Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Você conhece as cleantechs? Conheça atuação e benefícios das 'startups verdes'
Foto: Reprodução / Betway Cassino

O conceito de cleantechs ainda é pouco conhecido, mas já começa a ganhar espaço. Em meio a uma pandemia que fez o mundo rever os seus conceitos de comércio e consumo, é preciso compreender qual o papel que cada companhia ocupa na sua comunidade.

 

As também chamadas "startups verdes" buscam, sobretudo, cuidar da sustentabilidade na sociedade e são um dos pilares de transformação das principais economias globais. A ideia é utilizar alternativas inovadoras para reduzir desperdícios e custos. A expectativa é quem em 2022, essa indústria movimente cerca de US$ 2,5 trilhões, segundo a Smart Prosperity Institute. 


As cleantechs atuam em oito setores, que se dividem em subcategorias: Agricultura; Ar e Meio Ambiente; Água; Armazenamento de Energia; Eficiência; Energia Limpa; Indústria Limpa; e Transporte.


SMART CITIES
A proposta das cleantechs se alia ao conceito de smart cities (cidades inteligentes), que utilizam dispositivos conectados para monitorar e gerenciar os espaços públicos. As funcionalidades possíveis vão desde acompanhar o fluxo de veículos até utilizar câmeras para atuar mais rapidamente em caso de crimes ou acidentes.


O Cities in Motion Index aponta que são consideradas nove variáveis para indicar o nível de inteligência de uma cidade: capital humano, coesão social, economia, meio ambiente, governança, planejamento urbano, alcance internacional, tecnologia e mobilidade e transporte.


No Brasil, São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador são exemplos de cidades que já utilizam a tecnologia para fazer uma gestão mais inteligente. A capital baiana, por exemplo, investiu em semáforos inteligentes, sensores de encostas, pluviômetros automáticos, estações de monitoramento de qualidade do ar e smart grids (redes elétricas inteligentes).


SETOR EM CRESCIMENTO
Segundo o Mapeamento do Ecossistema de Startups de Cleantech no Brasil, o país conta com 136 empresas do ramo. Um infográfico publicado no blog da empresa de roleta online Betway Cassino mostra 91% das startups verdes estão concentradas no eixo Sul-Sudeste, a maioria no estado de São Paulo.


O modelo de negócio preferido dos empresários é o Business to Business, que representa 71% do setor no Brasil. Destas, 51% atuam na fabricação do produto e 40% no reaproveitamento e 40% em reciclagem. A maior parte das cleantechs está na fase chamada MVP, ou Mínimo Produto Viável, que é quando a startup já apresenta uma versão simplificada e viável do seu produto. Outras cerca de 13% já têm seu produto e algum tipo de investimento para começar a escalar suas operações.


A maior parte delas (25%) recebeu investimento de "FFF" (family, friends and fools, que traduzido livremente significa família, amigos e anjos informais").


EXEMPLOS
O time da Betway Cassino aponta exemplos de cleantechs no Brasil. Uma delas é a Sunne Sistema de Web, de Fortaleza, no Ceará. A empresa atua na área de energia limpa e utiliza um sistema de mini usinas para proporcionar economia regular para pequenos empreendimentos".

Histórico de Conteúdo