Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Sábado, 26 de Junho de 2021 - 05:09

Fragmentos

por Carolina Freitas

Fragmentos
Foto: acervo pessoal

Não sou ou

Sou e

Soma

Tudo junto

Não há escolha

Bola de neve,

do pedrisco que embola

ao último floco que se agrega

E é quem arrasta

Ou é quem segrega

E é quem confunde

mas é quem carrega.

 

 

====

 

 

Foco

Ajuste no contexto

(oh, o que faremos

com o puritanismo?)

Venha com fluidez

naturalidade

encare como fisiológico

uma sede

uma coceira

uma vontade que não passa

pulsa

até ser consumida

 

 

=====

 

 

Se me emprenhas

de um sentimento

nasce um poema

não lês

alienação parental

 

 

====

 

 

Não se dá a dilemas

Abre a porta

Fecha os esquemas

Escarra no asco

Obedece ao poder

 

 

====

 

 

Afeita a afetos

meus amigos diletos

digo-lhes

Não à tamagoshização.

Que os relacionamentos,

papos, alentos

qualquer notícia vã

seja vista além do ecran.

Para que a revolução digital

seja útil

não nos façamos escravos

desta transformação.

Que possamos apertar os laços

e sair no encalço

reverter o percurso

estar longe, podendo perto, cair em desuso.

Então chegue amigo

conte comigo

amo as palavras, mas quero trocar

o beijo mandado, o abraço apertado escritos

por aqueles que verdadeiramente posso dar.

Leia este declame

Leia como um manifesto

Não leia em vão

Vamos viver a vida

te peço

Largue este celular

num protesto:

Não à tamagoshização

 

 

=====

 

 

Nega fé cega

Acende vela pro desconhecido

Apela para todos os pagãos

Ajoelha, reza

Sôfrega

Resfolega

Ascende

Cai em pecado

Gloria a nós, Senhor

 

 

=====

 

 

E se,

diferente de tudo que as fábulas nos contaram,

a vida for feita para um monte de curtas

ao invés de um longa metragem?

 

 

====

 

 

Evadiu no meio de tudo. Já servi. Já fui útil. Já deu. Evaporou-se fugaz.

Permeou respostas com um amor destes de quadrinho: sem vocábulo. Coração sem expressão.

Fico. Novamente faço. A mim (faço): armadilha, laço, semeadura, semeio.

Tudo aflora. Tudo inspira. Saí da tua mira, mas sou alvo de mim mesmo.

 

 

====

 

 

Me dá um desconto

equaciono relações

precifico o sentir

como se o exacerbo

não fosse legítimo.

Viveremos de média

dividiremos tudo por dois

equação exata

que não cabe na vida.

 

De resto,

tudo que não nos depende

o que se impõe

lá fora

é tudo maior que

(maior que nós)

 

Assim redimensiono

Reequaciono sentimentos

que tendam ao infinito

dízimas periódicas ao além

 

 

====

 

 

Para você

para todos

para ninguém

(felizmente)

Para quem não vê

ou vê, mas não lê.

Para mim

(principalmente)

Para o universo

para o inimigo

para o centro

para o umbigo.

Sobretudo

para você.

Histórico de Conteúdo