Sábado, 16 de Fevereiro de 2019 - 00:00

Em cartaz no TCA, Baby do Brasil promete 'mostrar a beleza extravagante da música'

por Jamile Amine / Rebeca Menezes

Em cartaz no TCA, Baby do Brasil promete 'mostrar a beleza extravagante da música'
Foto: Divulgação

Com um vigor semelhante ou maior que muitos jovens artistas, a veterana Baby do Brasil retorna a Salvador para apresentar seu mais novo show, “Música Extravagante”, em cartaz na sala principal do Teatro Castro Alves, neste sábado (16), a partir das 21h. 


Acompanhada por Frank Solare, Guilherme Schwab e Raphael Garrido nas guitarras; André Gomes (baixo); Luciano Lopes (teclado); Ícaro Sá (percussão) e Marcelo Brasil (bateria), a artista apresentará um repertório variado, que inclui sucessos de sua carreira solo, hits dos Novos Baianos, além de releituras da música clássica, jazz, bossa nova, pop e rock. “Tudo isso se conecta quanticamente! (risos). A música desde antes de Bach até à descoberta por ele, das escalas no ‘Cravo bem temperado’, foi evoluindo para vários estilos e hoje chegamos num momento delicado na música no Brasil, mas entendo que esse é o momento propício para chegarmos com essa proposta de revisitar a beleza da música em vários estilos e mostrar a relação que elas têm na sua extravagância!”, explica Baby. “Estamos ainda num momento crítico da nossa música e a minha ideia é reunir o que há de melhor em diversos estilos e mostrar a beleza extravagante da música. Por isso esse é o nome do show. Onde cabem todos os estilos”, acrescenta.


Durante o show, os baianos poderão conferir ainda três novas canções, que entrarão no próximo trabalho da cantora e compositora: “Eu vou dizer que sim”, “Você é lindo” e “Aquela Porrada”. “São três inéditas. Eu achei que já estava na hora de mostrar ao público o que estou escrevendo e compondo para esse meu novo CD de inéditas, que chegará ao público nos próximos meses”, conta Baby do Brasil. Na entrevista, Baby confirmou ainda que está de pé o projeto de reunir outra vez os Novos Baianos em uma mesma casa, no fim deste ano, para preparar um novo disco autoral.

 

O repertório do show inclui sucessos de sua carreira solo e nos Novos Baianos, além de releituras da música clássica, jazz, bossa nova, pop, rock. De que forma tudo isso se conecta? Qual foi o critério para desenhar esse set list?

Tudo isso se conecta quanticamente! (risos). A música desde antes de Bach até à descoberta por ele, das escalas no “Cravo bem temperado”, foi evoluindo para vários estilos e hoje chegamos num momento delicado na música no Brasil, mas entendo que esse é o momento propício para chegarmos com essa proposta de revisitar a beleza da música em vários estilos e mostrar a relação que elas têm na sua extravagância! O set list foi desenhado para que cada introdução, música e solos estivessem em lugares que proporcionassem o entendimento da ideia do show, em mostrar a beleza e a riqueza musical de arranjos, melodias e harmonias que estão em cada canção que segue no roteiro.


Qual será a formação da banda que te acompanhará neste show?
Essa é uma banda de músicos-artistas, onde a maioria já tem as suas carreiras solo. Foram convidados por já estarem totalmente envolvidos com a proposta do show, por serem os artistas que são, contribuindo com o melhor do talento de cada um. Nas três guitarras Frank Solare, Guilherme Schwab e Raphael Garrido; no Baixo André Gomes; no Teclado Luciano Lopes; na percussão Ícaro Sá; na bateria Marcelo Brasil.

 

Um de seus maiores sucessos, "A Menina Dança" é uma das canções do repertório:

 

E a escolha do nome do show? Por que “Música Extravagante”? 
Depois do "Baby Sucessos", com meu filho Pedro Baby na direção musical e guitarra, eu parti para o “Baby do Brasil Experience”, em que comecei a mergulhar mais fundo na minha criatividade e me preparar para um novo tempo. Comecei a compor novas canções, ter novas ideias de letras, e tudo isso paralelamente à tour como um dos integrantes dos Novos Baianos. Quando paramos, resolvi então começar a desenhar o novo show “Música Extravagante”. Eu precisava reunir muitas influências e muita beleza de arranjos e melodias e acordes para contribuir com a formação musical dessa nova geração que tem ido aos shows. Estamos ainda num momento crítico da nossa música e a minha ideia é reunir o que há de melhor em diversos estilos e mostrar a beleza extravagante da música. Por isso esse é o nome do show. Onde cabem todos os estilos.

