Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 18 de Janeiro de 2021 - 10:00

Estreia do The Voice + tem baiana aprovada e falta de conhecimento dos técnicos

por Júnior Moreira Bordalo

Estreia do The Voice + tem baiana aprovada e falta de conhecimento dos técnicos
Foto: Reprodução / TV Globo

Apesar da contraindicação de estrear um reality musical para maiores de 60 anos, ou seja, só com grupo de risco em plena alta de casos da Covid-19 (veja aqui), a Globo exibiu na tarde deste domingo (17) o primeiro episódio do The Voice +. Comandado por André Marques, o programa teve como um dos destaques a participação da soteropolitana Zeni Ramos, de 67 anos, que cantou "Babalú", virou as quatro cadeiras e escolheu o time de Claudia Leitte.

 

A enfermeira, que começou a cantar ainda com sete anos de idade, foi a primeira mulher negra a subir no palco do Mosteiro de São Bento e já participou de diversos eventos, como o Festival de Música e Artes Olodum (FEMADUM), e contou com o Ilê Aiyê em um dos seus shows.

 

Outra baiana de "coração" foi Áurea Catharina, 69 anos, que virou todas as cadeiras com sua versão de "Fica Tudo bem", do cantor Silva e Anitta, e escolheu o Time Daniel para seguir na competição. "A idade é só no papel, tá aqui (na cabeça)", ressaltou.

Para além do repertório sofisticado, apresentações elegantes e depoimentos emocionantes dos participantes, com calouros que participaram de programas de Silvio Santos e Chacrinha, gravaram clipes no Fantástico e até cantaram com Roberto Carlos, a falta de conhecimento da história da música brasileira por parte dos jurados chamou atenção.

 

Além de Leitte - que já esteve em todos os formatos da atração -, o corpo de técnicos que é formado pela estreante Ludmilla mais os remanescentes da versão adulta e infantil, Daniel e Mumuzinho, decepcionou ao não reconhecer, por exemplo, Dudu França, responsável pelo sucesso dos anos 1970 "Grilo na Cueca", além de ser responsável por várias trilhas de novelas.

 

É um problema que poderia ser evitado com uma estudo sobre o passado ou com um time de avaliadores mais experiente, que contasse com a própria Alcione, que foi lembrada durante a atração por conta da semelhança com a também maranhense Yeda Maranhão, de 76 anos.  Talvez, por isso, uma das frases mais repetidas pelos jurados foi: "Nós que iremos aprender com vocês". 

Histórico de Conteúdo