Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quarta, 08 de Dezembro de 2021 - 00:00

Plano de Cultura poderá ser prejudicado caso não seja votado na próxima semana

por Bruno Leite

Plano de Cultura poderá ser prejudicado caso não seja votado na próxima semana
Foto: Antônio Queirós / CMS

O Plano Municipal de Cultura poderá ter sua execução prejudicada se não for apreciado pela Câmara de Vereadores na próxima semana, antes do recesso de final de ano do Legislativo. Objeto de discussão entre parlamentares, a matéria começou a tramitar na Casa em junho e já teve sua votação adiada por sucessivas sessões.

 

No bojo da proposta estão dentre outras políticas culturais, a estipulação de dez diretrizes, treze objetivos, dez estratégias e 29 metas a serem cumpridas ao longo da próxima década. A implicação está justamente no cumprimento de algumas delas a curto prazo, já que algumas devem ser colocadas em prática nos primeiros meses de 2022.

 

Uma reunião realizada nesta segunda-feira (6) trouxe novidades sobre um possível desfecho positivo para a proposição. Membros da bancada cristã bloqueiam o andamento do projeto de lei (PL) por rejeitarem a presença de trechos que citam explicitamente a denominação "LGBTQIA+" ou qualquer outra referência direta ao assunto (veja aqui). 

 

De acordo com o relator, o vereador Sílvio Humberto (PSB), os vereadores estarão debruçados no projeto antes da pausa nas atividades da Câmara. "Ocorreu uma reunião do colegiado de líderes, onde foi concentrado esforços para alguns entendimentos, e de lá foi decidido que o projeto será votado na próxima semana, impreterivelmente", afirmou. 

 

O edil usou a tribuna do plenário Cosme de Farias na sessão desta terça-feira (7) para reclamar do atraso na avaliação. Nas palavras de Humberto, "as barreiras precisam ser ultrapassadas". "O fundamentalismo precisa sair para o diálogo entrar", defendeu.

 

O plano foi elaborado ao longo dos últimos três anos. Ele é o primeiro do município, que é conhecido, basicamente, pela influência direta que a cultura tem na economia. 

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, o presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM) disse acreditar na legitimidade da contestação dos edis cristãos (confira aqui), que em um primeiro momento haviam consentido com a existência da diversidade no plano, mas que, momentos antes da votação, voltaram atrás no acordo. Contudo, segundo o presidente da FGM, o debate feito pela bancada não segue o entendimento de "cultura LGBTQIA+", mas do termo apenas como uma orientação sexual. 

 

"A gente não está discutindo orientação sexual. Estamos discutindo uma cultura, como existe a evangélica, a hip-hop, a cultura afro, a cultura rock. Ou seja, essa é a grande confusão: o não reconhecimento desta cultura, que, inclusive, é uma discussão delicada porque isso é recente", explanou o presidente da FGM.

 

Para o presidente da Fundação Gregório de Mattos, o poder de decisão agora é dos representantes da sociedade civil, os vereadores. "Esse plano é muito importante para a cidade de Salvador. Ele envolve o esforço de muita gente, é um trabalho cansativo, é exaustivo. Precisamos aprovar este plano e a decisão está agora na Câmara de Vereadores". 

 

Uma das vereadoras da bancada cristã e que fazem oposição aos termos no PL, Débora Santana (Avante), disse, durante sua participação na sessão em que o seu grupo tornou pública a posição, que postura avessa aos dispositivos voltados para a população LGBTQIA+ é justificada pela sua coerência religiosa. "Em minha posição cristã, eu, hoje, não entendo o LGBT como cultura e sim como orientação sexual", julgou a vereadora, que ressaltou não estar sendo preconceituosa em sua fala. 

 

Na mesma oportunidade, a única parlamentar assumidamente LGBT do Legislativo de Salvador, Laina Crisóstomo (PSOL), rebateu a rejeição da matéria pelos evangélicos da Casa. "Para mim sempre é muito difícil tentar entender qual é o dilema e o problema com a sigla LGBT se não LGBTfobia, invisibilidade e apagamento das nossas histórias", enfatizou. 

 

"Existe sim cultura LGBT, existe direito LGBT, saúde LGBT. Não somos uma sigla apenas, mas existimos e há 31 anos lutamos para não ser mais entendidos como doentes", adicionou a vereadora Laina, que se emocionou ao falar sobre o tema. 

Empresários tentam emplacar Carnaval em circuito fechado no Comércio; entenda
Foto: Igor Santos/ Secom

Um grupo de empresários tem tentado convencer a prefeitura de Salvador a autorizar a realização de festejos de Carnaval em um circuito fechado na região do Comércio. Segundo informações obtidas pelo Bahia Notícias, esse grupo prevê sete portais de controle de pessoas que exigiriam comprovação vacinal e manteriam o acesso restrito, dentro de protocolos de segurança.

 

A proposta é similar à estrutura proposta para o Afódromo e já descartada no passado e enfrenta resistência por parte da gestão soteropolitana. A expectativa, conforme informações de bastidores, é limitar o número de participantes em 50 mil pessoas - número 10 vezes superior ao atualmente autorizado pelos protocolos sanitários pelo governo da Bahia.

 

Além da possibilidade de um circuito fechado no Comércio, esse grupo ainda sugeriu algo semelhante na região final do circuito Barra-Ondina, também em uma modalidade com acesso restrito. A hipótese, contudo, já teria sido descartada antes mesmo de uma procura informal pelo aval da prefeitura da capital baiana.

Terça, 07 de Dezembro de 2021 - 00:00

Fernando Guerreiro acredita em uma conciliação para votação do Plano de Cultura

por Bruno Leite

Fernando Guerreiro acredita em uma conciliação para votação do Plano de Cultura
Foto: Bahia Notícias

Presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM), o diretor teatral Fernando Guerreiro ainda considera um entendimento conciliatório para que o Plano Municipal de Cultura de Salvador seja votado na Câmara de Vereadores nos termos que foi submetido ao Legislativo.

 

Empacada por falta de acordo entre parlamentares de oposição e membros da bancada cristã que contestam a presença do termo LGBTQIA+, a proposição versa sobre o planejamento das políticas culturais da capital baiana pelos próximos dez anos.

 

Ao Bahia Notícias, Guerreiro disse acreditar na legitimidade da contestação dos edis cristãos, que em um primeiro momento haviam consentido com a existência da diversidade no plano, mas que, momentos antes da votação, voltaram atrás no acordo (relembre aqui). Contudo, segundo o presidente da FGM, o debate feito pela bancada não segue o entendimento de "cultura LGBTQIA+", mas do termo apenas como uma orientação sexual. 

 

"A gente não está discutindo orientação sexual. Estamos discutindo uma cultura, como existe a evangélica, a hip-hop, a cultura afro, a cultura rock. Ou seja, essa é a grande confusão: o não reconhecimento desta cultura, que, inclusive, é uma discussão delicada porque isso é recente", explanou o presidente da FGM.

 

Guerreiro foi um dos agentes culturais envolvidos no plano e que estiveram presentes na reunião que antecedeu a sessão em que vereadores foram até a tribuna da Casa e falaram publicamente sobre suas objeções à proposição (veja aqui). O encontro durou mais de quatro horas.

 

De acordo com ele, um diálogo em busca de um "meio termo" foi a alternativa pautada na oportunidade. O caminho traçado pelo acordo, na sua avaliação, foi definido pensando na inclusão e nas ações de reparação já tocadas pela prefeitura e por outras gestões. "Juntando as duas coisas, eu acredito que é um movimento irreversível. A sociedade não tem mais como voltar atrás nessas questões de reparação e nas novidades culturais", acrescentou Guerreiro.

 

"É importante destacar que essa é a posição de alguns vereadores. A gente não tem isso como um consenso. Vários vereadores estão dispostos ao diálogo, o próprio presidente Geraldo Júnior tem sido muito importante nesse processo, tem ajudado nessa costura, como Silvio Humberto [relator do plano], como Ricardo Almeida, que é da bancada cristã e tem sido muito flexível", destacou Guerreiro.

 

Quatro audiências públicas, 600 sugestões da sociedade civil, três anos de tramitação em instâncias consultivas e deliberativas, como o gabinete do prefeito, a Procuradoria Geral do Município e por comissões da Câmara, compõem o arcabouço de discussões do Plano Municipal de Cultura. Se aprovada, a proposição deve ser a primeira a nortear as ações do Poder Público no âmbito municipal.

