Reunião vai definir por adiar ou cancelar o Grand Slam de Wimbledon 2020
Foto: Divulgação

Com a pandemia do coronavírus que assola praticamente o mundo todo, o circuito do tênis está parado até o dia 7 de junho. A situação afeta o tradicional torneio de Wimbledon, um dos quatro Grand Slams da temporada. De acordo com o comunicado dos dirigentes do All England Lawn Tennis and Croquet Club (AELTC), local onde é realizado o torneio, uma reunião será feita na próxima semana para definir um possível adiamento ou até mesmo cancelamento da edição 2020 da competição.

 

"No momento, com base nos conselhos que recebemos das autoridades de saúde pública, a janela muito curta disponível para sediar o torneio, devido à natureza da superfície das quadras, sugere que o adiamento não deixa de ter riscos e dificuldades significativas. Jogar com portões fechados já foi formalmente descartado", diz a nota divulgada nesta quarta-feira (25).

 

Os dirigentes dos AELTC têm mantido conversas diretas com a ATP, a WTA e a ITF e os organizadores de outros Grand Slams para encontrar uma solução que minimize o impacto causado pela situação na qual o mundo se encontra. O adiamento é algo iminente, já que o torneio de Wimbledon está marcado para começar no dia 29 de junho. No entanto, para que tudo esteja pronto na dada correta, os trabalhos nas quadras deveriam ser iniciados no fim de abril. Mas com o cenário atual, dificilmente as coisas voltem ao normal nesse período.

 

Na edição de 2019 do Grand Slam de Wimbledon, o sérvio Novak Djokovic conquistou o título da chave masculina ao vencer o suíço Roger Federer. Já no torneio feminino, a romena Simona Halep foi a campeão ao superar a americana Serena Williams.

Histórico de Conteúdo