BN Justiça completa 10 anos e reafirma compromisso de buscar melhoria do Judiciário
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

A Coluna Justiça do Bahia Notícias completa 10 anos nesta quarta-feira (15) e reafirma, com este marco, seu compromisso de divulgar o que de mais importante acontece no Judiciário baiano. Este espaço continuará a sua busca por melhorias na prestação jurisdicional e no acesso da população a seus direitos fundamentais.

 

O espaço surgiu oficialmente em 15 de maio de 2009, após uma sugestão de Guilherme Bellintani, sócio da Faculdade Baiana de Direito, que buscava um veículo que divulgasse de forma mais ágil e completa as informações sobre o que acontecia nas instituições jurídicas do estado. "Foi desafiador, mas prazeroso. Porque ninguém tinha feito isso na Bahia, ter um espaço dedicado à cobertura do Judiciário, e nós tivemos uma resposta muito boa de toda a sociedade", comemora Ricardo Luzbel, diretor executivo do Bahia Notícias. Desde então, foram mais de 12 milhões de acessos somente na Coluna Justiça - a média atual é de 180 mil visualizações por mês.

 

Ao longo destes 10 anos, a nota mais acessada foi um furo nacional obtido pela repórter Cláudia Cardozo: a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello, de deferir uma liminar que suspendia o cumprimento de pena após condenação em segunda instância. A medida poderia beneficiar, entre outros réus, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (leia aqui). Cláudia, inclusive, participou de grande parte desta história, tendo sido premiada duas vezes: com o Prêmio Barbosa Lima Sobrinho de jornalismo, concedido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA), e com o Prêmio de Jornalismo e Acesso à Justiça Ivan Lemos de Carvalho de 2015, concedido pela Associação dos Defensores Públicos da Bahia, na categoria Webjornalismo, com a matéria "A população em situação de rua não entra pela porta da frente dos postos de saúde" – ao lado da repórter Renata Farias.

Repórter Cláudia Cardozo ao receber prêmio da OAB-BA / Foto: Angelino de Jesus / OAB-BA

Cardozo recorda momentos importantes para a coluna, como em 2011, diante de declarações da então corregedora nacional de Justiça, Eliana Calmon, de que o Judiciário baiano era um dos piores do país. “Percebemos que nossa cobertura jornalística precisava ser local e que precisávamos acompanhar mais de perto o dia a dia do Tribunal de Justiça da Bahia, e todo o contexto que culminou com a chamada ‘Crise do Judiciário’”, pontua, relembrando como a cobertura se tornou ainda mais profunda a cada ano. “Passamos a ouvir a advocacia, que sempre reclamou da morosidade do Judiciário, da falta de servidores, do desrespeito às prerrogativas. Ouvimos também a magistratura de 1ª Grau, que também sempre pediu melhores estruturas de trabalho, além da Defensoria Pública, do Ministério Público e da Justiça do Trabalho. Levamos a sério o entendimento de que fazer Justiça não é apenas algo que compete ao Poder Judiciário, mas a toda a sociedade, inclusive ao Jornalismo”.

 

Como destaques das coberturas especiais feitas pelo BN Justiça temos o julgamento Kátia Vargas, que foi acompanhado por dois dias completos direto da sala do Júri; as análises da constitucionalidade das leis que alteravam o Imposto sobre a Propriedade Predial Urbana (IPTU) e o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) de Salvador, ou da que impedia o funcionamento de aplicativos de transporte particular; além de detalhes e bastidores de três eleições da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Bahia (OAB-BA). “O Bahia Notícias se tornou referência nacional da cobertura do Judiciário baiano, mantendo o respeito e o bom relacionamento com as instituições sem deixar de denunciar falhas graves que porventura ocorreram, o que só reforça a nossa credibilidade. Este é e sempre será o nosso compromisso”, defendeu a coeditora Rebeca Menezes.

Sócio-diretor do Bahia Notícias, Samuel Celestino também tem papel fundamental nessa construção, já que é advogado de formação, além de jornalista. Diversas vezes ele encampou pela independência do Judiciário baiano.

 



Adriana Barreto | Foto: Paulo Sousa


A página também conta com a Coluna Flashes, que mostra o dia a dia social do meio jurídico, assinada por Adriana Barreto.

Histórico de Conteúdo