Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Quinta, 23 de Dezembro de 2021 - 09:00

Foco na meta!: É hora de reforçar a imunidade e prevenir as síndromes gripais

por Dr. Rusthenes Jr. - Medicina Personalizada - CRM-BA 29950

Foco na meta!: É hora de reforçar a imunidade e prevenir as síndromes gripais
Foto: Divulgação

Além de vivenciar a pandemia associada ao vírus covid-19, nos últimos dias os casos de síndromes gripais aumentaram sensivelmente. Segundo a secretaria municipal de saúde de Salvador a gripe por H3N2, uma variante do vírus Influenza A, que teve um aumento de 1.380% nos casos na capital, na primeira quinzena de dezembro. Pensando em manter atividades preventivas contra doenças infectocontagiosas, o reforço do sistema imunológico se apresenta como uma medida necessária para evitar complicações de uma eventual infecção. 

 

Hoje vamos discutir questões que têm sido recorrentes relativas as síndromes gripais em salvador. Começando pelo seguinte, como se pode diferenciar? Essa é uma atribuição médica, mas basicamente, nas infecções pelo vírus Influenza que tem período de incubação de 1 a 4 dias, os sintomas se iniciam logo, e de maneira intensa. Enquanto nas infeções por COVID-19 é possível que os sintomas demorem mais de aparecer desde o primeiro contato com o vírus geralmente após 5 dias da infecção, variando de 2 até 14 dias.

 

O isolamento também tem sido questionado, e com relação a síndromes gripais, ainda não se tem recomendação de isolamento social, mas cada caso deve ser avaliado. Em caso de sintomas respiratórios, dor de garganta, dor no corpo, com ou sem febre, podem ser necessários exames complementares e a partir daí, feito o diagnóstico, as orientações serão feitas.

 

O reforço do sistema imunológico pode se iniciar com atividade física regular promove uma alteração no equilíbrio do nosso organismo, obrigando a uma reorganização da resposta imune. Quando o exercício físico tem intensidade moderada (que não causa exaustão), há um aumento permanente nas células do sistema imune, tanto no inato quanto no adaptativo. Devemos ter uma atenção especial com a suplementação personalizada de elementos importantes, como vitaminas C, D, E, zinco, selênio e ácidos graxos ômega 3, têm efeitos imunomoduladores bem estabelecidos, com benefícios em doenças infecciosas. Alguns desses nutrientes também demonstraram ter um papel potencial no manejo da COVID-19.

 

Ainda é hora de manter a etiqueta respiratória, assim como aprendemos bem nos últimos meses, pois a transmissão da gripe ocorre de forma muito parecida à da covid. Então foco na meta mais uma vez! A construção de uma boa imunidade demanda de bons hábitos constantes, e se você identificou que está em falha com algum dos pontos acima é hora de buscar apoio profissional. Vamos manter a vigilância e nos proteger sempre! 

Histórico de Conteúdo