Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Documentário 'Babenco', de Bárbara Paz, é brasileiro escolhido para corrida ao Oscar
Foto: Arquivo pessoal/Bárbara Paz

O documentário "Babenco: Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou", de Bárbara Paz, foi definido como candidato brasileiro a uma vaga entre os indicados ao Oscar de melhor filme internacional em 2021. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (18), pela Academia Brasileira de Cinema (ABC).

 

Disputa a vaga os filmes "A Divisão", "A Febre", "Alice Júnior", "Aos Olhos de Ernesto", "Casa de Antiguidades", "Cidade Pássaro", "Jovens Polacas", "M8", "Macabro", "Marighella", "Minha Mãe É uma Peça 3", "Narciso em Férias", "Pacarrete", "Pureza", "Sertânia", "Todos os Mortos", "Três Verões" e "Valentina".

 

A definição não contou com participação do governo federal, ressalta reportagem da Folha de S. Paulo. Uma comissão formada inteiramente por profissionais do setor fez a escolha. Os integrantes são: os diretores de fotografia Afonso Beato e Lula Carvalho, os produtores Clelia Bessa, Leonardo Monteiro de Barros, Renata Magalhães e Rodrigo Teixeira, e os cineastas Laís Bodanzky, Roberto Berliner e Viviane Ferreira. Os também cineastas Andre Ristum e Toni Venturi serviram de membros suplentes do grupo.

 

Por causa da pandemia, o calendário da 93ª edição do Oscar foi adiado. A previsão é de que em 9 de fevereiro ocorra o anúncio dos filmes pré-selecionados para a categoria de longas internacionais. Quase um mês depois, no dia 15 de março, a lista completa de quem de fato foi indicado é anunciada, traz a Folha de S. Paulo.

 

A premiação  está agendada para ocorrer no dia 25 de abril de 2021.

 

“Babenco - Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, documenta os últimos dias de Hector Babenco, marido de Bárbara Paz.

Histórico de Conteúdo