Roger indica continuidade no Bahia e fala sobre título: 'Veio para atenuar o insucesso'
Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

O técnico Roger Machado deve seguir no Bahia para o Campeonato Brasileiro. Foi o que indicou o comandante em entrevista coletiva realizada na noite deste sábado (8), em Pituaçu, após a conquista do título baiano sobre o Atlético de Alagoinhas.

 

Durante entrevista coletiva, o treinador admitiu que sua situação seria complicada em caso de mais um vice, mas ressaltou que a diretoria tem lhe dado confiança para permanecer no cargo.

 

"É uma conquista importante. Todos nós sabiamos da responsabilidade desse título e tínhamos a consequência de que se houvesse um revés, seria difícil a permanência. A diretoria sempre me passou confiança sobre a continuidade do trabalho. Pressionado, muitas vezes a diretoria precisa tomar uma decisão contrária do que imaginava, mas essa conquista veio para atenuar o insucesso da Copa do Nordeste. Não é toda hora que se conquista um tricampeonato. Foi um jogo sofrido, onde o adversário valorizou a nossa conquista", disse.

 

Roger citou a maratona intensa de partidas em poucos dias e analisou que o time "perdeu energia" com o decorrer das partidas. Ele disse que ajustes serão feitos para a competição nacional.

 

"Foram 17 dias e 11 jogos. Estamos acabando a maratona estenuados. Iniciamos a retomada da pandemia com um bom jogo, mas a sequência foi tirando energia, quanto descanso. Não é dando injustificativa dos insucessos, mas jogamos contra equipes que negam espaço. A gente vai ajustar para render mais como o torcedor espera", projetou.

 

Questionado sobre o fato de jogar com os titulares, o que não vinha acontecendo no estadual, Roger explicou que a intenção era colocar os jogadores mais descansados.

 

"A gente reuniu a estratégia de ter os jogadores mais descansados, pegar os jogadores no seu melhor momento. Se a gente pensar pelo descanso, eles tiveram um dia a menos. É o melhor momento de cada atleta e os jogadores mais descansados para terminar essa maratona que foi complicado", relatou Roger, que fez menção ao técnico Dado Cavalcanti e ao time de transição.

 

"A medida que o projeto foi desfeito, a gente absorveu nove jogadores. Gostaria de agradecer ao Dado e a sua comissão que fizeram parte. Vocês também são campeões e os meninos também... É um processo que faz parte da maturidade do potencial que vão desenvolver. Eles se sentem parte importante dessa conquista", completou.

Histórico de Conteúdo