Diego Cerri fala em 'montar operação' para Bahia ficar com Gilberto
Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / EC Bahia

Na última segunda-feira (20), explodiu uma notícia que deixou muitos torcedores do Bahia preocupados. O Shimizu S-Pulse, do Japão, fez uma proposta para contratar o atacante Gilberto. O clube asiático cobriu a multa no valor de R$ 2,5 milhões e ofereceu boas condições ao jogador. Ainda não há uma definição sobre a oferta.

 

Diretor de futebol do Bahia, Diego Cerri falou ao site GloboEsporte.com e admitiu o grande assédio pelo artilheiro do Esquadrão de Aço em 2019. Segundo ele, a diretoria pensa em "montar uma operação" para manter o jogador.

 

"A gente teve várias equipes interessadas em Gilberto. Quando a gente trouxe para cá, em 2018, que ele estava na Turquia, veio livre, por um período curto e foi considerada a melhor contratação da janela no Brasil. Conseguimos renovar por mais dois anos, mas, como a gente não comprou, porque não tinha dinheiro para esse investimento, a multa para a rescisão dele não é tão alta, e os clubes do exterior têm um poderio econômico grande, e esses números não assustam eles. Surgiram algumas equipes interessadas. Chegou uma equipe que apresentou uma proposta de cobrir o valor da rescisão e apresentou uma proposta significativa para o atleta também. Agora estamos brigando para montar uma operação e ficar com ele. Estamos tentando montar um projeto para a permanência dele, que é primordial para a nossa equipe", disse.

 

Diego reiterou o desejo em manter o jogador, mas deixou claro que caso haja uma saída, o clube vai trabalhar para repor a perda.

 

"A gente quer fazer o máximo pela permanência dele. Se acontecer alguma coisa, nós vamos ter que tomar decisões depois disso", completou.

 

Gilberto chegou ao Bahia em 2018. De lá até aqui, foram 83 partidas disputadas e 38 gols marcados com a camisa tricolor.
 

Histórico de Conteúdo