Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Documentário sobre dominatrix pioneira vence principal categoria do Panorama
Foto: Divulgação

O documentário “Vil, Má - Divinely Evil”, de Gustavo Vinagre foi o longa-metragem vencedor da Competitiva Nacional do XVI Panorama Internacional Coisa de Cinema, que anunciou os filmes premiados na noite desta quarta-feira (03), em cerimônia transmitida ao vivo. 

 

O filme apresenta Wilma Azevedo, que, aos 74 anos, narra seu passado de dominatrix e escritora de contos eróticos. O júri justificou a escolha pelo “domínio de uma narrativa dupla em planos fixos hipnotizantes que revelam histórias de prazer e dor. Uma viagem entre fantasia, lembranças e criação literária. A força de uma personagem que também é criadora”. 

 

Na Competitiva Baiana, o melhor longa foi “Dorivando Saravá, o Preto Que Virou Mar”, documentário de Henrique Dantas sobre Dorival Caymmi. “Por fugir do tradicional objeto documental, ainda que em mesmo formato, transformando a biografia em percepção e influência, e por reproduzir esteticamente o principal elemento de uma obra”, explicou o júri. 

 

Uma novidade desta edição, a primeira online, o Júri Popular elegeu a produção baiana “Filho de Boi”, de Haroldo Borges e Ernesto Molinero, como melhor longa nacional, e “Portugal Pequeno”, de Victor Quintanilha, como melhor curta. Na Competitiva Baiana, o público escolheu o longa “Bembé do Mercado - 130 Anos”, de Danillo Barata e Thaís Brito, e o curta “Fica Bem”, de Klaus Hastenreiter. 

 

O Júri Jovem, formado por participantes da oficina de Escrita Crítica oferecida pelo festival, premiou “Neojibá - Música que Transforma”, de Sérgio Machado e George Walker Torres, como melhor longa da Competitiva Baiana. O curta vencedor foi “Tudo que é Apertado Rasga”, de Fabio Rodrigues Filho. 

 

Os escolhidos pelos júris Oficial e Jovem nas competitivas Baiana e Nacional receberão prêmios em serviços da Mistika, Naymar CiaRio, Griot, Bucareste Ateliê de Cinema, Nuno Penna, Marcelo Benedicts e Napoleão Cunha.  Os filmes premiados serão disponibilizados novamente no site do Panorama no próximo sábado (6). O acesso será aberto à 0h e será mantido por 24 horas. 

 

Uma realização da produtora Coisa de Cinema, o XVI Panorama Internacional Coisa de Cinema ocorreu de 24 de fevereiro a 3 de março, com a exibição gratuita de 77 filmes.


Confira todos os vencedores:

 

Júri Oficial 

Competitiva Nacional 
Melhor Longa: Vil, Má - Divinely Evil, de Gustavo Vinagre (prêmio em serviços da Mistika e de Naymar CiaRio)
Prêmio Especial do Júri: Voltei!, de Ary Rosa e Glenda Nicácio
Menção Honrosa: A Flecha e a Farda, de Miguel Antunes Ramos
Melhor curta: Inabitável, de Matheus Farias e Enock Carvalho (prêmio em serviços da Mistika e de Naymar CiaRio)
Prêmio Especial do Júri: Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha
Menção Honrosa: Inspirações, de Ariany de Souza

 

Competitiva Baiana 
Melhor Longa Baiano: Dorivando Saravá, o Preto Que Virou Mar, de Henrique Dantas (prêmio em serviços da Griot e de Nuno Penna)
Prêmio Especial do Júri: Rosa Tirana, de Rogério Sagui
Menção Honrosa: Memórias Afro-Atlânticas, de Gabriela Barreto
Melhor Curta: Tudo Que É Apertado Rasga, de Fabio Rodrigues Filho (prêmio em serviços da Griot, Marcelo Benedicts e Napoleão Cunha)
Prêmio Especial do Júri: À Beira Do Planeta Mainha Soprou A Gente, Bruna Barros e Bruna Castro
Menção Honrosa: Modo Noturno, de Calebe Lopes 

 

Competitiva Internacional
Melhor Longa: Mamá, Mamá, Mamá, de Sol Berruezo Pichon-Rivière (Argentina)
Prêmio Especial do Júri: A Metamorfose dos Pássaros, de Catarina Vasconcelos (Portugal)
Melhor Curta: O Silêncio do Rio, de Francesca Canepa (Peru)
Prêmio Especial do Júri: Os Meninos Lobo, de Otávio Almeida (Cuba)

 

Júri Indie Lisboa 

Competitiva Nacional
Melhor Longa: O Amor Dentro da Câmera, de Jamille Fortunato e Lara Beck Belov 
Melhor Curta: Noite de Seresta, de Sávio Fernandes e Muniz Filho

 

Júri Jovem

Competitiva Nacional 
Melhor Longa: Eu, Empresa, de Leon Sampaio e Marcus Curvelo 
Melhor Curta: Opy’i Regua, de Júlia Gimenes e Sérgio Guidoux  (prêmio: bolsa de estudos no Bucareste Ateliê de Cinema)
Menção Honrosa Curta: Noite de Seresta, de Sávio Fernandes e Muniz Filho

 

Competitiva Baiana 
Melhor Longa: Neojibá - Música que Transforma, de Sérgio Machado e George Walker Torres
Melhor Curta: Tudo que é Apertado Rasga, de Fabio Rodrigues Filho (prêmio: bolsa de estudos no Bucareste Ateliê de Cinema)

 

Júri Popular

Competitiva Nacional 
Melhor Longa: Filho de Boi, de Haroldo Borges e Ernesto Molinero
Melhor Curta: Portugal Pequeno, de Victor Quintanilha

 

Competitiva Baiana 
Melhor Longa: Bembé do Mercado - 130 anos, de Danillo Barata e Thaís Brito
Melhor Curta: Fica bem, de Klaus Hastenreiter. 

 

Competitiva Internacional
Melhor Longa: A metamorfose dos Pássaros, de Catarina Vasconcelos (Portugal)
Melhor Curta: Daughter, de Daria Kashcheeva (República Tcheca)

Histórico de Conteúdo