Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sexta, 17 de Setembro de 2021 - 20:45

Conselheiro do Vitória aponta irregularidades na gestão de PC: 'Não pode voltar'

por Nuno Krause

Conselheiro do Vitória aponta irregularidades na gestão de PC: 'Não pode voltar'
Foto: Ulisses Gama / Bahia Notícias

O conselheiro do Vitória Nilton Almeida apontou, nesta sexta-feira (17), irregularidades na gestão de Paulo Carneiro, afastado no dia 2 de setembro da presidência do clube (veja aqui). Segundo disse em entrevista ao programa BN Na Bola, da rádio Salvador FM, apresentado por Emídio Pinto, Glauber Guerra e Ulisses Gama, a prioridade atual do Conselho Deliberativo é manter PC longe do Leão. 

 

"O clube hoje passa por um processo tão conturbado que tem que ter uma prioridade. O afastamento de PC foi uma prioridade, temos prazos a serem cumpridos, e não podemos correr o risco do presidente retornar. É inconcebível, temos que virar essa página", pontuou. 

 

Uma das principais críticas a Paulo Carneiro envolve a utilização de nomes de conselheiros do clube para adiar a reunião da comissão que determinou seu afastamento. "Ele procrastinou utilizando conselheiros para simular uma ação que ele pagou com o cartão da filha dele. O primeiro a olhar no sistema o andamento da ação foi o atual advogado do clube, Boaventura, 23h, e depois às 6h para acompanhar o processo. Dizer que ele não estava por traz disso é brincar com a gente", reclamou. 

 

Além disso, a negociação do lateral esquerdo Pedrinho para o Athletico-PR, que segue sendo um impasse (saiba mais aqui), também foi alvo de críticas. Na visão de Nilton, o contrato foi feito de "forma açodada". "Inexplicavelmente, sem nenhuma garantia. Todos os conselheiros com conhecimento jurídico assim se posicionaram, e eu só posso definir esse contrato como vergonhoso. Não se faz um contrato dessa monta baseado em tratativas, como foi dito pelo vice-presidente e pelo presidente afastado. Você já transferiu os direitos, e rompeu o contrato de Pedrinho no dia 28 sem nenhuma garantia. É algo tem que ser investigado. O Athletico foi e fez o contrato com Pedrinho. Óbvio que o clube pode, através dos mecanismso, tentar reaver seus direitos. Mas vai ser um processo longo e bastante penoso, porque esse valor ia ajudar e muito as contas tão abaladas do Vitória", opinou.

 

O presidente Paulo Carneiro tem bradado, por meio de áudios de Whatsapp, que a culpa dessa situação é dos conselheiros. Após o adiamento da reunião que culminou no afastamento de PC, o Conselho Deliberativo pediu que o Athletico Paranaense fornecesse documentos e detalhes sobre a transação envolvendo o lateral-esquerdo. E que o clube só transferisse o dinheiro da primeira parcela ao Vitória depois da reunião que culminou no afastamento de PC. Como o lateral ficou "livre no mercado" no dia 28, o clube paranaense alega que pôde adquiri-lo sem custos.

 

"O erro foi do Conselho Diretor. Querer atribuir isso a nós é uma cortina de fumaça. Quando não concorda com a mensagem, ataca o mensageiro. Isso é uma estratégia de guerra", rebateu Nilton. 

 

Confira a entrevista completa: 

 

Histórico de Conteúdo