 

Para o presidente da Fundação Gregório de Mattos, o poder de decisão agora é dos representantes da sociedade civil, os vereadores. "Esse plano é muito importante para a cidade de Salvador. Ele envolve o esforço de muita gente, é um trabalho cansativo, é exaustivo. Precisamos aprovar este plano e a decisão está agora na Câmara de Vereadores". 

Arquidiocese aguarda posição da prefeitura sobre realização da tradicional festa do Bonfim
Foto: Divulgação / Saltur

Assim como outras festas populares da capital baiana, a tradicional Lavagem do Bonfim segue sem definição sobre sua realização em 2022. No início deste ano a manifestação popular foi suspensa por conta da pandemia da Covid-19. Diante daquele cenário, a Arquidiocese de Salvador optou por um desfile da imagem peregrina sem a presença de público. 

 

Em contato com o padre Edson Menezes, reitor da tradicional Basílica do Senhor do Bonfim, o Bahia Notícias apurou que a arquidiocese aguarda uma posição da prefeitura sobre a realização ou não do evento. 

 

Por meio de nota, o município informou que "ainda segue em discussão sobre a realização ou não das festas populares e do Carnaval, atenta ao atual cenário da Covid-19".

Frias contrata sem licitação por R$ 3,6 mi empresa sem funcionários
Foto: Pércio Campos

O secretário especial da Cultura Mario Frias contratou uma empresa sem funcionários, sem licitação, por R$ 3,6 milhões. Segundo apurou o jornal O Globo, a contratada, Construtora Imperial Eireli, está sediada em um escritório virtual. 

 

De acordo com a publicação, a empresa, aberta em maio de 2019, deverá prestar serviços de conservação e manutenção do Centro Técnico Audiovisual (CTAv), no Rio. A empreiteira virtual pertence a Danielle Nunes de Araújo, beneficiária do auxílio emergencial por oito meses. 

 

Em novembro, Mario Frias assinou a contratação da Construtora Imperial, por meio de uma portaria de dispensa de licitação, para resolver o problema. A empresa está no endereço de um escritório virtual especializado em fazer "gestão de correspondências" para dezenas de firmas. 

 

Danielle, apontada como dona, confirmou que costuma realizar reuniões para tratar de contratos no local. A dona do escritório negou. 

 

A Imperial não registrou nenhum funcionário em sua última declaração da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), apontam dados do Ministério da Economia. 

 

Procurada por e-mail e por telefone ao longo dos últimos dias, a secretaria de Cultura não respondeu aos questionamentos da reportagem. O órgão também não respondeu quais os critérios foram adotados para a escolha da construtora e não esclareceu se fez vistoria prévia na empresa.

Quarta, 01 de Dezembro de 2021 - 17:20

Cristãos declinam de acordo e se opõem a temática LGBTQIA+ no Plano de Cultura

por Bruno Leite

Cristãos declinam de acordo e se opõem a temática LGBTQIA+ no Plano de Cultura
Foto: Antonio Queirós / CMS

Os vereadores da bancada cristã na Câmara Municipal mantiveram a oposição à presença de trechos que pautam políticas públicas voltadas para a comunidade LGBTQIA+ no Plano Municipal de Cultura de Salvador. A postura dos parlamentares, colocada em pronunciamentos durante a sessão desta quarta-feira (1), vai de encontro o ajuste que garantiria a votação do projeto de lei nesta semana (relembre aqui).

 

O vereador Ricardo Almeida (PSC) rejeitou os dispositivos constantes na proposição. Em seu pronunciamento, o edil citou situações que, na sua avaliação, representariam uma falta de respeito para com os valores cristãos. "O respeito as pessoas é fundamental, o respeito às pessoas é fundamental, o respeito às escolhas é fundamental, mas é uma via de mão dupla", disparou Almeida.

 

Uma das vereadoras da bancada cristã, Débora Santana (Avante), disse que sua posição avessa aos dispositivos voltados para a população LGBTQIA+ é justificada pela sua coerência religiosa. "Em minha posição cristã, eu, hoje, não entendo o LGBT como cultura e sim como orientação sexual", julgou a vereadora, que ressaltou não estar sendo preconceituosa em sua fala. 

 

Única parlamentar assumidamente LGBT do Legislativo de Salvador, Laina Crisóstomo (PSOL), rebateu a rejeição da matéria pelos evangélicos da Casa. "Para mim sempre é muito difícil tentar entender qual é o dilema e o problema com a sigla LGBT se não LGBTfobia, invisibilidade e apagamento das nossas histórias", enfatizou. 

 

"Existe sim cultura LGBT, existe direito LGBT, saúde LGBT. Não somos uma sigla apenas, mas existimos e há 31 anos lutamos para não ser mais entendidos como doentes", adicionou a vereadora Laina, que se emocionou ao falar sobre o tema. 

 

O relator do Plano Municipal de Cultura, Sílvio Humberto (PSB), usou seu tempo na tribuna para comentar sobre a formatação encontrada pelos vereadores a fim de superar a barreira imposta pelos cristãos da Câmara e demonstrou sua insatisfação quanto ao adiamento.

 

Nesse nosso Plano de Cultura - que está aqui há mais de cinco meses, empurrando, vai e volta, com uma série de lances, idas e vindas - eu acho que nós encontramos um 'caminho do meio', que não é o que gostaríamos, não é o ideal, mas é o que a correlação de forças permite". 

 

"Dentro desse debate que se envolveu aqui [tem] a discussão do termo LGBTQIA+, que, para alguns, é só a prova cabal que não é só um conjunto de letrinhas, tem um significado enorme porque incomoda tanto", ressaltou Sílvio. Para ele a promoção de políticas públicas para a comunidade, por si só se justificaria, uma vez que esta parcela da população também arca com impostos. 

Terça, 30 de Novembro de 2021 - 15:00

GastrôBahia: Emanuele Nascimento assina ceia de Natal para encomenda

por Cris Montenegro

GastrôBahia: Emanuele Nascimento assina ceia de Natal para encomenda
Fotos: Felipe Pimentel

Imagine fugir da cozinha e ganhar mais tempo na confraternização natalina com a família e amigos?  Quem gostou da sugestão pode já encomendar a Ceia de Natal, assinada pela chef Emanuele Nascimento, com muitas opções para se montar um cardápio. São pratos tradicionais, preparados com releituras deliciosas da chef assadora do restaurante Benedita, que chegará diretamente para sua mesa. É só caprichar na decoração, para uma confraternização cheia de sabores na noite de Natal. 

 

 

O cardápio reúne os seguintes pratos: Peru Natalino – marinado em vinha d'alhos, acompanhado de frutas da estação caramelizadas e farofa de cuscuz (R$450); Ave Recheada – recheio com queijo minas, batata e ervas, acompanha farofa rica com frutos secos (R$ 150); Arroz Especial de Natal – arroz com nozes, damasco e vinho branco espumante 1kg (R$ 80); Salpicão de Salmão - Salmão grelhado, maçã verde, salsão, cenoura, cebola, maionese de ervas 1kg (R$120). 


Filé Mignon da Rainha – Filé mignon inteiro, decorado, recheado com queijo de cabra e castanha, coberto por presunto de parma (420); e Tender Tropical – tender de bolinha artesanal com 1 quilo, marinado em vinho branco e caramelizado com pêssego. Entregue já fatiado e decorado com frutos da estação (R$210). 

 


Porcheta à la romana 1 quilo - pururucada, com salsa verde e já fatiada (R$180); Terrine de Bacalhau - coberta com tapenade de azeitonas pretas 900gr (R$180); e Vinagrete de Frutos do Mar 1 Quilo – camarão, mexilhão, polvo, lula e vieiras (R$ 320).

 

As encomendas deverão ser feitas até no máximo dia 20 de dezembro, através do whatsapp (71) 99966 7463. A retirada será no dia 24/12 das 12 às 16hs, no restaurante Benedita – Rua Minas Gerais, 508.

Terça, 30 de Novembro de 2021 - 00:00

Temática LGBTQIA+ deve permanecer no Plano Municipal de Cultura após acordo

por Bruno Leite

Temática LGBTQIA+ deve permanecer no Plano Municipal de Cultura após acordo
Foto: Valdemiro Lopes / CMS

Após sucessivos adiamentos, o Plano Municipal de Cultura deverá, finalmente, ser apreciado pelo plenário da Câmara de Salvador nesta semana. Construída pelo poder público ao longo dos últimos três anos (saiba mais aqui e aqui), a matéria enfrentou uma considerável barreira por parte da bancada cristã, que discorda de trechos que versam explicitamente sobre a promoção da diversidade nas políticas culturais.

