Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Segunda, 13 de Setembro de 2021 - 15:40

Blog do Preto comemora oito anos e apresenta baianos inspiradores na série BN Homem

por Marcos Preto

Blog do Preto comemora oito anos e apresenta baianos inspiradores na série BN Homem
Foto: Arquivo Pessoal

Na última terça-feira, a musa das manhãs Globais, Ana Maria Braga, iniciou mais uma edição de um projeto culinário de sucesso da TV. Trata-se do Jogo de Panelas que, dentre as dezenas de participantes de todo o Brasil em suas edições, teve um representante baiano muito versátil, um homem amante da culinária, Ranieri Muti.

 

Fundador do buffet Delícias Encantadas - uma das empresas baianas que nasceu em casa e que mudou a vida de mais um brasileiro -, Ranieri tem na empresa umcardápio muito diferenciado, contendo, por exemplo,dezesseis tipos de pães delícia. Todos preparados pessoalmente pelo novo chef.

 

 Ranieri Muti com Ana Maria Braga (Foto: Divulgação)

 

Devido à sua história cheia de reviravoltas, o ex-educadorfísico foi escolhido para ser o primeiro convidado da série“BN homem”, que celebra os oito anos do Blog do Preto e que vai bater um papo com homens que se reinventaram através de profissões capazes de dar às suas vidas um novo significado.

 

MP: Como era a sua vida até você mudar para uma nova profissão?

RM: Eu começo minha vida profissional como menoraprendiz da Caixa Econômica, aos treze anos de idade. Sigo dez anos de carreira bancária. Depois vou para Ilhéus, me formo como guia de turismo regional, depois guia de turismo nacional. Fico dez anos baseado em Porto Seguro, fazendo Brasil e região Bahia. Depois vou para São Paulo onde eu faço Educação Física. Volto educador físico para Salvador. Fico quatorze anos na área, mas, devido a uma hérnia na cervical, não consigo mais exercer. Chega o jogo de panelas, eu me reinvento para culinária.

 

MP: Como o jogo de panelas surgiu na sua vida?

RM: O jogo de panelas surgiu em minha vida de uma forma muito louca pelo seguinte: em 1998 ou 1999, eu passo por uma crise financeira muito grande e essa crise me rende uma ação de despejo, sendo isso em Porto Seguro. Semanas depois, pensando em fazer um prato para comer na Semana Santa, assistindo Ana Maria Braga, elaapresenta uma pascoal, uma espécie de colomba salgada servida na páscoa, feita com bacalhau. Usei os 20 reaisque tinha para fazer o prato.

 

Ao cortar, eu pensei no quanto eu era feliz com aquilo e que se ficasse bom eu poderia comercializar aquela delícia. Experimentei e estava maravilhoso! Daquelesvinte reais que eu tinha, sobraram vinte e cinco centavos e com ele eu comprei papel celofane, deixando fiado cinquenta centavos na papelaria. Enrolei saquinhos com fita e, com o prestigio que tinha na cidade, fui entregando os saquinhos nas empresas. Resultado: cento e vinte encomendas de quarta-feira ao domingo e muitas noites sem dormir.

 

Resumindo: os três meses de aluguel foram pagos, bem como água, luz, antecipação de novos aluguéis e ainda fiz uma feira para me mater. Logo depois um emprego surgiu e, em 2006, com a vontade de agradecer à Ana Maria, eu fui em um ao vivo que ela fez no Mercado Modelo paralhe agradecer por ter sido minha mentora. Voltei, porém, com a boneca de chita que eu tinha comprado para dar-lhe de presente, pois o evento já estava lotado. 

 

Logo depois vi o anuncio do jogo de panelas. Recebi ligações de três pessoas, avisando-me do quadro. Daí, cheio de fé que sou e acreditando na simbologia do número 3, me inscrevi. Fui atendendo às demandas que o programa pedia para, no dia 26 de setembro, receber uma ligação de um número do Rio de Janeiro. Nesta ligação, que tinha tudo para não ser completada por eu estar em Petrópolis, eu consegui a vaga no programa,depois de várias seletivas e entrevistas.

 

MP: Depois do programa, a sua vida tendeu para a gastronomia de vez?

RM: Não! Eu não fui para a gastronomia direto por conta da decepção com o resultado do programa. Segui a vida como personal e as pessoas que assistiram ao programa começaram a cobrar que eu atuasse no serviço de personalchef. Logo depois, uma prima me inscreveu em um curso de pães delicia, algo impensado para mim, por conta da minha dislexia, hiperatividade e tremor essencial das mãos. Fiz o curso e, encantado com a didática da ministradora do curso, guardei a receita, mas, mesmo com as solicitações de amigos, não a coloquei em prática.  Porém, uma das convicções que tenho é que a vida é umalinda e grande teia de aranha e ela vai sendo tecida a cada dia, até que ao final temos uma imagem de uma teia perfeitamente tecida por um inseto. 

