão,  registro de atestados médicos no documento gera dano moral ao empregado.

 

Para os desembargadores, o ato infringiu o§ 4º do art. 29 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que proíbe o empregador de fazer anotações desabonadoras à conduta do funcionário. Cabe recurso da decisão.

 

Na visão do desembargador Alcino Felizola, relator do acórdão, a empresa agiu ilicitamente ao registrar na CTPS do reclamante o afastamento por motivo de doença. “É oportuno salientar que faltas por período inferior a quinze dias justificadas por doença são absolutamente irrelevantes para a Previdência Social”, destacou o magistrado. 

 

Os desembargadores deferiram indenização por dano moral em R$3 mil, com juros de mora e correção monetária desta parcela, levando-se em consideração o nível econômico e a capacidade financeira da empresa.

Histórico de Conteúdo