Sábado, 15 de Fevereiro de 2020 - 00:00

Representando a Bahia nas piscinas em Tóquio, Breno Correia pode brigar por medalha

por Leandro Aragão

Representando a Bahia nas piscinas em Tóquio, Breno Correia pode brigar por medalha
Foto: Sátiro Sodré / SSPress / CBDA

Não é apenas nas provas em mar aberto que a Bahia será representada na natação (leia mais aqui). Nas piscinas, o baiano Breno Correia já ganhou o sinal verde para tirar o visto de entrada no Japão. Junto com a equipe brasileira de revezamento, ele já tem vagas garantidas para duas provas nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Medalhista de bronze na edição de 2000 em Sydney, na Austrália, o ex-nadador Edvaldo Valério disse que o conterrâneo tem chance de voltar da "Terra do Sol Nascente" com a mala um pouco mais pesada.

 

"Acho que o Breno também tem chances de nadar o revezamento e ganhar medalha. É complicado. Eu não quero cometer o erro de afirmar que vai ganhar medalha, porque a gente não sabe o que vai acontecer, mas a partir do momento que o cara está classificado para nadar, já o credencia a ser candidato a brigar por medalha", afirmou em entrevista ao Bahia Notícias.

 

Em Tóquio, Breno Correia vai disputar a mesma prova de revezamento em que Edvaldo ganhou medalha na Austrália. Bala lembrou da conquista de 20 anos atrás e destacou que, naquela época, o time brasileiro caiu na piscina sabendo por qual lugar no pódio era possível brigar.

 

"O revezamento 4x100m que eu nadei, a gente já sabia que o primeiro e o segundo seria muito difícil de ganhar pelas potências que estavam disputando. Competir com Austrália e Estados Unidos, que são referências da natação mundial, realmente é bem complicado. A gente tinha essa consciência que primeiro e segundo não ia dar e que iríamos brigar pelo bronze e foi o que aconteceu", contou.

Edvaldo 'Bala' Valério analisou as chances de Breno Correia em Tóquio-2020 | Foto: Jamile Amine / Bahia Notícias

 

Para chegar em Tóquio, Breno aproveitou a chance dada no Campeonato Mundial de natação, em Gwangju, na Coreia do Sul, disputado em julho de 2019. A primeira classificação foi no revezamento 4x100m, ao lado de Marcelo Chierighini, André Calvelo e Pedro Spajari. Depois foi no 4x200m, junto com Luiz Altamir, João de Lucca e Fernando Scheffer. Apesar de garantir as duas vagas olímpicas, as duas equipes não subiram no pódio na Coreia.

 

Já nas competições individuais, Breno Correia foi medalha de prata nos 200m livre nos Jogos Pan-Americanos, realizados em Lima, no Peru. Na competição continental, ele também conquistou o ouro no revezamento 4x100m, nadando ao lado de Marcelo Chierighini, Bruno Fratus e Pedro Spajari.

 

A natação brasileira terá uma única seletiva olímpica, que será o Troféu Brasil. A competição está marcada para acontecer nos dias 20 a 25 de abril, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro. Apenas os tempos da final serão considerados classificatórios para Tóquio. Esta é a primeira vez que o Brasil realiza apenas uma seletiva. Para Londres-2012 aconteceram sete torneios do tipo, enquanto para o Rio-2016 foram duas.

Breno (E) ficou com atrás de Fernando Scheffer nos 200m livres do Pan-Americano 2019 | Alexandre Loureiro / COB

Histórico de Conteúdo