 

Um acordo, firmado entre as bancadas de oposição e governista, composta por membros do espectro evangélico-cristão, deve possibilitar a superação da questão. Nas palavras do relator, o vereador Sílvio Humberto (PSB), o esforço entre as partes foi "o caminho do meio", encontrado no afã da sessão da última terça (23), cuja ordem do dia previa a votação e que foi suspensa pelo presidente da Casa, Geraldo Júnior (relembre aqui).

 

Ao Bahia Notícias, o relator do projeto no Legislativo comentou sobre a ressalva dos religiosos, que foi apresentada primariamente como uma emenda e pedia a substituição dos dispositivos que tinham a expressão "LGBTQIA+" no texto. "A proposta [da bancada cristã] era retirar o termo, [e com a substituição] o plano estava inconsistente. Mesmo substituído pelo nome que eles sugeriram, que se não me engano era 'cultura de gênero', [e isso] gerou alguns impasses", disse Sílvio Humberto, citando o pleito, um dos outros dez que foram acolhidos pela relatoria no contexto das modificações.

 

O parlementar explica que a posição da bancada foi aguardada pela relatoria e que, com isso, a votação foi postergada, sessão após sessão. "Desta conversa na terça-feira havíamos acordado que seria votado, mas não chegamos a consenso. Aí foi puxado uma reunião entre nós e os envolvidos para tentarmos eliminar esse impasse", revela. 

 

Ele conta que, quando da interrupção da sessão, houve uma discussão para que pudessem encontrar uma solução em busca deste "caminho do meio", "ouvindo as técnicas, o próprio presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM), Fernando Guerreiro, vereadores da oposição e da bancada governista e, dentro dela, a intitulada bancada cristã".

 

O entendimento dos grupos envolvidos foi o de que o termo não seria substituído, mas, como descreve o relator, fosse "codificado". A proposta que deverá ser votada é a aventada pela FGM. "De lá [da discussão] saiu uma proposta de construção, que a fundação ficou encarregada de fazer a partir de informações colhidas, de trabalhar com grupos vulneráveis, entre eles a comunidade LGBTQIA+, população negra e quilombola e grupos que estão subrepresentados na cultura de Salvador. A ideia é que a fundação, a partir daía, construa essa proposta e ela será a que vai ao plenário".

 

Para Humberto, a alternativa que encontraram é a mais condizente, uma vez que a prefeitura, no âmbito da diversidade, já executa diversas ações, como a manutenção do Centro de Referência LGBTQIA+, com especificações previstas na Lei Orçamentária Anual. "Diria que houve um certo ajuste que, até então, está mantido", categoriza. O relator prevê que o Plano Municipal deve ser votado nesta terça (30) ou, no mais tardar, quarta-feira (1).

Exposição 'Identidad Gaucha' segue aberta à visitação até segunda
Foto: Otávio Santos / SECOM PMS

Os amantes da fotografia que moram ou estão conhecendo Salvador podem visitar a exposição de fotografias “Identidad Gaucha”, do fotógrafo argentino Pedro Luis Raota. A mostra pode ser visitada no Instituto Cervantes de Salvador, na Ladeira da Barra, até segunda-feira (29), das 9h às 19h de segunda a sexta.

 

A exposição faz parte das comemorações da Semana da Cultura Argentina em Salvador, promovida pelo Consulado da Argentina em Salvador, com a parceria da Associação Cultural Argentina Brasileira da Bahia (Casa Martin Fierro) e apoio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult).

 

Através de 11 fotos, o visitante vai poder conhecer a identidade cultural que une o povo gaúcho e que se manifesta por meio de tradição e costumes. Além disso, é uma oportunidade para conhecer a arte de Raota que, mesmo após o falecimento, em 1986, segue encantando o público com sua profunda e ilimitada humanidade, que resgata as vivências comuns através de sua lente e de sua alma.

 

“É muito importante para os soteropolitanos conhecer de perto a cultura e tradições do país da América Latina que mais encaminha visitante para nossa cidade. Esses laços precisam ser sempre reforçados”, destacou o secretário da Secult, Fábio Mota.

 

Segundo o cônsul-geral da Argentina em Salvador, Pablo Virasoro, a Semana da Cultura Argentina em Salvador surpreendeu pela expressiva afluência de público. “Esse encontro foi prova da proximidade entre a Argentina e a Bahia e o gosto dos soteropolitanos pela cultura do nosso país”, afirmou.

 

Realizada durante este mês de novembro, a Semana da Cultura Argentina em Salvador reuniu atividades como a Mostra de Cinema Argentino, na Sala de Srte do CineMAM, na Avenida Contorno, e o Dia da Tradição Argentina, com música, dança e apresentações artísticas no Forte de São Diogo, na Barra. A data celebra o nascimento do escritor argentino José Hernández, autor de “O Gaucho Martin Fierro”.

Sábado, 27 de Novembro de 2021 - 14:40

Morre o arquiteto Ruy Ohtake, criador do Unique e do Renaissance, aos 83 anos

por Folhapress

Morre o arquiteto Ruy Ohtake, criador do Unique e do Renaissance, aos 83 anos
Foto: Silva Costanti

Morreu na manhã deste sábado (27), aos 83 anos, o arquiteto paulistano Ruy Ohtake, que assinou obras como os hotéis Unique e Renaissance, além da sede do Instituto Tomie Ohtake, todos na capital paulista. Filho primogênito da artista nipo-brasileira Tomie Ohtake, ele tinha um câncer de medula.
 

A morte foi confirmada por seu irmão, Ricardo. "Para Ruy, arquitetura era uma obra construída. E ele deixou uma quantidade muito grande de obras como legado", diz.
 

A empresária Marcy Junqueira, casada com Ricardo, lembra a dedicação de Ruy pela profissão. "Depois que a família almoçava junto aos domingos, deixávamos ele no escritório. Eu acho que ele tinha um amor pela arquitetura e foi o exemplo mais incrível que eu vi na minha vida" afirma.
 

Ohtake assina mais de 300 projetos no país que vão desde casas a parques, passando por prédios comerciais cheios de cores e espelhos que se destacam no horizonte —caso do hotel Renaissance, do hotel Unique e do Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.
 

É dele também o Parque Ecológico do Tietê, também na capital paulista, e o prédio da embaixada brasileira em Tóquio, no Japão.
 

Formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (Universidade de São Paulo) em 1960, ele desenvolveu sua obra a partir a escola paulista de Vilanova Artigas e Paulo Mendes da Rocha. E foi inspirado por Nyemeyer e Aleijadinho que Ohtake começou a usar de forma mais ousada curvas e cores ---algo que a arquitetura paulista até então não usava muito.
 

Em 2019, em depoimento à Folha, Ruy desabafou ao dizer que achava que a população gostava muito dos seus trabalhos, mas os arquitetos, não.
 

"No começo, eu ficava preocupado porque a inteligência da arquitetura levantava polêmica. Há um establishment aqui, e eu dei um passo à frente. Todo rompimento no que está instalado gera polêmica com quem está na vanguarda, mas a arte e a arquitetura avançam em saltos", afirmou o paulista.
 

"Hoje, acho que estou no caminho de contribuir com a arquitetura contemporânea brasileira. Em todas as minhas obras, me preocupo com a liberdade criativa, a surpresa e a inovação. Acho que meu desafio é dar continuidade à arquitetura do país, e não ficar estancado como ficamos em São Paulo."
 

Considerado um dos principais arquitetos contemporâneos do país, ele recebeu vários prêmios durante sua carreira. Em 1971, ele ganhou o Prêmio Carlos Millan, do IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil), pelo conjunto da obra.
 

Em 2006, a IAB também concedeu o prêmio Comenda Colar de Ouro pela sua contrubuição ao desenvolvimento da arquitetura no Brasil. Ohtake ainda presidiu o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico, entre 1979 e 1982, e foi eleito integrante da Academia Paulista de Letras em 2019.
 

O velório será realizado neste sábado, em cerimônia aberta apenas para a família, e ele será cremado no Horto da Paz, também na capital paulista.

