Sábado, 03 de Outubro de 2020 - 00:00

Titãs prometem 'show histórico' em Salvador, após sete meses fora dos palcos

por Jamile Amine

Titãs prometem 'show histórico' em Salvador, após sete meses fora dos palcos
Foto: Reprodução / Facebook

Um ano após apresentar o show "Titãs Trio Acústico" no Teatro Castro Alves, Branco Mello, Sérgio Britto e Tony Bellotto voltam à capital baiana, desta vez no drive-in do Centro de Convenções de Salvador, na Boca do Rio. A banda se apresenta neste sábado (3), às 22h, marcando o reencontro com os palcos, depois de cerca de sete meses de isolamento em virtude da pandemia do novo coronavírus. O período, segundo o Bellotto, foi angustiante e penoso, mas os Titãs seguiram tentando manter a rotina produtiva e conseguiram trabalhar novas músicas, mesmo sem ter “tranquilidade de espírito” para alimentar a criatividade.

 

“A gente não toca há muito tempo, desde março que os shows foram adiados. A gente fez algumas lives, acho que duas desde então, e esse é o primeiro show que a gente vai fazer. Então, quando chegarmos a Salvador nós vamos passar o som e eventualmente ver o que a gente coloca ali, se vai botar alguma música que não estava no show do TCA. Isso é uma coisa que a gente não definiu ainda. Mas com certeza vai ser um show diferente daquele do teatro porque é uma situação muito inusitada. E a gente está muito animado em fazer mais uma estreia na querida Salvador”, diz Tony Bellotto, lembrando que esta é também a primeira vez nos quase 40 anos de carreira que os Titãs tocam em formato drive-in.

 

Como na visita anterior, o trio traz uma versão afetiva e despojada do show Titãs Acústico MTV, incluindo clássicos do repertório da banda, a exemplo de “Epitáfio”, “Isso”, “Enquanto Houver Sol”, “Porque Eu Sei Que é Amor” e “Toda Cor”, e também mantendo espaço para incorporar alguma novidade. O espetáculo "Titãs Trio Acústico" é dirigido por Otávio Juliano. À venda no Sympla, os ingressos custam entre R$ 200 e R$ 400 por carro, com lotação máxima de quatro pessoas.

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, o músico destacou ainda a boa relação com o público baiano, desde o início da trajetória do grupo, classificou as apresentações em Salvador como “ocasiões especiais” e demonstrou um olhar otimista, apesar da realidade dramática pela qual o país e o mundo vem passando. “E realmente agora, nessa situação de pandemia, nesse momento tão tenebroso que a gente vive, eu acho que tem uma característica especial sim, acho que vai ser uma forma bastante intensa da gente comemorar que apesar dessa situação difícil, estamos sobrevivendo, estamos mantendo vivas as nossas esperanças, a nossa música. Então, com todos os cuidados possíveis, obedecendo todas as regras de higiene, nós estaremos aí, o público estará dentro dos carros, mas vai ser como sempre um show muito especial, porque o público de Salvador e da Bahia em geral é um público que recebe muito bem os Titãs e tenho certeza que esse show vai ser histórico”, avalia o artista, que defende a retomada “lenta, gradual e segura” do setor cultural.

 


Autodeclarados como "humanistas e mentes libertárias", os Titãs fazem duras críticas ao governo Bolsonaro | Foto: Reprodução / Facebook

 

Defensor da ciência e crítico do caráter negacionista com que o governo Bolsonaro tem lidado com a Covid-19, Tony Bellotto avalia que os shows para o público dentro dos carros podem ser uma alternativa para o entretenimento. “Realmente tem uma hora que a coisa precisa andar. E eu acho que essa saída dos shows em drive-ins é interessante, porque evita as aglomerações, no palco os protocolos todos de saúde são respeitados e a gente consegue manter a máquina girando”, pondera o músico, que classifica a politização da pandemia como “um erro” e diz que o governo tem agido “muito mal, desde o começo”. “Eu acho que a gente poderia ter minimizado todas essas mortes trágicas e toda essa dimensão tão trágica que a doença está causando no Brasil. Eu acho que houve falta de preparo do governo, o governo ficou negando, ficou minimizando erroneamente. Então, nós dos Titãs temos uma postura pró-ciência, a gente está a favor da Organização Mundial de Saúde e a gente obviamente percebe que esse governo não lidou bem e não está lidando bem com essa questão até agora”, defende o artista.

 

A bronca dos Titãs com o governo federal não é de hoje e tampouco apenas relacionada à resposta à pandemia. Em fevereiro deste ano, atuais e ex-integrantes do grupo repudiaram e proibiram o uso indevido da canção “O Pulso” em uma manifestação pró-Bolsonaro com ataques a outras instituições (clique aqui e relembre o caso). Segundo Tony Bellotto, a postura da banda não se trata de um posicionamento contrário à administração. Para ele, “o governo é que tem se posicionado contra os artistas em geral e contra a cultura, assim como tem se posicionado contra o meio ambiente, contra a diversidade, contra a liberdade”. 

 

Diante do quadro, o artista afirma ainda que “não há como ser conivente com um governo com viés autoritário, que demonstra muitas vezes um desprezo pelas instituições democráticas e liberdades individuais” e diz que os Titãs, como humanistas e mentes libertárias, “não concordam com uma situação de tolhimento de liberdades, de opressão, de valorização do machismo, da homofobia”. “É claro que nós, Titãs, somos contra tudo isso. Nós somos a favor de uma sociedade democrática, justa, libertária, onde se respeita os direitos individuais e as liberdades”, declara Tony Bellotto, que faz votos para que nas próximas eleições os brasileiros possam eleger “um governo mais democrático e afinado com nossos princípios humanistas, libertários e democráticos”.

 

SERVIÇO
O QUÊ:
Titãs Trio Acústico
QUANDO: Sábado, 3 de outubro, às 22h
ONDE: Big Bompreço Drive In Salvador - Centro de Convenções - Salvador (BA)
VALOR: R$ 400 (Setor Azul), R$ 300 (Setor Vermelho), R$ 250 (Setor Amarelo) e R$ 200 (Setor Branco)

Histórico de Conteúdo