Primeira fase do julgamento do massacre do Carandiru entra na reta final nesta sexta-feira
O julgamento dos policiais militares acusados de envolvimento no massacre do Carandiru entra na reta final nesta sexta-feira (19). A oitiva dos depoimentos de quatro dos 24 réus que compareceram ao Tribunal do Júri será realizado no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo. No total, nessa primeira fase do julgamento, 26 policiais serão julgados, mas dois não compareceram por responder o processo em liberdade. Também está previsto para esse último dia de julgamento, os debates entre defesa e acusação antes da reunião do júri para definir a sentença dos acusados.

A defesa e acusação entraram em acordo para definir o número de réus e o tempo para debates. Ficou definido que cada parte do processo terá três horas para exposição, duas horas para a defesa e duas para acusação, caso queiram fazer réplica e tréplica. Os 26 réus respondem pelo assassinato de 15 presos do pavilhão 9, prédio onde aconteceram todas as 111 mortes do massacre. A punição para cada réu pode variar de 12 a 30 anos de prisão.

Uma das estratégias da promotoria para sensibilizar o júri nesta quinta-feira (18) foi a exibição de vídeos de dezenas de reportagens sobre a atuação da Polícia Militar em diversos estados brasileiros, como no Rio de Janeiro e em São Paulo. Os vídeos demonstram a conduta violenta de alguns policiais diante de vítimas que não ofereciam resistência como adolescentes ou adultos desarmados e rendidos. Os promotores afirmam que os assassinados não tinham condições de reagir ao forte amamento utilizado pela PM. A defesa exibiu o documentário “São Paulo sob ataque”, que mostra as ações do Primeiro Comando da Capital (PCC), em maio de 2006, e através de encenação de atores, mostra o medo da população. Informações do UOL.

Histórico de Conteúdo