Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Contra Valdez, Robson Conceição promete 'surpreender' e pode atingir patamar histórico
Foto: Mikey Williams / Top Rank

Quando conquistou o ouro nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, Robson Conceição já chegou, com 27 anos, ao patamar dos grandes boxeadores da história do Brasil. Nunca ninguém no país tinha alcançado tal feito. Nesta sexta-feira (10), cinco anos mais tarde, o baiano pode elevar ainda mais seu nível, dessa vez no boxe profissional. Ele vai disputar o cinturão dos superpenas do Conselho Mundial de Boxe (WBC), contra o mexicano Oscar Valdez, em Tucson, no Arizona. 

 

"Vou surpreender. Treinei muito. Estou na melhor forma da minha carreira. Nunca treinei tanto, nem quando disputei a medalha de ouro", afirmou Robson, nesta quinta (9), em entrevista coletiva antes da luta. 

 

"Surpresa" não é exatamente a palavra certa para se referir a Robson, que, com 16 combates na carreira profissional, não perdeu nenhuma vez. Foram 8 vitórias por nocaute - percentual de 50%, considerado até "baixo" para o esporte. Valdez, por exemplo, tem 23 nocautes em seus 29 triunfos na carreira. 

 

Mas isso não parece preocupar muito o baiano. "Estou pronto para fazer a maior luta de minha vida. Vou lutar por mim, minha família, minha equipe, meu país", verbalizou. 

 

Do outro lado, o mexicano prometeu fazer "todo o possível para arrancar-lhe a cabeça" (saiba mais aqui). A rivalidade entre os dois vem desde 2009, quando se enfrentaram na final do Pan-Americano de 2009, na Cidade do México, e o brasileiro levou a medalha de ouro.

 

O "todo o possível" de Valdez, vale ressaltar, vem recheado de polêmicas. O lutador mexicano testou positivo para a substância fentermina, proibida em qualquer circunstância pela Agência Voluntária Antidopagem, responsável pelo teste, coordenado pelo Conselho Mundial no âmbito do Programa de Boxe Limpo (lembre aquiaqui e aqui).

 

Porém, a Agência Mundial Antidoping (WADA) permite o uso deste composto quando o atleta não está em competição - até 23 horas e 59 minutos antes da luta.

 

A fentermina é um estimulante do sistema nervoso, que também ajuda a emagrecer. As amostras A e B, realizadas em 13 de agosto, deram positivo para Valdez.

 

Na ocasião, Robson se pronunciou sobre o caso em seu Instagram, ao ser perguntado por um fã porque a luta não foi cancelada. "Porque ele é o queridinho daqui. O queridinho da WBC, da WADA (...) É complicado saber que vai lutar contra um atleta dopado. Mas seguimos firme e forte, com muita determinação", afirmou.

 

Durante a pesagem desta quinta, Robson atingiu com "tranquilidade" as 129.6 libras, número abaixo do mínimo (130) para ser considerado elegível para a luta. Já Valdez penou. Teve até que tirar a meia para acusar o limite. Logo depois, os dois se encararam de forma séria. Um prenúncio do que será a luta deste sábado. 

Histórico de Conteúdo