Com críticas a diretoria do clube, zagueiro Emerson rescinde com o Atlético de Alagoinhas
Foto: Luciana Flores / Atlético de Alagoinhas

O atraso de salários no Atlético de Alagoinhas continua provocando saídas do clube. Nesta quarta-feira (28), Emerson Feliciano e de Russo tiveram seus contratos rescindidos com o Carcará. Em publicação nas redes sociais, o zagueiro desabafou sobre desrespeitos do clube sobre acordos com ele e dificuldades causadas pela diretoria para que ele deixasse a equipe.

 

“Mesmo sem condições alguma de trabalho, sai de cabeça erguida pois sempre, Desde quando cheguei, dei o meu melhor”, comentou o jogador em publicação feita na sua conta no Instagram.

 

“Diante de tudo que passei com salários atrasados desde março, problemas com alimentação, produtos vencidos, (...) sem contar com as tantas promessas de pagar e nunca chegava nosso salário”, justificou o atleta sobre a decisão de deixar o clube.

 

Na publicação, Emerson ainda fala que decidiu aceitar a proposta do Atlético de Alagoinhas com garantias do presidente Albino Leite de que os salários seriam pagos normalmente. Segundo o jogador, o clube dificultou a decisão de sua saída e que foi coagido a assinar um documento de que os débitos do clube com ele estavam quitados. 

 

“O Atlético é muito maior que tudo isso infelizmente não merece [a situação atual]”, destacou o jogador na postagem. 

 

Em pouco mais de uma semana, o Carcará perdeu três jogadores, além do técnico Agnaldo Liz, por causa dos atrasos em pagamentos. Na semana passada o meia Tobinha também anunciou sua saída (leia mais). As rescisões de Emerson e Russo foram publicadas no Boletim Informativo Diário (BID). Os dois atletas foram integrados ao elenco no início deste ano para reforçar o time nas competições de 2020.

 

Atualmente, o Atlético de Alagoinhas está na disputa da Série D do Campeonato Brasileiro e ocupa a terceira posição do Grupo A6 com 17 pontos, buscando se manter na colocação para conseguir uma vaga na próxima etapa.

Histórico de Conteúdo