Frei Betto lança livro 'Diário de Quarentena: 90 Dias em Fragmentos Evocativos'
Foto: Divulgação

O teólogo mineiro Frei Betto lançou um livro com reflexões sobre o isolamento. A obra “Diário de Quarentena: 90 Dias em Fragmentos Evocativos”, que saiu pela editora Rocco, conta com observações a respeito dos três primeiros meses da pandemia do novo coronavírus.

 

Segundo a sinopse do livro, ele “surge predestinado a se transformar em uma obra de referência duradoura, como o Diário da peste de Londres, de Daniel Defoe, publicado em 1722 e ainda em catálogo nos dias de hoje”.

 

De acordo com a descrição, assim como a obra de Defoe - sobre a epidemia da peste bubônica que matou 70 mil pessoas em Londres, em 1665 -, o de Frei Bettto também estabelece “uma uma rica reflexão acerca da condição humana” e mescla “o drama pessoal à tragédia coletiva”, na tentativa de responder as perguntas: “Quem somos nós, de onde viemos, para onde vamos?”.

 

Frei Betto então traz uma mensagem urgente, sobre a possibilidade de tragédias coletivas como a pandemia proporcionarem oportunidades para a humanidade repensar e se “reinventar”, corrigindo a rota de destruição, no rumo da justiça e da felicidade.

Histórico de Conteúdo