Seleção feminina de futebol dos EUA solicitam prestar homenagem ajoelhadas durante hino
Foto: Reprodução / Twitter

No futebol alemão alguns jogadores e times têm se ajoelhando em campo prestando homenagem ao norte-americano negro, George Floyd, assassinado por um policial branco. Com restrição de poderem seguir o gesto de solidariedade, a seleção de futebol feminina dos Estados Unidos solicitou à federação da modalidade que suspendam a política que proíbe os atletas de ajoelharem-se durante o hino do país antes das partidas. 

 

Atualmente, a regra e que os jogadores do país “permaneçam em pé respeitosamente durante os hinos nacionais em que qualquer evento em que a federação esteja representada”. Com o pedido da equipe, uma reunião da Federação de Futebol dos EUA (USSF). 

 

"A federação deveria imediatamente revogar a 'Política do Hino', publicar uma declaração reconhecendo que a política estava errada quando foi adotada e pedir desculpas aos nossos jogadores e torcedores negros", declarou a associação nacional das jogadoras dos EUA na última segunda-feira (8) através de comunicado. 

 

Segundo a USSF informou para a agência Reuters, a decisão sobre a regra deve ser tomada essa semana pelo conselho executivo da entidade. 

 

A política foi implementada em 2017, após a jogadora Megan Rapinoe se ajoelhar durante o hino em um jogo contra a Tailândia no ano anterior. Na ocasião, a jogadora explicou o motivo do gesto. “Acho que quando vc representa seu país, muito está em jogo. (...) Acho que precisamos olhar para todas as coisas que falamos que a bandeira e o hino significam e todos que a representam", declarou a jogadora, ressaltando que os símbolos da nação falam de liberdade.

Histórico de Conteúdo