 

Assim, o meu atual marido começou a cobrar os pães e com as minhas negativas, colocando a culpa na falta da batedeira, ele saiu e me presenteou com uma das mais modernas para que eu iniciasse o negócio. Nesse interim, eu fiquei com braço imóvel por conta de uma hérnia na cervical um ano depois do programa ter ido ao ar. Procurei o acupunturista Ma To Chi e ele não tinha horário para mim, mas quem atendeu ao telefone, me indicou o filho dele, Tales Ma To Chi. Eu agendei e cheguei no consultório do profissional sendo reconhecidona recepção pelo Jogo de Panelas. Deus coloca anjos nas nossas vidas, e Ele coloca esses anjos todos os dias em nossas vidas. Você só precisa reconhecer quando eles são anjos e vieram para ajudar. 

 

Feliz por ser reconhecido, fui ao procedimento. E em 07 de Dezembro de 2019, Thales Ma To Chi me pergunta o que eu também fazia da vida “pós-fama”. Eu disse: virei culinarista! Sem conter as palavras que saiam da minha boca, eu continuei a responder a minha especialidade: pães delícia! Isso sem ter testado a receita. Continuei sendo indagado sobre se tinha um sabor diferenciado. A resposta foi frango com gorgonzola, por conta de um frango com gorgonzola que tinha feito no dia anterior para meu esposo. Resultado: uma encomenda do pãozinho citado para dali há dez dias e mais cinquenta para cinco dia depois da primeira entrega. Convoquei um amigo e assim fui preparar os pães, mas, com a dislexia, errei a receita e desisti de fazer os pães. 

 

Faltando cinco dias para a entrega, fizemos cem pães recheados e após comermos os quase cem pães em uma reunião de amigos, descubro que achei a receita. Assim surge a Delícias Encantadas. Com a venda de mais de dois mil pães no susto, as encomendas não pararam e dobram a cada ano no mês de dezembro, sem contar com as entregas recusadas por fazer tudo sozinho em minha casa, por enquanto.

 

Os pães delicia que mudaram a vida de Ranieri (Foto: Divulgação)

 

MP: Quais os serviços que a Delícias encantadas oferece hoje e quais os seus próximos passos profissionais na culinária? 

RM: Hoje o Delícias Encantadas oferece praticamente um serviço de buffet informal, porque Delícias Encantadas começa com pães delícia com sabores exclusivos, como queijo cabra holandês com damasco, ricota defumada - e esses dois, ninguém tem em Salvador -, bacalhau, camarão. 

 

Quanto aos pães doces, eu tenho de coco, doce de leite, para o qual primeiro é feita a ambrosia, que depois serábatida no liquidificador para fazer o doce em pasta. E eu tenho brigadeiro de colher. Eu também inventei o bolo delícia. E aqui a gente diz que, com ele, você come camarão de verdade, pois eu pico o camarão e você vai comer os pedaços de camarão. Depois entrei com sequilhos, que deram muito certo. São nove tipos entre doces e salgados.

 

Para me reinventar, eu entro com uma linha de salgados - de treze a quatorze tipos de salgados - e devo entrar com bolinho de feijoada que só é igual ao de quem inventou, Cátia, a culinarista do Rio de Janeiro. E agora eu tenho os doces finos e doces de festa e pretendo entrar até o Natal com as tortas cobertas, 4 ou 5 tipos de tortas doces. E o próximo passo é ir para um ponto físico, pois está já me faltando espaço, mas hoje você já pode pedir a sua festinha conosco.

 

MP: Pensa em participar de um novo desafio na TV e além disso onde você quer chegar com a culinária?

RM: Penso sim! Penso em partir para um novo desafio na TV. E já tenho um convite em aberto. Na verdade, eu não sei se posso dizer, mas eu tenho um convite da TVBandeirantes para entrar com um programa ou entrar em um quadro em um programa. Uma grande executiva da Band Salvador já me fez o convite há um ano. Falta coragem para entrar, pois eu ainda não me sinto preparado. Acho que eu posso ter uma grande explosão e não conseguir atender a todo mundo. E eu tenho um vício de dizer que uma grande surpresa pode ser uma grande surpresa ou uma grande presepada. E eu não vou admitir nunca ser uma grande presepada. Eu quero ser uma grande surpresa.

 

MP: Como te contactar para conhecer os seus serviços?

RM: Meu veículo de vendas é o instagram. Nessa rede, em minha bio, também tem um link para o whatsapp, pelo qual se fala diretamente comigo. Você que está lendo vai lá no @deliciasencantadasof e fale qual a delícia que deseja.

 

Assim, com essa história marcante de um ex-personal que virou dono e chef de um excelente buffet, dou início ao projeto Substantivo Masculino. 

 

Ah! Raniere manda avisar que, ao conseguir chegar a marca de dez mil seguidores, pretende comemorar este número com muitas novidades.

Histórico de Conteúdo