Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Árbitro e VAR de Argentina x Brasil são suspensos pela Conmebol após 'erro grave'
Foto: Lucas Figueiredo / CBF

Os árbitros que ficaram responsáveis por conduzir o clássico entre Brasil e Argentina, nesta terça-feira (16), foram suspensos por tempo indeterminado pela Conmebol. A entidade entendeu que Andrés Cunha, principal, e Esteban Ostojish, árbitro de vídeo (VAR), cometeram um "erro grave" ao não punirem Otamendi pela cotovelada aplicada em Raphinha (saiba mais aqui). 

 

O placar final da partida, válida pelas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo, foi 0 a 0 (confira aqui). No lance em questão, Andrés Cunha sequer marcou falta, enquanto Ostojich considerou o lance faltoso, mas não passível de revisão. 

 

"Eu considero que aqui o golpe é com o antebraço no rosto, com intensidade média. Sim, no rosto. Isto me parece que é falta, para cartão amarelo. Não considero cartão vermelho", diz Ostojich, em vídeo divulgado com o áudio da atuação do VAR no lance. Como não há possibilidade de revisão do árbitro para cartão amarelo, o lance seguiu. 

 

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), já prometeu fazer uma representação contra o árbitro, de acordo com o site ge.globo. 

 

A Conmebol entende que houve "conduta violenta do jogador n°19 Nicolás Hernán Gonzalo Otamendi (ARG), contra um adversário, colocando em risco a integridade física do mesmo com uso do braço no rosto." Diante disso, a Comissão de Árbitros da Conmebol suspendeu os árbitros Andrés Cunha e Esteban Ostojich "por tempo indeterminado no exercício de suas funções" em competições organizadas pela Conmebol.

 

O árbitro que apitou Brasil x Colômbia, em São Paulo, o chileno Roberto Tobar, também foi suspenso. Na visão da Conmebol, ele "cometeu erros graves e manifestos na condução disciplinar da partida, não tomando as decisões correspondentes conforme as normativas vigentes, colocando em risco o controle do jogo".

Histórico de Conteúdo