Restaurante citado em obra de Jorge Amado fecha as portas após 107 anos
Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal

O Restaurante Colon, no bairro do Comércio, em Salvador, fechou as portas nesta sexta-feira (26). Foram 107 anos de funcionamento. O estabelecimento tradicional foi citado na obra “O Sumiço da Santa” do escritor Jorge Amado. Ao G1, a sócia-gerente, Mara Orge, de 52 anos, disse que a decisão de encerrar as atividades se deu devido à pandemia do novo coronavírus.

 

Mara é casada com Juan Orge, neto do fundador do restaurante, José Maria Orge, um espanhol da região da Galícia. Famoso, o restaurante chegou a receber personalidades como Jorge Amado, Carlinhos Brown, Neuza Borges, Tatti Moreno, Nelson Rufino, entre outros.

 

Fundado inicialmente na Praça Conde dos Arcos, o local foi interditado em outubro de 2020 pela Defesa Civil de Salvador [Codesal]. Com a interdição, a família reabriu o estabelecimento em outro imóvel, desta vez, na Rua Conselheiro Saraiva, no mesmo bairro da capital baiana.

Sexta, 26 de Novembro de 2021 - 17:55

‘Encontros Tropicais’ trará história do movimento negro por meio da música

por Mavi Maldari / Alexandre Portela

‘Encontros Tropicais’ trará história do movimento negro por meio da música
Foto: Sércio Freitas / BN Hall

“Encontros Tropicais: Frequências do Gueto” traz, nesta sexta-feira (26), artistas negros da cena musical brasileira contando a história do movimento negro do Brasil por meio da música. O encontro, que acontece na Concha Acústica do Teatro Castro Alves, será transmitido ao vivo pelo canal BIS e pelo canal da Devassa no YouTube (Devassa).

 

Na coletiva de imprensa, o BN Hall teve a oportunidade de ouvir alguns dos cantores que marcam presença nesta noite, como Carlinhos Brown, Larissa Luz e Rafa Dias, do grupo ÀTTØØXXÁ. 

 

“Contemplar a música negra brasileira num espetáculo de duas horas é quase que impossível, pois nossa música é essencialmente negra, então é muito difícil fazer um resumo disso tudo nesse tempo de espetáculo. Eu curti os recortes porque acho que, de uma forma geral, trouxemos pontos bem relevantes e artistas importantes na construção dessa narrativa, como a historia de Dona Ivone. São momentos importantes politicamente e musicalmente da história do povo negro brasileiro, então esse show, além de uma releitura contemporânea de clássicos da música brasileira, traz discurso, corpo, vivência e também traz a história da periferia pro centro de tudo”, defendeu Larissa Luz.

 

Sobre a representatividade do gueto e a comercialização do movimento, Carlinhos Brown explica: “O gueto é grande, e essa grandeza surge em comunidades oriundas de várias etnias, etnias essas que precisam se compreender. Todos aqui da Bahia sabem o quanto eu sou gueto, e o quanto nós somos gueto. […] Essa união se fortalece muito hoje para que as cadeias comerciais do Brasil possam verdadeiramente fazer um levante, não só nos utilizando como consumidor, mas como partícipes do movimento econômico, e acho que é isso tudo que vamos propor hoje com nossa música”.

 

Rafa Dias, do ÀTTØØXXÁ, explica que “a proposta dessa primeira edição é homenagear as mulheres do samba, fazendo de um jeito que comunique essa nova linguagem dos tempos de hoje”. O artista acredita que o público vai sentir a energia que os artistas querem proporcionar desse momento do samba.

 

O show será separado em três atos, comecando pelo primeiro: Samba. Nele, sambas clássicos de Dona Ivone, Lara e Ceci Brandão serão interpretados pelas vozes dos afitriões Carlinhos Brown, Larissa e Rafa.

 

O segundo ato é: Black Music, trazendo o soul da música negra dos anos 70 e 80, com WD e Jéssica Eleen, que se unem aos anfitriões para cantar sucessos de Cassiano, Tim Maia e Jorge Ben Jor.

 

O terceiro e último ato, 1990, promete profusão de ritmos, do funk carioca ao pagodão, do rap, ao trap e ao afrobeats que explode atualmente nas periferias.

Quarta, 24 de Novembro de 2021 - 16:30

Giro: Agência baiana terá case apresentado no Scream Festival

por Adriana Barreto e Cris Montenegro

Giro: Agência baiana terá case apresentado no Scream Festival
Dayane Oliveira e Letícia Sotero | Foto: Divulgação

Com pouco mais de um ano de atividades, a agência baiana AsMin(as) dá um novo passo na sua afirmação no mercado de comunicação. No próximo dia 3 de dezembro, às 16h, o case de criação da agência será apresentado no maior festival de criatividade do norte e Nordeste: o Scream Festival. A apresentação ocorrerá no Fera Palace Hotel e as inscrições podem ser feitas através de plataforma digital.  

 

A agência baiana que nasceu no contexto da pandemia, em abril de 2020, a partir das inquietações das sócias Dayane Oliveira e Letícia Sotero, ressignificou o mercado de influência, fortalecendo narrativas da comunidade negra, LGBTQIA+ e periférica de Salvador.  

 

“A presença da agência em um dos maiores festivais de criatividade do Norte e Nordeste só reforça o rumo que o nosso negócio está seguindo, após quase 2 anos de existência estamos mais maduras, conscientes e dispostas a amplificar diálogos e expandir o nosso negócio no mercado digital. Na oportunidade vamos trazer cases de sucesso da agência e abordar temas como: o comportamento do algoritmo e o racismo nas redes sociais, inteligência de conteúdo e o mercado para influencers negros”, comenta Dayane Oliveira, Diretora de Comunicação Digital. 

 

Depois de surgir focada no segmento de marketing de influência, a agência se reposicionou a partir do seu aniversário, agregando negócios na gestão de redes sociais, planejamento de conteúdo e posicionamento no ambiente digital de marcas como SEDA, Love Beauty and Planet (marca de beleza vegana), e “Força Vitamina”, da multinacional Unilever, além de assinar as estratégias de marketing de influência da RAPPI (delivery). 

Prefeitura homologa licitação para restauro do monumento da Rampa do Mercado
Foto: Divulgação

A prefeitura de Salvador publicou no Diário Oficial do Município (DOM) desta segunda-feira (22) a homologação da licitação para a requalificação do “Monumento à Cidade de Salvador”, de autoria do artista plástico Mário Cravo Jr, na Rampa do Mercado Modelo, no Comércio.

 

A RC Restauração e Construções foi a empresa escolhida através do certame. Cerca de R$ 1,2 milhões serão investidos pela administração municipal para a recuperação do patrimônio, destruído por um incêndio em dezembro de 2019.

 

A definição sobre o bem acontece após uma longa disputa entre a prefeitura e um dos membros da família Cravo, que divergia da gestão por conta do pagamento de direitos autorais para liberação da obra, e indefinições da prefeitura quanto a licitação (relembre aqui).

 

Em 2020, ao confirmar a reconstrução da escultura, a Diretora de Patrimônio e Humanidades da Fundação Gregório de Mattos FGM, Milena Tavares, afirmou que a prefeitura de Salvador tem amparo legal para dar andamento às obras. “Sobre a questão com a família, estamos nos amparando no parecer enviado pela Procuradoria [Geral do Município]”, declarou. 

 

Em setembro do mesmo ano o presidente da FGM, Fernando Guerreiro, chegou a dar por solucionado o impasse entre a gestão municipal e a família de Mário Cravo Jr. 

 

No mês de janeiro, já com o parecer da PGM, o presidente da Fundação Gregório de Mattos destacou que o processo burocrático de responsabilidade da instituição estava adiantado. Ele também estimou que a obra seria reinaugurada no segundo semestre de 2021, com um material anti-chamas

 

“Todo o termo de referência está pronto e agora já estamos partindo para a licitação. Então, uma vez licitada e a empresa ganhando essa licitação, a gente começa a execução da obra. Eu acho que em setembro ou outubro a gente está com isso aí para inaugurar”, disse Guerreiro, à época.

 

No último mês de abril (veja aqui) a prefeitura revelou que o termo de referência para a reforma do Monumento à Cidade de Salvador estava em fase de ajustes técnicos " e de orçamento para, posteriormente, ser lançada a licitação para execução da obra". 

