Quarta, 10 de Outubro de 2007 - 07:20

Trabalho de Daniela Mercury é premiado no Jornal da Globo

por Josemar Arlego

O Jornal da Globo quis saber qual era a melhor capa já feita para um disco brasileiro. Os internautas puderam escolher entre 12 candidatas.
Os catecismos, revistinhas que embalaram a solidão de jovens décadas atrás, foram parar em “Barulhinho Bom”. A capa do disco de Marisa Monte ficou em 5º lugar.
Um esboço de Leonardo da Vinci serviu de inspiração para os titãs, na capa de “Cabeça dinossauro”, 4º lugar na votação dos nossos internautas.
Maquiadas, as cabeças dos integrantes da banda eram o prato principal do banquete. A capa de estréia dos “Secos e Molhados” é de 1973. Inesquecível, como a música que eles faziam e 3ª colocada na enquete.
Nas duas primeiras posições ficaram capas de discos de duas musas baianas. Com estilos bem diferentes, elas têm em comum o poder de mobilização. Os fãs de Daniela Mercury e Pitty organizaram correntes pela internet e a enquete do Jornal da Globo teve mais de 113.534 votos.
Na capa de “Anacrônico”, lançado em 2005, a roqueira Pitty presta uma homenagem ao mundo das tatuagens e das pin-ups. O desenho de Edinho Sampaio angariou 29,2% dos votos.
E a campeã da enquete é a capa de “Feijão com Arroz”. A mistura de raças concebida por Gringo Cardia e clicada por Mário Cravo Neto teve 73.645 votos, 65% do total.

Foto: Reprodução

Histórico de Conteúdo