Quarta, 27 de Maio de 2020 - 11:44

Presidente de Fórum de Cultura alerta: sem apoio, atividades tradicionais podem morrer

por Bruno Leite / Jamile Amine

Presidente de Fórum de Cultura alerta: sem apoio, atividades tradicionais podem morrer
Foto: Bahia Notícias

De fora do auxílio emergencial pago pelo governo federal aos trabalhadores mais vulneráveis, o setor cultural, que tem sido duramente prejudicado diante da crise causada pela pandemia do novo coronavírus, teve uma vitória nesta terça-feira (26). 

 

A Câmara dos Deputados votou e aprovou a Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, que prevê o orçamento de R$ 3 bilhões com o objetivo de socorrer o setor (clique aqui e saiba mais). Para explicar detalhes da lei, que agora vai para votação no Senado, o Bahia Notícias realizou uma live com Úrsula Vidal, secretária de Cultura do Pará e presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Cultura. 

 

Durante o bate-papo, Úrsula falou do trabalho intenso da relatora Jandira Feghali para costurar um consenso e aprovar a medida emergencial na Câmara, inclusive com apoio do líder do governo, e avaliou que no Senado será menos complicado votar pela implementação do PL 1075.  

 

A gestora comentou ainda a importância do auxílio, não só para a economia criativa, mas também para a manutenção do patrimônio cultural, expresso por atividades tradicionais, que sem o apoio do Estado podem desaparecer.

 

A presidente do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes de Cultura sinalizou ainda que os cadastros realizados pelas prefeituras e governos estaduais poderão ajudar a mapear melhor o setor cultural - que envolve muita informalidade -, e a partir daí possibilitar a implementação de políticas mais eficazes. 

 

Confira o bate-papo completo:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Site Bahia Notícias (@bahianoticias) em

Histórico de Conteúdo