Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 10 de Agosto de 2021 - 19:30

Após derrota na Série B do Baianão, treinador deixa Botafogo-BA

por Nuno Krause

Após derrota na Série B do Baianão, treinador deixa Botafogo-BA
Foto: Silvonei Viana / Botafogo S. C.

Com a derrota para o Barcelona de Ilhéus na final da Série B do Baianão, no último domingo (8), o técnico Matheus Vazquez deixou o Botafogo Bonfinense. Segundo o jovem de 22 anos, o clube não terá calendário pelo restante da temporada e, como seu contrato só ia até o final da competição, ele voltará para Praia Grande, sua cidade natal, e aguarda propostas de novas equipes.

 

"A princípio estou sem clube, sem nada em vista. Vou ver se aparece alguma coisa. Não tenho nenhuma preferência de local. Claro que estar mais próximo da família é o ideal, mas se surgir uma oportunidade aqui na Bahia ou em outro local mais longe de São Paulo, também posso aceitar", destacou, em entrevista ao Bahia Notícias. 

 

Como treinador do Botafogo Bonfinense, Matheus disputou cinco partidas, com três vitórias, um empate e uma derrota - aproveitamento de 60%. O revés por 3 a 0 para o Barcelona de Ilhéus impediu o clube de subir para a Série A do estadual. O jovem, inclusive, criticou a arbitragem desse jogo, alegando que o Diabo-Rubro teve um gol não validado de forma equivocada. 

 

"Quem viu o jogo sabe que com uns quatro minutos fizemos um gol 100% legal. A bola entrou totalmente, e a arbitragem não deu. Não quero usar nada como desculpa, mas, um minuto, dois minutos, os caras fazem 1 a 0 em uma jogada originada daquele lance. Dá um banho de água fria na gente. Mesmo assim, fomos melhores no primeiro tempo inteiro. No segundo tempo, por mérito deles, conseguem fazer 2 a 0 com 15 segundos. Não esperávamos. Mesmo assim, continuamos propondo o jogo. Mas aí a gente teve uma hora que precisávamos do gol, tivemos que nos abrir. Aí tira volante, zagueiro, coloca atacante, e no contra-ataque eles fizeram o terceiro", pontuou.

Histórico de Conteúdo