Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Terça, 25 de Janeiro de 2022 - 11:00

Doutor Pet: O que você precisa saber sobre obesidade em animais domésticos Tamanho H1

por Bruno Dantas - CRMV 4118

Doutor Pet: O que você precisa saber sobre obesidade em animais domésticos Tamanho H1
Foto: Equilíbrio Total

Pets sentem mais fome que humanos? Alguns animais apresentam um apetite voraz e essa característica está condicionada a diferentes fatores. 

 

Por predisposição genética ou projeção do comportamento humano, o ganho de peso pode desencadear uma das doenças que mais acomete os animais domésticos, a obesidade. 

 

Tanto quanto em humanos, a obesidade é uma doença séria que caminha de mãos dadas com um conjunto de outras patologias e pode levar o bichinho a óbito.

 

No entanto, ao entender as causas, a incidência e formas de prevenção, o tutor com o apoio do seu veterinário de confiança, pode construir uma barreira contra a doença.

 

Continue a leitura e entenda os fatores que contribuem para o ganho de peso excessivo do seu pet.

 

Animais obesos = 30% acima do peso ideal Tamanho H2

 

Dados da Associação Brasileira de Endocrinologia Veterinária (ABEV) identificaram um crescente aumento nas taxas de obesidade em cães e gatos.

 

Um considerável desequilíbrio entre ingestão e gasto de energia, que além de reduzir a qualidade de vida do pet, pode desencadear problemas ósseos, glicêmicos, redução de sobrevida. 

 

Em números, estima-se que quando a medida do animal está 30% acima do seu peso ideal o tutor pode considerar que seu pet está obeso.

 

Sem muitos segredos, manter os bichinhos mais ativos e alimentação balanceada são maneiras simples para evitar e controlar o desequilíbrio.

 

Patologicamente falando, atribuímos o ganho excessivo de peso do pet a inúmeros os fatores, em diferentes ângulos.

 

Com isso, o tutor pode atacar a obesidade, que é uma doença evitável, em diversas frentes.


Fatores Internos Tamanho H2 

  • Predisposição genética Tamanho H3

Nos gatos, o aumento de peso pode ser mais expressivo porque são adaptáveis a espaços reduzidos. Ambientes com limitação de circulação que dificulta a manutenção de atividades físicas, como os apartamentos, situação que pode favorecer o sedentarismo.

  • Racial Tamanho H3

Tanto existem raças com menor tendência ao ganho de peso, quanto a comparação contrária. 

 

As mais predispostas à obesidade são: labrador, beagle, teckel, basset hound, cocker spaniel, golden retriever.

 

Uma curiosidade está relacionado às raças mais associadas à caça. Pelo convívio com a necessidade de racionar energia, consequentemente, possui apetite mais voraz, com aptidão para comer rápido e em grande quantidade.    

  • Etária Tamanho H3

Acompanhar as alterações do crescimento e saber comparar o peso do seu pet até a faixa etária que atinge maturidade sexual, entre 1 ano, 1 e meio a 2 anos de idade. Quando ele alcança um platô em relação ao peso. 

  • Sexual Tamanho H3

A castração tem muitas vantagens, porém com a redução dos hormônios sexuais, há uma redução metabólica nos animais machos e aumento de apetite em fêmeas.


Fatores Externos Tamanho H2

  • Ambiental Tamanho H3 

Determinados pelo estilo de vida e regras na dieta possui regras do animal, como alimento é exposto à vontade, pouco ou nenhum exercício físico na rotina.


O que o tutor pode avaliar?Tamanho H2

Mas você sabe também que os agrados constantes, até esporádicos, com biscoitos e snacks para os animais domésticos podem se tornar hábitos prejudiciais para a saúde dos bichinhos? 

 

Pode parecer um ato carinhoso, mas segue o alerta para tutores e pais de pet avaliar, reconhecer e aceitar se aquele excesso de gordura no doguinho, a prega abdominal sobressalente é mais um item de fofura ou representa a necessidade de cuidados especializados.   

 

No Brasil,  temos muitos cães e gatos mestiços, sem raça definida. Nesses casos é difícil identificar uma faixa de peso ideal. 

 

No entanto, o tutor deve observar se o seu cachorro ou gato possui a cintura aparente, o contorno lateral é visível, se há uma discreta camada de gordura e as costelas são palpáveis. 

 

Para avaliar o peso ideal do seu bichinho, vá ao veterinário mais próximo e faça uma inspeção visual mais análise clínica detalhada. 


Algumas dicas contra a obesidade Tamanho H2

A receita da questão é aquela que sempre ouvimos: atividade física regular. 

  1. Para animais ansiosos é possível fracionar a dieta ao longo do dia, três ou quatro vezes ao dia;
  2. Utilizar brinquedos que estimulem a alimentação em etapas.
  3. Sair para brincar, caminhar, antes do horário de refeições;
  4. Além dos passeios, corridinhas, utilize brinquedos prediletos para manter seu pet ativo. 
  5. Não preparar os alimentos na frente dos bichinhos;
  6. Reduzir as calorias da alimentação de animais castrados;

Esteja atento às mudanças que acontecem no dia a dia de seu bichinho e conte com a ajuda do seu veterinário de confiança. 

Histórico de Conteúdo