Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sábado, 13 de Março de 2021 - 00:00

Superando Limites: Desafio de bike incentiva ciclistas a cumprirem metas na pandemia

por Milena Lopes

Superando Limites: Desafio de bike incentiva ciclistas a cumprirem metas na pandemia
Foto: Reprodução / Instagram @superandolimites_to

Enquanto os eventos esportivos coletivos estão restritos para evitar a disseminação do coronavírus, hábitos para se manter em movimento e praticando atividade física individualmente vêm se tornando uma opção para as pessoas. Com o intuito de incentivar o ciclismo sem aglomeração, o projeto Superando Limites propõe que seus participantes se autodesafiem e pedalem com segurança, atingindo metas com o exercício.   

 

Idealizado em Palmas, no Tocantins, por Dimas Magalhães, que pratica a modalidade esportiva, o Desafio de Bike Superando Limites está se expandindo para o Nordeste e em sua segunda edição será realizado em dez cidades da região, incluindo seis localidades na Bahia. Em entrevista ao Bahia Notícia, Sandro Ferreira, amigo do criador do projeto e organizador da expansão do Superando Limites, explicou mais sobre o desafio e a realização em novos municípios. 

 

“Quem começou ele foi um amigo meu de infância. Ele pedala, assim como eu, e por conta das restrições que estão tendo devido à pandemia ele acabou tendo a ideia de criar o desafio lá em Palmas. Quando ele entendeu que isso poderia ser feito em outras cidades, ele me procurou para ajudar a organizar essa expansão do desafio e foi aí que eu entrei no projeto. Agora a gente está lançando em mais dez cidades: seis aqui na Bahia, três no Tocantins e uma em Pernambuco”, esclareceu.

 

“Nós dois somos os organizadores, mas temos uma equipe para dar suporte a todo mundo porque nos últimos desafios tivemos uma participação de cerca de 1.500 ciclistas, então temos que dar suporte a essas pessoas”, completou Sandro. 

 

Ele acrescentou que para levar o Superando Limites para mais cidades é preciso ter, pelo menos, um representante do projeto em cada município com uma estrutura que atenda as necessidades do desafio e dos participantes. 

 

O projeto incentiva o ciclismo a partir de um objetivo pessoal, estipulado pelo participante, para ser alcançado em um mês. Ao inscrever-se, o ciclista escolhe uma das metas categorizadas pela organização e se compromete a cumprir a quilometragem em até 30 dias. O objetivo é que as pessoas se desafiem a cumprirem a distância que escolheram fazer e, ao final, a equipe do Superando Limites premia com uma medalha os participantes que concluírem o que foi estipulado. 

 

Quando uma pessoa realiza a inscrição no projeto, ela escolhe realizar um dos desafios, que variam de 200 km a 1.000 km. Após isso, contando a partir do dia de início da edição do Superando Limites, ela terá um mês para pedalar a quilometragem apontada. 

 

Enquanto isso, a equipe do projeto estará monitorando as distâncias pedaladas por cada participantes através do aplicativo gratuito Strava, que será usado pelo para registrar a medição dos percursos. 

 

Ao final do mês, quem concluir as metas de quilometragens que se desafiou a cumprir recebe uma medalha personalizada da categoria. O Superando Limites não classifica seus integrantes que estão participando do desafio, afinal, o objetivo é apenas incentivar que cada pessoa cumpra com as metas que estabelece consigo. 

 

Sandro ainda contou que a expansão do projeto está acontecendo de forma orgânica, uma vez que os participantes compartilham suas conquistas e acabam incentivando outras pessoas a quererem integrá-lo também. Pelo menos é isso que fez a Bahia ampliar de um para seis representantes entre a primeira e segunda edição pensada pelos organizadores. Salvador, Feira de Santana, Alagoinhas, Santo Antônio de Jesus, Jacobina e Campo Formoso serão as cidades que terão desafios no próximo mês de abril. Pessoas que moram nas proximidades também podem participar.

 

Para cada categoria, o Superando Limites premia com medalhas personalizadas os integrantes que cumprem as quilometragens estipuladas. Reprodução / Instagram @superandolimites_to

 

“Em Jacobina, por exemplo, esta vai ser a segunda edição. Na primeira edição foram cerca de 200 pessoas. Nessa foram as pessoas que participaram da primeira que solicitaram para a gente fazer uma segunda edição e outras cidades acabaram descobrindo o que estava acontecendo, como foi o caso de Campo Formoso. As pessoas entraram em contato com a gente para fazer o desafio lá também. Está explodindo de uma forma orgânica, as pessoas estão entrando em contato com a gente pedindo para que a gente realize”, explicou o organizador. 

