Quinta, 04 de Junho de 2020 - 18:30

Apontado como pouco transparente, Vitória diz que está no prazo para entregar balanço

por Matheus Caldas / Milena Lopes

Apontado como pouco transparente, Vitória diz que está no prazo para entregar balanço
Foto: Glauber Guerra / Bahia Notícias

Após cobranças e críticas sobre a transparência sobre seu balanço financeiro, o Vitória emitiu um documento de esclarecimento sobre a prestação de contas de clube. O presidente do Rubro-negro, Paulo Carneiro, já havia explicado ao Bahia Notícias no mês passado que tudo estava conforme a lei (relembre aqui), entretanto, esta semana, um levantamento feito pelo repórter Rodrigo Capelo no GloboEsporte.com, voltou a citar o Leão como um clubes menos abertos sobre seus dados financeiros. 

 

Na publicação, o Vitória defendeu o motivo de ainda não ter apresentado o balanço e explica que o clube não esta descumpindo a lei, uma vez que, está dentro dos prazos para divulgá-lo. Segundo os dados rankeados, o clube é considerado o 26º em transparência na lista que integra os 30 principais brasileiros das temporadas 2019 e 2020. 

 

“O dever de prestar contas é a principal obrigação da administração de um Clube de Futebol e mecanismo máximo de transparência. No entanto, bom assinalar que o dever de prestar contas não se limita a publicação de balanços, mas também de apuração dos atos da administração sobre a gestão”, declarou o documento divulgado pelo Vitória. 

 

O clube ainda esclareceu que, devido a pandemia, a data limite para apresentação dos dados foi postergado para o fim de junho e, com isso, o Rubro-negro não estaria com a publicação do balanço atrasado. “(...) em razão da crise sanitária existente, foi publicada a MP 931/2020 dilatando o prazo da apresentação das contas da administração das sociedades empresárias relativas ao ano de 2019 até 30/junho deste ano, devendo a assembleia de apuração e aprovação das contas ser realizada até 31/julho deste ano”, explicou o Vitória, ressaltando que não descumpriu nenhuma norma sobre o assunto.  

 

Em resposta a uma publicação feita pelo repórter Rodrigo Capelo em maio, o Leão declara que foi errônea a fala do jornalista ao dizer que o Vitória, assim como o Corinthians, não estavam inclusos na Medida Provisória, já que, como instituições civis sem fins lucrativos, não seriam abarcados pelo governo na ampliação de prazos. Com isso, o Vitória reafirma que não está atrasado quanto a divulgação do seu balanço. 

 

Em defesa sobre não ser um clube transparente quanto as suas contas, o Leão declarou ainda que “o Conselho Fiscal do Clube, órgão independente e de fiscalização, contratou ano passado empresa de auditoria independente para realização de trabalho técnico sobre as contas do Clube, a qual irá fornecer neste mês o seu parecer”. 

 

O Vitória completou que “cumpre as normas em vigor, adota as práticas e mecanismos de transparência disponíveis e necessários ao controle dos atos da administração” e que, recentemente, “contratou uma empresa para produzir um código de conduta e ética interna e relacionamento entre os órgãos, visando aprimorar a gestão”.

 

O presidente Paulo Carneiro também havia sido cobrado sobre a divulgação da lista de sócios, que é publicada mensalmente, e admitiu que o atraso na liberação foi uma falha que já foi corrigida.

Histórico de Conteúdo