Sábado, 20 de Novembro de 2021 - 14:20

Livro de criminalista aponta abusos da operação Lava Jato

Livro de criminalista aponta abusos da operação Lava Jato
Foto: Divulgação

O criminalista Antonio Sergio Pitombo lança no dia (23) o livro “Em busca do justo perdido”, no qual ele critica o que considerou abusos cometidos pela operação Lava Jato.

 

Conforme publicou a coluna de Guilherme Amado no portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, o evento será online, com mediação do jornalista Reinaldo Azevedo e participação do criminalista Eduardo Carnelós, que defendeu o ex-presidente Michel Temer. Ele será transmitido no canal de Pitombo no YouTube, o A Pitombo.

 

A obra reúne 50 artigos escritos por Pitombo nos quais ele fala sobre a espetacularização das operações policiais e analisa a atuação do MP.

 

Pitombo escreve também sobre os “juízes-estrela”, cujo maior expoente, na sua opinião, é o pré-candidato a presidência da República pelo Podemos, Sergio Moro.

 

“Sob a desculpa do combate à corrupção, praticaram-se barbáries na justiça, imitando o pior das experiências jurídicas italiana e norte-americana. Juízes de direito quiseram se tornar heróis”, diz Pitombo no prefácio do livro.

'A Bola Conecta': Curta aborda cultura sob o olhar do futebol no Mês da Consciência Negra
Foto: Divulgação

Qual é o ponto de encontro entre futebol e cultura? Desde que foi oficializado na Inglaterra, em 1863, o esporte tem percorrido os mais diversos cantos do mundo, tocando a alma de cada indivíduo que o pratica. No Brasil, de Djalma Santos, Barbosa, Pelé, Garrincha, Jairzinho, Zico, Ronaldo, Romário, Baiaco, Apodi, Neymar e tantos outros, a modalidade talvez tenha encontrado sua essência mais ousada, despertando um sentimento tão apaixonante que até mesmo o menos "boleiro", ou a menos "boleira", dos brasileiros tem certeza ao afimar: futebol é cultura. É a partir dessa ideia que o projeto Gondwana Futebol & Cultura passa a exibir, neste sábado (20), às 20h, o curta-metragem "Gondwana, A Bola Conecta", como mais um ato cultural e histórico do Mês da Consciência Negra.

 

Salvador foi escolhida, ao lado de Recife (PE), como um dos locais da produção do curta por ser a cidade mais negra fora da África. Em 2017, oito em cada 10 moradores da capital baiana se autodeclaravam pretos ou pardos, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), do IBGE. Sendo assim, o projeto visa contar um pouco da história da cultura brasileira a partir de Salvador e Recife, sob a perspectiva do futebol. 

 

O termo escolhido, Gondwana, remete a tempos muito distantes, quando o mundo ainda era quase todo interligado. Gondwana era o nome dado ao continente que abarcava as áreas que hoje são África, América do Sul, Antártida, Índia e Austrália, há mais de 200 milhões de anos.

 

"Vamos falar dessa cultura, dessa gastronomia, dança, música, sociedade, por meio do futebol. Era um sonho meu ir para a Bahia, porque queria conhecer essa presença negra, ancestral, que tanto falavam para mim. Para a nossa surpresa, foi algo incrível culturamente falando. Vamos andar pela Barra, Candeal, Pelourinho, Rio Vermelho e Ribeira e se conectar com essas pessoas. Quando vamos para um baba na quadra do Rio Vermelho, do lado tem a praia, a casa de Yemanjá e uma casa de Acarajé. É essa conexão que pretendemos fazer", contou Mônica Saraiva, diretora do curta, em entrevista ao Bahia Notícias. 

 

 

Curta reúne passagens por diversos bairros de Salvador, como Ribeira e Rio Vermelho (Fotos: Divulgação)

 

Mônica, que é fotógrafa e jornalista, nasceu em São Paulo, onde trabalhou por anos no Museu do Futebol, no Pacaembu. Ao lado do empreendedor e facilitador esportivo chileno Sebastián Acevedo, o Seba, ela saiu de sua cidade natal com uma bola e uma câmera, ferramentas que os dois usam no dia a dia para se conectarem com as pessoas.

 

O curta-metragem, com duração de 23 minutos, será exibido no canal do YouTube do Gondwana F&C, em parceria com Acervo da Bola, Ataque Marketing, Conexão África, Feminismo Negro no Esporte, Ludopédio, Mídia Ninja, Observatório da Discriminação Racial no Futebol, Plana Vivências e Revista Gambiarra: Jornalismo, Cultura e Ativismo.

 

Mônica e Sebástian saíram de São Paulo com uma bola e uma câmera (Foto: Divulgação)

 

RACISMO NO FUTEBOL

O curta-metragem também busca trazer uma análise sobre o racismo, presente até hoje no futebol. Nesta quinta-feira (18), por exemplo, o Brusque FC, da Série B do Campeonato Brasileiro, recuperou pontos perdidos após ter sido punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por uma fala racista de um dirigente (lembre aqui).  

 

No dia 28 de agosto, o jogador do Londrina, Celsinho, acusou o presidente do Conselho Deliberativo do Brusque, Júlio Antônio Petermann, de tê-lo chamado de "macaco" durante uma partida entre as duas equipes. Além disso, o árbitro Fábio Augusto Santos Sá relatou, na súmula da partida, que ouviu a frase racista "vai cortar esse cabelo, seu cachopa de abelha".

 

O Brusque e Petermann foram enquadrados no artigo 243-G do Código Brasileiro, que fala sobre "ato discriminatório". O Quadricolor perdeu três pontos, e teve de pagar R$ 60 mil em multa. Já o conselheiro foi suspenso por 360 dias e multado em R$ 30 mil. No entanto, nesta quinta, a maioria dos auditores do STJD entendeu que o caso não é "de extrema gravidade" para que o clube seja punido com perda de pontos.

 

Esse é apenas mais um entre tantos casos de racismo que fazem parte da história do futebol. "No curta, quero trazer o fato de termos orgulho da nossa cor, da nossa pele. E que a gente sabe muito. Influenciar um garoto ou garota negra a se empoderar, a se identificar com a cultura afrobrasileira. Tem muitos personagens negros no futebol, que são referência", explica Mônica Saraiva. 

 

Um desses personagens, talvez o mais marcante, é o goleiro Barbosa, citado no início do texto. Titular da Seleção na Copa de 1950, disputada no Brasil, o arqueiro, um homem negro, foi crucificado por uma falha no gol de Alcides Ghiggia, que determinou a virada do Uruguai na final do torneio. O placar, 2 a 1, deu o título à Celeste, e Barbosa, apesar de ser um dos maiores goleiros da história, ficou marcado por aquele erro específico. 

 

"Aí você mostra para as crianças e adolescentes que o presente delas está cheio de passado. Tá cheio da presença dos ancestrais e daquelas culturas corporais. É isso que é o papel da Educação, mostrar essa dimensão cultural, essa relação dos ancestrais", diz Diana Mendes, historiadora e ex-coordenadora do Centro de Referência do Museu do Futebol, que participou do curta. 

 

 

Candeal e Barra são outros bairros presentes no curta-metragem (Fotos: Divulgação)

 

Além de sábado (20), a obra também será exibida no domingo (21) e nos dias 27 e 28 de novembro. Confira o teaser do curta-metragem:

 

Morre, aos 59 anos, o cantor Tintim Gomes, ex-vocalista da banda 'Remanescentes'
Foto: Reprodução / Instagram

Morreu nesta sexta-feira (19), aos 59 anos, o cantor e compositor Tintim Gomes. Ex-vocalista da banda de reggae "Remanescentes do Paraguaçu", ele era irmão do também regueiro Edson Gomes.

 

Autor de músicas como "Zenaide" e "Pedras Sobre Pedras", Tintim estava internado no Hospital da Santa Casa de Misericórdia de São Félix, no Recôncavo, devido a complicações causadas por problemas cardíacos.

 

Nas redes sociais, o filho do cantor, Natanael Gomes, lamentou a morte do artista. "Muita dor, muita tristeza, pai. Te amarei para sempre", escreveu.

 

Fãs de Tintim e artistas comentaram na publicação. Rodrigo Piccolo, vocalista da "Mato Seco" usou o espaço para prestar suas condolências. "Que perda irreparável amigo. Força para vocês, luz para alma linda dele", disse.


