Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sábado, 12 de Dezembro de 2020 - 00:00

'Humanizar a figura da drag', justifica Gloria Groove ao dar espaço para seu 'lado masculino'

por Júnior Moreira Bordalo

'Humanizar a figura da drag', justifica Gloria Groove ao dar espaço para seu 'lado masculino'
Foto: Divulgação

No ano em que quase tudo ao redor do mundo parou como forma de tentar conter o avanço da Covid-19, os artistas precisaram - mais do que nunca - recorrer ao meio digital para seguir trabalhando. E um dos destaques de êxitos é a cantora Gloria Groove. Após dominar as paradas de sucesso ao lado de Manu Gavassi, com a música e clipe de “Deve Ser Horrível Dormir Sem Mim” - projeto que chegou ao top 2 do Spotify Brasil e Top 200 do Spotify Global, traçando marco inédito na carreira de ambas - a drag se reinventou no final do ano e montou um quebra-cabeça com o projeto “Affair”, que foi completamente disponibilizado na última semana com o single “Radar”.  

 

“Me vi num momento onde a única coisa que fazia sentido para mim era investir em algo que me desse a sensação de realização pessoal. Já era um sonho, só fui atrás de realizá-lo. Ainda tô besta que realmente entreguei uma era completa no meu estilo musical favorito. Que baita realização pessoal”, confessou em entrevista ao Bahia Notícias.

 

Somando já mais de 19 milhões de execuções - entre YouTube e Spotify - o projeto com cinco faixas trouxe a artista no estilo R&B em que o destaque se virou para sua voz. “A performance vocal é o fio condutor desta história. O R&B sempre esteve e sempre vai estar em minha vida. Isso não quer dizer que parei de fazer pop, ou que só vou fazer R&B... só quer dizer que esse é o meu momento agora”, confessou.

 

Ao todo, “Affair” conta com “Vício”, que traz o envolvimento; “Suplicar”, destacando a paixão; “A Tua Voz”, evidenciando a desilusão; “Sinal”, apresentando a esperança; e finaliza com “Radar”, mostrando a superação. O nome veio através dessa busca de achar uma palavra que expressasse ao mesmo tempo a tensão sexual presente nas composições, e também a ‘finesse’ que traz a sonoridade estilo musical escolhido. Porém, nos vídeos, o que tem chamando atenção são as aparições de Daniel Garcia, o criador de Gloria Groove. “Existe uma importância enorme em humanizar a figura da drag queen diante da sociedade. Me sinto livre, confortável e artista dos dois jeitos. E de vários outros jeitos também”, destacou.

 

 

“Desde meu primeiro videoclipe ‘Dona’ em 2016 já venho trazendo minha imagem como Daniel pro trabalho visual como Gloria Groove. Em Affair só se intensificou, pois foi fundamental na construção da narrativa. Me sinto cada vez mais confortável sendo ambos, porém não pretendo limitar e nem definir minha expressão artística a partir de gênero. Vou me apresentar como estiver me sentindo bem”, reforçou.

 

AMOR COM A BAHIA

Na música desde pequena, quando ainda era caloura do Raul Gil no início dos anos 2000, Gloria vem, ao longo do tempo, demonstrando seu amor pela Bahia. Por aqui, já protagonizou momentos inesperados, a exemplo de quando um fã invadiu seu show em dezembro de 2019 e ela “o empurrou” (veja aqui). Na época, rebateu as críticas justificou dizendo que ensaia “muito para estar inteira nas apresentações”. “Naquele momento tô trabalhando. Mas se vocês localizarem a poc eu faço questão de encontrar com ela aqui em Salvador e dar toda atenção”, disse. 

 

Além disso, já colaborou com artista diversos daqui, como o rapper de Alagoinhas, Hiran, e Léo Santana no sucesso “Arrasta”. “Desde a primeira vez que pisei na Bahia, senti uma identificação tremenda. É um dos meus lugares favoritos no mundo. A cultura, a música, a dança, a história, a herança... tudo me fascina. Saudades da Bahia”, admitiu. Quanto aos desejos futuros de parceiros locais: “Ainda sonho em fazer mais coisas com RDD (Rafa Dias) e o pessoal do ÀTTØXXÁ”, finalizou.

Histórico de Conteúdo