Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 19 de Janeiro de 2021 - 19:00

Giro: Segunda edição da Festa Literária de Uauá será virtual

por Adriana Barreto e Cris Montenegro

Giro: Segunda edição da Festa Literária de Uauá será virtual
Elisa Lucinda | Foto: Divulgação

Começa na quinta-feira, 21 de janeiro, às 19h, no Youtube.com/FLIU, a segunda edição da Festa Literária de Uauá que, em quatro dias contará com uma programação de mesas literárias, programação infantil e musical e exibição com nomes locais e nacionais.  “A FLIU surgiu de diversas necessidades. A maior delas, sem dúvida, era a ausência de um evento literário no sertão da Bahia. Era questão de honra para uma região tão literária”, conta a coordenadora, Lorena Ribeiro. O projeto será realizado entre os dias 21 e 24 e tem o propósito de provocar uma reflexão coletiva e propositiva sobre o atual momento vivenciado mundialmente e como a arte interfere diretamente com o seu papel acolhedor.

 

Nos dias do evento, a FLIU Virtual irá abordar temas ligados ao processo literário durante à pandemia e como esse processo pode ser transformador na formação da sociedade. A programação terá debates sobre temas fundamentais para o desenvolvimento humano e contará com nomes da literatura, música, teatro e política, como Xico Sá, Marcelino Freire, Bráulio Bessa, Elisa Lucinda, Capinam e Roberto Mendes. A edição fará uma homenagem ao professor Jorge Portugal, que faleceu em 2020. A curadoria da FLIU Virtual é de Maviael Melo, poeta, cantador, cordelista e cidadão Uauaense desde 2017.

 

Na quinta feira, dia 21, a programação começa às 19h, com exibições de vídeos da FLIU 2019 e a primeira Mesa tem como tema “Jorge Portugal do Brasil”, com a presença de Capinam e Roberto Mendes. A noite também terá shows musicais de Roberto Mendes e Raimundo Sodré, ambos parceiros musicais do homenageado que, farão apresentações autorais com músicas imortalizadas na parceira, a exemplo Da Massa, de Raimundo Sodré e Jorge Portugal.

 

Na sexta-feira, 22, a programação começa às 9h30, com a apresentação da Cultura Local com Nilton Freitas. Às 10h, a FLIU tem uma programação Infantil com a “Galeota do São Francisco”. O dia também conta, às 14h30, com a palestra de Bráulio Bessa, que tem como tema “Poesia com Rapadura” e às 16h, Ésio Rafael media a mesa “Tempo, Espaço e a Literatura OnLine”, que terá a presença de Xico Sá e Marcelino Freire. A última mesa da noite, às 19h40, é sobre “Lugar de Fala – Mulheres, Palavras e Pandemia”, com Elisa Lucinda e Luna Vitrolira. A noite termina com um show de Aiace.

 

O sábado, 23, começa às 10h, com a mesa EDU Cordel – Encontro de Educação e Cordel, com Antonio Barreto, Auritha Tabajara e Elton Magalhães, com mediação de Maviael Melo. O dia também contará com vídeos da cidade de Uauá e imagens da edição presencial da FLIU, realizada em 2019 e apresentação Cultural Local, com Bianca Cordeiro. Às 14h30, terá início a mesa Política e Literaturas com Elika Takimoto e Cida Pedrosa. O dia contará com vídeos com depoimentos de moradores de Uauá e apresentação de Celo Costa. Às 19h30, a mesa batizada de “Versos e Vozes Femininas”, terá a presenta de Isabelly Moreira, Erika Pók e Clarissa Macedo, com mediação de Mariana Guimarães. Para finalizar a noite, shows do grupo pernambucano Em Canto e Poesia e do Poeta Cantador Flávio Leandro.

 

A despedida da FLIU Virtual, no domingo 24, será destinada ao lançamento de Livros com um bate papo com Emmanuel Mirdad e Maviael Melo, falando dos livros Oroboró Baobá e O Espelho dos Girassóis, além da apresentação da Editora CLAE sobre a produção literária do Vale do São Francisco, com o poeta, editor e produtor juazeirense João Gilberto e, para fechar a edição, um show de Xangai e João Omar. Durante todos os dias, a FLIU também conta com apresentações de vídeos, interação com moradores da cidade e contação de histórias para crianças. “Uma programação variada, para atingirmos todos os públicos durante todo o dia, com acesso gratuito e interação, através de chat, de autores e participantes. O nordestino é um forte e a gente tem que continuar disseminando a nossa cultura”, diz Lorena.

 

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia e da Fundação Pedro Calmon (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Histórico de Conteúdo