MP recomenda que governo de SP passe a testar todos os casos suspeitos de coronavírus
Foto: Reprodução / G1

O procurador-Geral do Ministério Público de Contas de São Paulo, Thiago Pinheiro Lima, recomendou que o estado mude o protocolo de testes para coronavírus. Atualmente São Paulo testa apenas os casos graves e de profissionais de saúde.

 

No documento do MP-SP, o procurador orienta que o estado se programe para que os testes diagnósticos de casos suspeitos e prováveis de Covid-19 não se restrinjam a pacientes internados em estado grave ou crítico. "Tendo em vista que o Ministério da Saúde já anunciou que está revendo seu protocolo sobre a matéria, o que demandará a adaptação dos recursos humanos (treinamento de servidores e eventual contratação de pessoal temporário) e físicos (ampliação das instalações laboratoriais e montagem de postos volantes) do Estado ao novo cenário", diz trecho do documento.

 

O MP-SP ainda recomenda que o governo de São Paulo compatibilize a aquisição de testes diagnósticos à real situação enfrentada pelo Estado, tendo em vista que todos os entes da Federação, em decorrência da competência comum, são solidariamente responsáveis nas demandas prestacionais da área da saúde e levando-se em consideração que outros estados e municípios (com menos casos confirmados da doença) têm anunciado a aquisição de testes em quantidades expressivamente maiores que as divulgadas pelo Estado de São Paulo.

 

O órgão também indica que gestão estadual deve orientar as unidades de atendimento a registrarem os casos prováveis de Covid-19 (não se limitando apenas aos casos confirmados e óbitos) e assegure que a Secretaria de Saúde dê ampla divulgação dessa informação através de boletins de fácil compreensão para a sociedade.

 

Neste domingo (29) o secretário de saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, rebateu uma postagem do governador de São Paulo, João Doria, que mostrava um gráfico com dados que apontam desaceleração da proliferação do novo coronavírus no estado. Para o gestor da pasta baiana, o gráfico mostra informações falsas. "Absurdo. A desaceleração em SP é fake. Resultado da interrupção da realização dos testes em todos os sintomáticos. Agora só realizam em pacientes internados graves", escreveu (leia mais aqui).

Histórico de Conteúdo