Sexta, 27 de Março de 2020 - 00:00

Antes de ser preso, filho de desembargadora renunciou cargo em cartório de Alagoinhas

por Cláudia Cardozo

Antes de ser preso, filho de desembargadora renunciou cargo em cartório de Alagoinhas
Foto: Divulgação

Antes de ser preso na última terça-feira (24), o filho da desembargadora Sandra Inês Rousciolelli, Vasco Rousciolelli Azevedo, renunciou ao cargo de delegatário interino do Cartório de Araçás, ligado à Comarca de Alagoinhas. O filho da magistrada, apontado inicialmente como advogado, também renunciou a função de delegatário interino do Cartório de Aramari.  

 

Segundo informações obtidas pelo Bahia Notícias, Vasco Rousciolelli – o Vasquinho -, teria renunciado ao cargo na sexta-feira (20), após ter sido realizada uma operação controlada na última terça-feira (17) no condomínio Le Parc, onde reside (leia mais aqui). Vasquinho, junto com a mãe, é investigado pela Polícia Federal por venda de decisões favoráveis à Bom Jesus Agropecuária, que disputa mais de 300 mil hectares com o borracheiro José Valter Dias. Mãe, filho e mais um advogado foram presos na 5ª fase da Operação Faroeste (veja aqui). 

 

Antes de ser delegatário, Vasco Rousciolelli foi servidor concursado. Ele foi assessor do desembargador José Cícero Landin e pediu exoneração em novembro de 2015, por ter sido aprovado no concurso de Cartórios das Serventias Extrajudiciais. Vasco conseguiu garantir a vaga através de um mandado de segurança, e por influência da mãe, teria conseguido assumir a interinidade do cartório de Alagoinhas – fato que, na época, incomodou alguns desembargadores. A renúncia ocorreu pouco antes da prisão de Vasco, que pode ter sido beneficiado pela influência da mãe desembargadora junto a então presidente, também presa, desembargadora Maria do Socorro, como sugere um áudio interceptado pela PF (veja aqui). 

Histórico de Conteúdo