Em seu perfil oficial, o festival República do Reggae ressaltou o legado de Tintim, ao qual chamou de "uma das primeiras expressões" do ritmo jamaicano no Brasil: "Agradecemos pelo legado, guerreiro".

ABI e outras entidades baianas se manifestam contra leilão do Arquivo Público
Foto: Lucas Rosário/ SecultBA

Representantes de mais de dez entidades baianas se reuniram na manhã desta quinta-feira (18), na sede da Academia de Letras da Bahia (ALB), para se articularem juridicamente e na mobilização social em defesa da Quinta do Tanque, prédio em que está instalado o Acervo Público do Estado da Bahia (Apeb). A construção pode ser leiloado pelo governo do estado (entenda aqui).

 

Entre as medidas discutidas no encontro está a de que um estudo jurídico detalhado para a tomada de decisões seja feito. As entidades debateram ainda sobre a incursão de uma mobilização internacional para a categorização do museu como um patrimônio importante e a organização e produção de documentos que registrem o histórico do prédio datado do século XVI.

 

Além das notas e posicionamentos anteriormente feitos sobre o assunto, as entidades entendem que é preciso ações concretas urgentes. Para isso, reuniram-se os representantes da Academia de Letras da Bahia (ALB), da Associação Bahiana de Imprensa (ABI), do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia (IGHB), do Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento da Bahia (IAB-BA), da seção baiana da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), além de professores da Universidade Federal da Bahia, historiadores e membros de conselhos consultivos e fóruns relacionados ao patrimônio.  

 

O encontro desta quinta-feira (18) foi seguido de uma coletiva de imprensa. Para o presidente da Associação Bahia de Imprensa, Ernesto Marques, o enfrentamento jurídico que se busca não é uma afronta à justiça, antes a busca pela preservação da memória coletiva. Ernesto incentivou os jornalistas a se engajarem na pauta. "A imprensa, todos nós, como jornalistas, empreendedores e empresários da comunicação, temos um papel relevante nesse processo. Estamos diante de um convite ao jornalismo investigativo, do bom jornalismo, para denunciar isso que podemos dizer que é um crime contra a humanidade", afirmou. 

 

O atual presidente da ALB, Ordep Serra, acredita que é preciso lutar contra a injustiça. “A ideia de retirar esse documentos, e se desfazer esse arquivo, em nome de um interesse privado, é escandaloso e inaceitável. É uma vergonha para a Bahia”, classificou o antropólogo. A professor da UFBA Edilene Matos, vice-presidente da ALB, lembrou que essa é uma briga em que todos os Acadêmicos estão envolvidos.

 

Em nome da IAB-BA, Luiz Antonio de Souza, atual presidente da entidade, destacou que o assunto não pode ser tratado como a venda de um outro bem público comum, citou como exemplo a Rodoviária de Salvador e o Centro de Convenções, já que, no caso da Quinta do Tanque, trata-se de um bem tombado pelo Iphan e que, em tese, deve ser considerado inalienável. "Ao pedirmos a suspensão do leilão, isso não significou o fim do problema, mas a possibilidade da sociedade reagir mais veemente a essa situação. Como [a justiça] foi capaz de colocar preço na memória do mundo? Como põe preço assim na memória de Salvador?", perguntou Luiz. 

Salvador sedia quarta edição do Scream Festival; evento acontecerá no Centro Histórico
Foto: Divulgação

A capital baiana será a casa da quarta edição do Salvador Creativity and Media Festival (Scream), que acontece nos dias 3 e 4 de dezembro, das 9h às 18h, em três locais do Centro Histórico da cidade: o Fera Palace Hotel, Espaço Cultural da Barroquinha e Teatro Gregório de Mattos.

 

O Scream Festival 2021 terá como temática o slogan “Novas formas do agora”. O evento é realizado anualmente pela Associação Baiana do Mercado Publicitário (ABMP), em parceria com a Prefeitura Municipal de Salvador, através da Empresa Salvador Turismo (Saltur).

 

Para a presidente da ABMP e idealizadora do festival, Ana Coelho, a importância maior do evento é enxergar o potencial da cidade para a economia criativa. “A gente sempre teve um potencial criativo e o Scream é uma vitrine desse valor tão cultural e tão nosso, que extrapola o mercado publicitário, indo além. Por isso temos tantos debates plurais, ouvindo e debatendo opiniões diferentes, é um palco muito rico neste sentido”, disse Ana.

 

Sobre a parceria com a prefeitura através da Saltur, a idealizadora afirma que gestão municipal soube enxergar, nessa união com a ABMP, que Salvador precisava de um evento assim. “Desde a primeira até esta quarta edição sinto uma evolução. Como um festival de criatividade, o mais importante do Norte / Nordeste, temos que trabalhar para Salvador ser o polo criativo do Brasil e ser reconhecido”.


Segundo o presidente da Saltur, Isaac Edington, desde 2018, quando a primeira edição foi realizada, havia um conceito de se ter em Salvador uma plataforma de eventos diversificada. Para ele, faltava um evento que valorizasse a criatividade, inspirando pessoas, organizações, empresas e jovens e os levassem a ampliar a compreensão da importância da criatividade para o mercado de trabalho.

 

O evento contará com mais de 50 palestrantes já confirmados, entre nomes nacionais e internacionais, que vão falar sobre comunicação, comportamento, arte, moda, economia, gastronomia, diversidade, tecnologia, inovação, cultura, empreendedorismo e muito mais.

 

Entre as presenças confirmadas estão a da atriz e apresentadora Carolina Ferraz, o radialista baiano Mário Kertész, o ator do Bando de Teatro Olodum e criador do projeto Culinária Musical, Jorge Washington, o administrador e criador de conteúdo da página Belezas do Subúrbio, Anderson Simplício e o comunicólogo e um dos principais nomes da luta em prol da comunidade LGBTQIAP+ em Salvador, Genilson Coutinho.

Centro Mística Oxum Apará lança álbum com pontos cantados e músicas de terreiro
Foto: Will Recarey

O Centro de Umbanda Mística Oxum Apará (Cumoa), lança nesta sexta-feira (19), nas principais plataformas digitais, o álbum “Encanto Umbanda”, que reúne 20 faixas de pontos cantados e músicas de terreiro. O projeto foi idealizado por mãe Taiane Macêdo, cantora que dá voz a cada uma das músicas e Mãe Taiane, sacerdotisa e dirigente do Cumoa.

 

Além do álbum, o Cumoa vai lançar também outros dois projetos: o livro “Encanto Umbanda”, com fotos dos Orixás, giras do terreiro, letras das músicas e QR Code para acesso e o documentário “Cumoa – Uma História de Fé”, produzido pela Cara de Rã Produções e dirigido por Pablo Rodrigo, que será disponibilizado no YouTube. O livro também estará disponível para venda na Mandinga de Pajé, loja do Centro.

 

As músicas do álbum celebram entidades e orixás como Exu, Pombagira, Xangô, Iemanjá, Nanã, Oxum, Oxóssi, Oxalá, Ogum, Preto Velho, dentre outros. “Encanto Umbanda” foi gravado no estúdio Taba 10, do produtor e arranjador Yacoce Simões, reunindo sonoridade contemporânea e valores ancestrais.

 

Voz à frente das canções e líder religiosa no terreiro, Mãe Taiane conta que o projeto nasceu com o propósito de espalhar a energia das músicas de Umbanda para o maior número de pessoas possível: “A inspiração veio da necessidade de divulgar as músicas de terreiro, músicas de umbanda. Esse álbum é praticamente uma gira. Começa pelo incenso, passa pelo hino da Umbanda, guardiões e entidades. Então, a ideia mesmo de trazer essa música sagrada, esse canto sagrado para o maior número de umbandistas, adeptos e simpatizantes”.

 

Fundado em 1969 em Salvador, por Mãe Hebe Macedo e Mãe Isabel Garrido, o centro atende centenas de pessoas por dia e conta com mais de 200 voluntários. Em 2019, quando o centro completou 50 anos, ganhou uma nova sede no bairro de Piatã, o que permitiu dobrar a sua capacidade de atendimento. Mãe Taiane Macedo e Pai Raimundo Rosário são os atuais sacerdotes e dirigentes do Cumoa.