 

Você já é uma mulher de personalidade forte, de presença, o que seria pra você “Música Extravagante”?
Um conceito! Que vai de Jackson do Pandeiro a bossa nova. De Vivaldi a Jimi Hendrix, de Lupicínio Rodrigues a Novos Baianos, de Ravel a Bob Marley, de Tinna Turner a Menina Dança. (risos)

 

Em 2016, você retomou o trabalho com os Novos Baianos e em 2017 vocês lançaram um CD e DVD desse reencontro (veja aqui). Depois você comentou que poderiam lançar um disco de inéditas, caso voltassem a reproduzir a forma como vocês viviam em comunidade. Isso aconteceu? Como foi? Tem previsão de lançamento deste CD?
Depois dessa primeira tour com CD e DVD, estamos nos dedicando às carreiras solo para a partir do final de 2019 começarmos a preparar o segundo CD e trazer todo esse clima maravilhoso de novo! Os Novos Baianos retornam à agenda muito em breve!

 

Você diz que a ideia é que os Novos Baianos comecem a produzir no final de 2019, retomando esse clima da primeira experiência. Já está confirmado esse momento de vivência em comunidade? 
Será confirmado no final de 2019.

 

Já tem um local fechado, em que vocês pretendem ter essa experiência?
A ideia é morarmos juntos um mês para trazermos a mesma atmosfera que tínhamos no início, para esse novo repertório.

 


Baby confirmou que Novos Baianos voltarão a viver juntos para preparar novo disco inédito | Foto: Jamile Amine / Bahia Notícias


Você vai apresentar ao público baiano três inéditas do seu novo CD. Quando sai o disco? Pode falar um pouco destas canções? Quais são essas canções? Composições suas? Parcerias?
Sim, são três inéditas, eu achei que já estava na hora de mostrar ao público o que estou escrevendo e compondo para esse meu novo CD de inéditas, que chegará ao público nos próximos meses. Uma delas chama-se “Eu vou dizer que sim”, uma canção minha, dançante, que fala dessa nossa condição humana de escolhedores todo o tempo. Fala da hora de dizer não e da hora de dizer sim, por causa do perdão. A outra chama-se “Você é lindo”, essa canção é em parceria com Marivaldo Santos, o nosso baiano do Stomp, e é uma das poucas canções em que originalmente a letra é de mulher para homem. É romântica e mistura bossa nova com música latina bem suave. Temos muitas músicas de homens para nós mulheres, mas essa é para as mulheres cantarem pros seus apaixonados (risos). A terceira canção chama-se “Aquela Porrada “, um blues em parceria com Raphael Garrido. Escolhi esse ritmo para dar suavidade a essa palavra onde no refrão eu canto: “Porrada não é só pancadaria... Também pode ser uma experiência que gere sabedoria”. Essa canção coloca os três tipos de significado da palavra "Porrada", e resignifica o conteúdo com uma letra bem psicanalítica e espiritual ao mesmo tempo (risos).


Por fim, qual é a expectativa de retornar a Salvador com o show solo?
Salvador é minha segunda terra Natal. Fui muito abençoada por Deus quando vim pra cá aos 16 anos - embora desde os nove anos de idade fosse para Poções, no interior, na casa do meu avô Gabriel, passar as férias com meu irmão Arthur. Como disse o nosso amado poeta Gilberto Gil, “a Bahia já me deu régua e compasso”! Aprendi muito nessa escola de música e vida, morando junto 10 anos com o meu querido grupo os Novos Baianos. Me tornei a primeira cantora de Trio Elétrico na escola de Dodô e Osmar e Armandinho, e aprendi essa arte do Carnaval de rua eletrizado, nessa que é maior escola, onde a Bahia é o berço e o palco principal! A minha expectativa é de poder retribuir com muita música e muito amor à Bahia tudo o que ela me deu!

 

SERVIÇO
O QUÊ:
Baby do Brasil – Turnê “Música Extravagante”
QUANDO: Sábado, 16 de fevereiro, às 21h
ONDE: Sala Principal do Teatro Castro Alves, Campo Grande
VALOR: Das filas A a W R$ 180 (inteira) e R$ 90 (meia), das filas X a Z6 R$ 150 (inteira) e R$ 75 (meia), das filas Z7 a Z11 R$ 120 (inteira) e R$ 60 (meia), das filas Z7 a Z11 

Histórico de Conteúdo