 

Apesar do aumento de participantes, os desafios são individuais e, por isso, cada ciclista concretiza sua meta sem necessariamente estar com outros integrantes do Superando Limites. Os incentivos entre quem participa em cada cidade são feitos através de compartilhamentos e contatos virtuais. No site e nas contas em redes sociais do Superando Limites, os organizadores fazem questão de publicar relatos e registros dos participantes que celebram suas conquistas e veem o projeto como uma grande motivação para o bem-estar durante o isolamento.

 

“A gente compartilha porque as pessoas sentem orgulho disso. Toda vez que elas se desafiam, cumprem o desafio e recebem a medalha elas fazem questão de postar isso. Temos vários vídeos com depoimentos das pessoas falando que se desafiaram e que conseguiram. Uma coisa que aconteceu muito também são casais pedalando, que um incentiva o outro porque um já praticava ciclismo e o outro não, ou entre pai e filho também é comum, ter dentro da própria família esse incentivo para cumprir as metas que eles estabelecem. Eles sempre divulgam suas histórias”, relatou Sandro. 

 

“O bom do projeto é que é você que coloca os seus limites, é você que se desafia e o que a gente vê muito é que isso está tirando muita gente do sedentarismo. A interação com os outros ciclistas que estão participando do desafio, ver um apoiando outro... Em tempos de pandemia, como a gente está com todo mundo dentro de casa, as pessoas precisam de algo para espairecer a cabeça, fazer exercício físico para melhorar a saúde, melhorar o psicológico. Então está sendo bem interessante essa interação com os ciclistas”, destacou. 

 

Uma outra interação que o projeto permite são as playlists de músicas criadas pelos ciclistas participantes para fazerem os exercícios. Educando conscientemente os participantes a terem os devidos cuidados ao usarem o recurso, é mais um incentivo que os integrantes dividem com outras pessoas.

 

“A gente tem cuidado em divulgar as playlists dos participantes porque o uso de fone de ouvido ao pedalar pode ser um pouco perigoso porque tira de você o som ambiente e o sentido da audição. Então, a gente coloca as playlists, mas sempre incentivando que se você quiser ouvir música pedalando sempre é bom levar uma caixinha especial para você colocar na bike em volume moderado”, alertou o organizador do projeto. 

 

EXPECTATIVAS DA NOVA EDIÇÃO

Reflexo dos próprios participantes, o Desafio de Bike Superando Limites tem a expectativa de ter um bom número de integrantes nesta edição, com dez cidades participantes. Além das seis baianas, Palmas, Araguaína e Gurupi, no Tocantins, além de Petrolina, em Pernambuco, também terão o projeto sendo realizado em abril. 

 

“A gente está esperando, em todas as cidades que a gente vai realizar o desafio, cerca de três a cinco mil ciclistas. Claro que em uma cidade como Salvador vai ter muito mais pessoas do que numa cidade como Jacobina, mas esperamos um bom número em todos os locais”, pontuou Sandro Nuno, representante da expansão do projeto.

 

Apesar de estar começando como um desafio virtual, que pretende chegar em ainda mais localidades ao longo do tempo, a grande meta é de que, após a pandemia, mais atividades do Superando Limites possam ser lançadas e organizadas também de forma presencial e podendo reunir os participantes. 

 

“O objetivo que a gente sempre teve em mente é de ajudar as pessoas a praticarem exercício físico de uma maneira segura, porque a gente acha que mesmo quando a pandemia passar, que com fé em Deus um dia ela vai passar, a gente vai poder fazer eventos presenciais também. Juntar uma galera e fazer um desafio todo mundo junto são planos que a gente tem mais para frente”, contou o organizador.

 

“A gente começou essa expansão agora, mas não está parando de prospectar outras localidades também. Porque as pessoas entram em contato com a gente quase que diariamente. Só que tem que ter em cada cidade dessa uma infraestrutura mínima para que a gente possa dar apoio para as pessoas. Então precisamos ter alguém que seja nosso representante, tem que haver um lugar para onde possa mandar as medalhas, para que possa fazer com que as coisas aconteçam da melhor maneira”, explicou.


Atualmente, o Desafio de Bike Superando Limites está com inscrições abertas no site http://desafiosuperandolimites.com.br/. Após inscrever-se no desafio da respectiva cidade escolhida, a organização do projeto enviará um e-mail confirmando o registro e dando acesso ao ciclista para um clube no aplicativo Strava, em que a pessoa poderá registrar o cumprimento do seu objetivo ao longo do próximo mês de abril.

Histórico de Conteúdo