 

 

Pela primeira vez, os canais Multishow e Bis exibe a cerimônia do Grammy Latin Awards
Foto: Divulgação

Pela primeira vez, a 22º edição do Grammy Latin Award será exibido pelos canais Multishow e Bis. O evento acontece nesta quinta-feira (18), e será transmitido ao vivo, a partir das 22h pelo Bis. Já o Multishow exibe os melhores momentos no domingo (21), a partir das 18h30.

 

Caetano Veloso, Giulia Be, Diogo Nogueira, Anavitória, Os Barões da Pisadinha, são alguns dos artistas brasileiros que marcam presença concorrendo nas categorias de Língua Portuguesa. O público também poderá conferir as apresentações de Christina Aguilera, Ozuna, Jorge Drexler, Bad Bunny, Maná, Juanes e Danna Paola, dentre outros.

 

O evento guarda ainda um momento de muita emoção. A categoria de álbum sertanejo terá como uma das indicações Marília Mendonça, que segue como indicada junto à Maiara e Maraisa, pelo projeto As Patroas.

 

A premiação também conta uma homenagem à cantora Marília Mendonça, vítima de um acidente aéreo no início de novembro. Anitta e Caetano Veloso serão os responsáveis pelo tributo (saiba mais).

Goethe-Institut promove bate-papo gratuito sobre desinformação e novas mídias
Foto: Divulgação

O Goethe-Institut Salvador promove nesta quinta-feira (18), às 18h30, no teatro do Goethe-Institut, no Corredor da Vitória, um bate-papo sobre desinformação, algoritmos e novas mídias. O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas através do Sympla.

 

A conversa conta com a participação da cientista de dados, pesquisadora e educadora analítica Carla Wosniak. Ela mora em Florianópolis e integra o programa de educação analítica do Cappra Institute, um centro de investigação, sediado nos Estados Unidos, que reúne especialistas de diferentes partes do mundo focados na missão de analisar as intersecções entre dados, seres humanos e organizações.

 

Para reforçar o debate, farão parte do encontro o pesquisador André Lemos, professor da Faculdade de Comunicação da UFBA, e a jornalista Danutta Rodrigues, editora-chefe do portal G1 Bahia, que falará sobre o processo de apuração e checagem das informações na rotina diária de produção das notícias. A mediação da conversa fica por conta da jornalista Silvana  Oliveira, diretora de jornalismo da Rádio Sociedade da Bahia.

 

Apenas 50% da capacidade do teatro será ocupada e também será transmitida ao vivo pelo canal da GoetheBahia no YouTube. Na entrada, será exigido o comprovante das duas doses da vacinação ou dose única, a depender do imunizante.

 

 

 

SERVIÇO
O QUÊ:
Checando os fatos: desinformação, algoritmos e novas mídias
QUANDO: 18 de novembro, às 18h30
ONDE: Teatro do Goethe-Institut, no Corredor da Vitória
VALOR: Gratuito

Teatro Vila Velha promove exibições gratuitas no especial 'Memória do teatro baiano'
Foto: Divulgação

Entre os dias 16 de novembro a 23 de dezembro, o Teatro Vila Velha encerra a Mostra Teatro de Cabo a Rabo, com o especial "Memória de Teatro da Bahia" no canal do YouTube do Vila. O especial conta com uma programação diversa, que inclui roda de conversa, leitura dramatizada do texto “Quem Somos Nós?" e exibição da série “Memória do Teatro da Bahia em Docudrama”.

 

A roda de conversa acontecerá nesta terça-feira (16), às 19h, e contará com a participação do diretor e criador da iniciativa João Guisande. O objetivo é debater sobre o processo de criação do projeto e a importância de resgatar a memória do teatro baiano através de linguagens e formatos contemporâneos.

 

Já na quinta-feira (18), acontece a exibição da leitura dramatizada do texto “Quem Somos Nós?". Escrito e dirigido por João Guisande, a obra foi construída a partir de memórias de artistas e público do teatro baiano coletadas em 2020 e traz à cena uma fictícia companhia de teatro, que está prestes a estrear o seu primeiro espetáculo. Entre os ensaios para estreia, os atuantes brincam, falham, improvisam, revelam como conseguiram algumas memórias, cantam e celebram a história do teatro. Espetáculos marcantes, personalidades da cena baiana, representatividade, histórias de bastidores e dos teatros da Bahia são alguns dos temas abordados pelo texto dramático.

 

Finalizando o especial, a partir do dia 25 de novembro até o dia 23 de dezembro, toda quinta-feira às 19h, o canal do YouTube do Vila exibirá episódios da série “Memória do Teatro da Bahia em Docudrama”, que conta com 5 capítulos construídos a partir do repertório de reminiscências de artistas e colaboradores do teatro baiano. A direção é de João Guisande, Ronei Jorge e Rana Tosto.


 
A programação da Mostra Teatro de Cabo a Rabo é gratuita, mas o público pode colaborar com o valor que quiser, através da chave pix divulgada durante a exibição do espetáculo. A Mostra exibe gratuitamente onze obras de 6 diferentes territórios baianos (Salvador, Ilhéus, Juazeiro, Ibotirama, Vale do Capão, Rio de Contas, Velho Chico) no palco virtual do Teatro Vila Velha.

 

A mostra inclui diversas linguagens artísticas como dança, teatro, circo, performances, musicais, teatro de bonecos, leituras e websérie, e abrange diferentes tipos de público, adulto e infantil.

 

SERVIÇO
O QUÊ: Especial Memória do Teatro Baiano
QUANDO: De 16 de novembro a 23 de dezembro
ONDE: Canal do YouTube do Vila Velha
VALOR: Gratuito

Em corte na lista de finalistas, Prêmio Jabuti tira livro de Ciro Gomes da disputa
Foto: Divulgação / PDT

A Câmara Brasileira do Livro reduziu o número de finalistas ao Prêmio Jabuti de dez para cinco indicados nesta terça-feira (16). O presidenciável Ciro Gomes (PDT) estava na lista de finalistas com o livro "Projeto Nacional: O Dever da Esperança" (leia mais aqui), mas foi cortado com a atualização.

 

O prêmio é considerado o mais importante da literatura brasileira e os vencedores serão divulgados numa cerimônia no próximo dia 25.

 

Ciro não foi o primeiro nome da política brasileira a ser indicado para o Prêmio Jabuti. Em 2019, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi um dos 10 finalistas da premiação, com seu livro "A Verdade Vencerá".

Terça, 16 de Novembro de 2021 - 10:00

Bruna Marquezine revela ter feito teste para Supergirl no filme 'The Flash'

por Folhapress

Bruna Marquezine revela ter feito teste para Supergirl no filme 'The Flash'
Foto: Reprodução / RecordTV

A atriz Bruna Marquezine, 26, revelou nesta segunda-feira (15) ter feito teste para interpretar a Supergirl no filme "The Flash", da DC Comics. Em entrevista ao podcast Mamilos, ela contou que ficou em segundo lugar na seleção internacional. O papel foi conquistado por Sasha Calle, 26.
 

Segundo Marquezine, a pandemia da Covid-19 foi um dos motivos para ela não ter sido escolhida. As limitações provocadas pelo vírus a impediram de ir para Londres, na Inglaterra, onde o filme foi rodado. "Não tinha como ir, tentaram de todas as formas possíveis", disse. "Mas esse não foi o único motivo, o papel era dela (Sasha Calle)".
 

Emocionada, Marquezine contou ter ficado muito feliz com a sua performance nos testes e chorou de alegria por ter chegado tão perto de interpretar uma personagem icônica. Ela também disse que recebeu reconhecimento pelos testes e até hoje mantém contato com a produção do filme.
 

O fato de ter se saído bem e chegado ao top 2 na seleção internacional fortaleceu a atriz para a volta ao set de "Maldivas", série da Netflix em que interpreta Liz. A série acompanha a vida dos moradores de um condomínio e vai estrear em 2022.
 

A atriz afirmou que vivia uma fase insegura como atriz antes dos testes para "The Flash". Ela ficou feliz ao começar a gravar "Maldivas", mas quando o trabalho precisou ser interrompido por causa da pandemia repensou o que já tinha feito e concluiu que estava tudo péssimo.
 

O tema do episódio do podcast em que Marquezine fez a revelação sobre o papel internacional que quase conquistou foi a chamada síndrome da impostora, insegurança que atinge mulheres em uma sociedade ainda machista e sabota projetos profissionais e pessoais.
 

