Terça, 22 de Setembro de 2020 - 20:00

Humorista Buiú revela que quase foi adotado por Carlos Alberto de Nóbrega

por Ian Meneses

Humorista Buiú revela que quase foi adotado por Carlos Alberto de Nóbrega
Foto: Reprodução / Instagram @buiudapraca_original

O humorista baiano Edvan Rodrigues de Souza, intérprete do personagem Buiú no programa “A Praça É Nossa”, do SBT, revelou em entrevista a jornalista Lisa Gomes que quase se tornou filho adotivo de Carlos Alberto de Nóbrega.

 

No bate-papo no canal “Lisa, leve e solta”, o artista, que tem 34 anos de carreira, também comentou sobre os difíceis primeiros anos de vida em Caetité, na região Centro-Sul da Bahia, os traumas com a esposa de seu pai adotivo. 

 

A história que envolve a tentativa de adoção de Nóbrega começou quando um comerciante levou o pequeno Edvan do interior baiano para São Paulo com apenas 5 anos. O homem, que procurava uma criança para adoção, ganhou autorização da mãe biológica do humorista, já que no sertão ele vivia com fome e convivia com os problemas de alcoolismo da genitora. 

 

“Eu sou um ex-garoto de rua, nasci em um albergue em Caetité, na Bahia e fui recusado pelo meu pai dentro da barriga da minha mãe. Minha mãe teve problema psicológico e bebia muito por causa desses problemas. Enquanto minha mãe estava bebendo, eu estava no lixo procurando o que comer”, relembrou. 

 

A chegada de Edvan em São Paulo, no entanto, não foi bem vista pela esposa do comerciante, que chegou a desconfiar que o marido tinha lhe traído e que a criança era fruto da situação. Sem querer aceitar a presença da criança em sua casa, a mulher forçou o marido a deixar o jovem um mês na casa de uma vizinha, até ele de fato passar a dividir o mesmo teto que a mulher.

 

A convivência com ela, no entanto, foi traumática e Edvan relembrou as agressões que sofria da esposa do pai adotivo: “Eu fui para casa deles, mas ela ainda tinha ciúmes e me maltratava. Como meu pai era comerciante, ele de manhã ia comprar as coisas para o comércio e enquanto isso ela me maltratava. Apanhava bastante. Me empurrava, batia a minha cabeça na parede, me ameaçava com faca. Virava briga de Tom e Jerry, porque quando meu pai chegava eu contava e a noite ele resolvia com ela”. 

 

Com o tempo, a mulher precisou “engolir” a existência de Edvan em sua vida e a jovem criança passou a chamar atenção de olheiros da TVS (SBT), que lhe viram tocar e cantar no comércio do pai. Com a oportunidade em mãos, Edvan fez um teste na TV e foi aprovado para integrar o “A Praça É Nossa”. 

 

Logo depois do falecimento do pai adotivo, no entanto, a mulher decidiu levar o menino para um juizado de menores. Em meio a essa situação e já conhecido no SBT, o menino ganhou ainda mais o carinho de Carlos Alberto de Nóbrega. 

 

“O Carlos Alberto ficou sabendo e era para ele me adotar. Só que a vizinha que eu fiquei na casa dela durante um mês ficou sabendo e foi na frente e conseguiu a papelada da adoção. Adotando ou não Carlos Alberto é meu paizão”, disse o artista, que admitiu ainda falar com a mulher que lhe agredia e que mantém um bom relacionamento com mãe biológica. 

 

JORGE LAFOND
Entre ida e vindas no SBT, Edvan também destacou na entrevista a convivência com o ator Jorge Lafond, que interpretava a personagem Vera Verão: “Era um professor, um profissional que foi um presente trabalhar com ele, aprendi muito. Quando o Carlos Alberto me deu esse presente de trabalhar com ele, eu me arrepiei e gelava. Toda as vezes que eu contracenava com ele, eu gelava. Se eu sento do lado do Carlos Alberto, na “Praça” eu gelo, até hoje. Qualquer um dos personagens. Se eu falar que não gelo é mentira”. 

 

Confira a entrevista na íntegra:
 

Histórico de Conteúdo