Marquezine relatou sobre o assunto que, ao pausar a interpretação em "Maldivas", começou a acreditar que sua única personagem de sucesso na trajetória profissional foi a pequena Salete, da novela "Mulheres Apaixonadas" (Globo). "Porque eu era criança e criança qualquer coisa que faz é bonitinho, tá legal", disse.
 

A insegurança continuou com o convite para o filme da DC, apesar da felicidade pela oportunidade. A atriz contratou duas professoras americanas para treinar interpretação e sotaque e pensou em não enviar o vídeo com o teste, gravado na companhia de seu melhor amigo.
 

Segundo ela, 60 atrizes participaram dessa fase da seleção e algumas são profissionais que admira muito e que considera mais capacitadas e com mais bagagem. "E eu fui a única brasileira aprovada. Fui para o top 5, fui para o top 2", contou.
 

Marquezine chegou à fase de teste de química com o ator que interpreta o Flash, Ezra Miller, 29. "Estudei de trás pra frente. Decorei as duas cenas, me preparei tudo o que podia e fui fazer o teste", lembrou.
 

De acordo com ela, foi uma das melhores experiências que já viveu. Marquezine revelou ter começado desacreditada de sua capacidade como atriz e saído fortalecida com os elogios que recebeu de Miller e do diretor. "Há muito tempo eu não sentia isso. Eu falava: sou atriz, amo o que faço e sei fazer".
 

Fãs da atriz comemoraram a revelação nas redes sociais.
 

Segunda, 15 de Novembro de 2021 - 21:57

Senado aprova feriado nacional em homenagem a Irmã Dulce

por Flavia Kurotori | Folhapress

Senado aprova feriado nacional em homenagem a Irmã Dulce
Foto: Divulgação/Osid

A Comissão de Educação do Senado aprovou, nesta segunda-feira (22), a criação de um feriado nacional em homenagem à Santa Dulce do Pobres. A previsão é que a celebração seja em 13 de março, dia da morte da religiosa em 1992. Este seria o décimo feriado nacional no país.
 

"Essa proposição, portanto, objetiva homenagear a vida de uma baiana, de uma brasileira, de uma santa que se dedicou a cuidar dos pobres, acolhendo todo com muito amor e dedicação na esperança de vê-los bem de saúde e vivendo com mais dignidade", justifica o texto.
 

O projeto de lei 4.028/2019, de autoria do senador Ângelo Coronel (PSD-BA), depende da validação da Câmara dos Deputados e, se aprovado, segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).
 

Irmã Dulce foi canonizada em outubro de 2019, 27 anos após a sua morte. Ela é a primeira santa nascida no Brasil e é conhecida como 'Anjo bom da Bahia'. Durante toda sua vida, se dedicou a cuidar dos pobres e dos doentes, sendo conhecida por transformar um galinheiro em um hospital.
 

Ela teve dois milagres reconhecidos pelo Vaticano. O primeiro, em 2021, teria sido no Sergipe, onde as orações em seu nome teriam feito cessar uma hemorragia de uma mulher que padeceu durante 18 horas após dar à luz o seu segundo filho. Já em 2014, um maestro baiano voltou a enxergar após pedir pela intercessão da religiosa.

Anitta e Caetano Veloso farão homenagem a Marília Mendonça no Grammy Latino
Foto: Reprodução / YouTube

A cantora Marília Mendonça será homenageada por Anitta e Caetano Veloso no Grammy Latino, que acontece na próxima quinta-feira (18), com transmissão ao vivo pelo canal Bis.

 

Em entrevista ao Los Angeles Times em Espanhol, Anitta falou sobre o tributo a amiga, que está concorrendo na premiação na categoria Melhor Álbum de Música Sertaneja, com "As Patroas".

 

"A morte de Marilia me destruiu. Tanto que me fez questionar e duvidar de muitas coisas em que acredito. A morte de uma mulher de 26 anos, uma mãe que deixou um filho órfão de 2 anos, é muito difícil de aceitar", disse.

 

Marília já ganhou um Grammy Latino pelo trabalho 'Todos os Cantos', em 2019, na mesma categoria que concorre agora ao lado das amigas Maiara e Maraisa.

Sérgio Camargo defende mudança do nome Fundação Palmares para Princesa Isabel
Foto: Reprodução / Fundação Palmares

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, defendeu abertamente em suas redes sociais a mudança do nome da entidade federal de promoção da afro-brasilidade, para Fundação Princesa Isabel.

 

Em seu perfil no Twitter, Camargo afirmou que a mudança é uma forma de destacar a imagem da Princesa Isabel na nova sede da instituição. Segundo ele, a homenagem a monarca é "um dever moral dos negros livres do Brasil".

 

"Negros decentes e honrados do Brasil têm sentimento de gratidão pela Princesa Isabel. Ela sancionou a abolição da escravidão. Hoje, o movimento negro marxista tenta escravizar e subjugar mentes negras, destruir o legado da Redentora".

 

 

 

Segundo o presidente da Fundação, que ainda afirmou que a "era da reafricanização e do senzalismo acabou na Palmares" e o assunto será tratado a partir do dia 22 de novembro, quando ele fará seu retorno das férias. "A questão será seriamente estudada por mim no retorno das férias, dia 22. Qualquer fato novo será informado aqui".

 

 

Após acordo extrajudicial, James Blunt ganha 20% da autoria de 'Coração Cachorro'
Foto: Reprodução / Instagram / YouTube

A conta chegou para Ávine Vinny e Matheus Fernandes e os seis autores de 'Coração Cachorro'. Após um acordo extrajudicial, os brasileiros incluíram James Blunt como um dos compositores da canção, um dos maiores sucessos da música brasileira em 2021 (leia aqui sobre a polêmica).

 

O britânico ganhará 20% da renda da autoria da música, devido ao sample (saiba mais sobre o assunto) de 'Same Mistake' no refrão do hit. 

 

A informação foi confirmada pela Medalha Editora, empresa que administra os direitos dos autores brasileiros do hit, Breno Lucena, Daniel dos Versos, Felipe Love, Fellipe Panda, PG do Carmo e Riquinho da Rima.

 

"É o primeiro caso que vejo no forró do autor estrangeiro entrar na 'parceria' de composição, ficando assim como um dos autores. A obra anteriormente era assinada por 6 autores e, a partir desse acordo, agora é assinada por 7 músicos, pois o James Blunt passa a ser um dos compositores", disse Neto Sales, sócio da Medalha Editora ao g1.

 

O acordo entre as partes foi mediado pela Sony Editora, que representa os direitos de Blunt no país.

Segunda, 15 de Novembro de 2021 - 09:00

Manu Gavassi é eleita pelo MTV EMA como melhor artista brasileiro e diz ser um sonho

por Folhapress

Manu Gavassi é eleita pelo MTV EMA como melhor artista brasileiro e diz ser um sonho
Foto: Reprodução / Instagram

A cantora e atriz Manu Gavassi, 28, foi eleita a melhor artista brasileira na premiação MTV EMA 2021, que acontece neste domingo (14) na Hungria. Ela superou Anitta, Ludmilla, Luísa Sonza e Pabllo Vittar, essa última vencedora do prêmio no ano passado.
 

"Ganhamos o EMA, sim, gavassiers!", comemorou a artista em seu Twitter. "Ganhar o EMA de Best Brazillian Act nesse momento da minha carreira parece de verdade um sonho. Um sonho e um abraço de cada um de vocês. Me faz acreditar que vale a pena mesmo ser completamente você mesma em tudo."
 

A MTV divulgou em suas redes sociais um vídeo de Manu comemorando. "Estou aqui na Hungria, em Budapeste, e acabei de ganhar o EMA. Parece, sei lá... Estou muito feliz. Eu acabei de lançar "Gracinha", que significa a minha libertação. Significa que você pode ser quem você quer ser e ser aceito por isso".
 

Manu Gavassi também participou do evento como apresentadora, dando o prêmio de Melhor Artista Alternativo para YUNGBLUD. Outra brasileira que fez uma aparição rápida na premiação foi Anitta, 28, que apareceu em um telão e falou com Cardi B que apresentava o evento. "Essa é minha bebê Anitta", afirmou a rapper.
 

A premiação acontece desde as 17h deste domingo, com transmissão pela MTV. Entre os prêmios entregues até a publicação desse texto estavam o de Melhor Artista do Ano, para Ed Sheeran, e de Melhor Artista Latino, para Maluma.

Histórico de Conteúdo