Quinta, 08 de Novembro de 2012 - 09:57

Neste fim de ano, no país do futuro, quero um presente melhor!

por Gel Varela

Neste fim de ano, no país do futuro, quero um presente melhor!
Quando a corrupção e violência em nosso País atingem graus exageradamente alarmantes a parecidos sem fim e sem precedentes, como evidenciado na atualidade, é sinal que nem a riqueza material; nem a arte, ciência, magia ou tecnologia, tampouco o sistema político atual bastam, para fazer feliz, equilibrado e ordenado o gênero humano; ai a experiência sugere, a razão não se recusa a aceitar e a Lei Natural prova que somente a Unidade de Pensamento entre o conhecimento religioso, filosófico e científico pode constituir-se no fator mais importante no desenvolvimento da humanidade como um todo; portanto, determinante para melhorar o nível da qualidade de vida do Ser Humano, tanto individual, quanto social. Afinal consciência significa cientificamente estar com o conhecimento do todo, ou seja, da natureza interna, da natureza externa e da natureza eterna.  Já é mais que perceptível à necessidade de implantação da disciplina iniciação a consciência no sistema de educação vigente, pois é fato que a ciência sem consciência é cega, porquanto já compreendemos que se melhorarmos nossa tecnologia ganharemos muito; contudo, se melhorarmos o Ser Humano ganharemos tudo. Não temos mais como negligenciar à educação de nossa sociedade, pois é factualmente perceptível estar-se a leiloar os direitos da criança; a orientação educacional dos jovens; a consciência dos Seres Humanos; a dignidade dos idosos e a honra das mulheres, com isso, têm-se então o indício de que a humanidade precisa parir novos paradigmas para sua ressignificação. Não dá mais para que os interesses pessoais e partidários prevaleçam diante do Caos social empírico que estamos presenciando e midiatizando com os meios de comunicações, nossos políticos precisam ser alertados, advertido e até mesmo aconselhados, porquanto, temos que entender que toda prevenção exige no mínimo vigilância, e que o preço da paz social é diretamente proporcional a eterna vigilância dos nossos representantes políticos. Já sabemos também que toda forma de governo é diretamente proporcional à consciência do seu povo, por isso devemos clamar por mais consciência e não permitir os desmandos, pois nenhum governo é bom o bastante, e vamos precisar de todo mundo neste movimento de consciência para uma sociedade melhor. Entretanto, quando um governo, ainda que dito emanado do povo, pelo povo e para o povo, é mantido por partidos políticos cegos repletos de interesses particulares e passageiros, ou apenas da paixão pelo poder, evidencia-se que as consciências que compõe tal governo demonstram que não mais ignoram, mas esquecem e/ou inobservam aquilo que é indicado pela noção exata de alma, consciência e Lei Natural para a evolução do ordenamento da sociedade dita democrática.
 
O francês Jean François Brient (traduzido por Elisa Quadros em seu artigo sobre escravos da modernidade) traz a seguinte observação: 
 
"Vocês acreditam que ainda existe uma diferença fundamental quanto à escolha da sociedade na qual nós queremos viver entre o Partido Socialista e a Direita Populista na França, entre os Democratas e os Republicanos nos Estados Unidos, entre os Trabalhistas e Conservadores no Reino Unido? Não existe oposição, pois os partidos políticos dominantes estão de acordo sobre o essencial que é a conservação da atual sociedade mercantil.
 
Não existem partidos políticos susceptíveis de chegar ao poder que duvidem do dogma do mercado. E são estes partidos que com a cumplicidade midiática monopolizam as aparências.  Discutem por pequenos detalhes esperando que tudo fique onde está. 
 
Brigam por saber quem ocupará os lugares oferecidos pelo parlamentarismo mercantil. Estas estúpidas briguinhas são difundidas pelos meios na intenção de ocultar um verdadeiro debate sobre a escolha da sociedade na qual desejamos viver. A aparência e a futilidade dominam profundamente o afronto e as ideias. Tudo isto não se parece nem de perto nem de longe uma democracia."
 
Posto isso, percebemos que qualquer semelhança com nosso País não é mera coincidência, afinal o mercantilismo é globalizado. Então, para uma verdadeira tomada de Consciência em nossa sociedade é preciso entender que aqui no Brasil, como em qualquer outro lugar, a falta de educação gera a desconfiança; esta gera a burocracia; esta, a corrupção, que exige educação para alcançar as mudanças necessárias e urgentes, pois quanto menor é o grau de educação do Ser Humano, maior é o grau de tolice da humanidade, esta que vem dando manutenção ao conformismo das desigualdades na luta ignóbil pela tentativa desesperada de alcançar sociedade do consumo numa busca de pertencimento para pode se dizer feliz em sua alienação inobservada.
 
Mas, já que temos alguns bons presentes pra ganhar a partir do ano que vem em um gesto de “solidariedade” da sociedade dominante dos esportes, leiam-se FIFA e o COI, Como: Copa das Confederações, Copa do Mundo e as Olimpíadas, é claro que teremos que tirar algum proveito dessa condição que é inevitável, teremos que alcançar algum legado, e se contentar com essa possibilidade, porém para alcançar nosso futuro promissor precisaríamos no presente de uma mudança de mentalidade, como diz o professor Jorge Portugal, teríamos que querer tratar as escolas em nosso País, como tratamos os estádios/arenas; e a educação como estamos tratando a Copa do Mundo e as Olimpíadas, com mesmo grau de interesse, pois não terá falta de recursos, afinal já está sendo debatido a destinação dos royalties do petróleo  para investimentos na educação, no futuro próximo, afinal o Estado quando quer minorar a violência, mortalidade, corrupção e desigualdades, melhora a escolaridade, enfim, a educação de seu povo, pois é evidente, onde falta educação, falta saúde e tudo que equivalha.
 
Finalizando, com as COPAS e as OLIMPÍADAS faremos uma grande festa, porém entreter, não raro, significa adormecer o raciocínio, vamos acordar pra vida e não ficar indiferente aos acontecimentos, pois para a revolução da educação alcançar a transformação que desejamos teremos que no imolarmos por uma percepção inabalável; vigilância constante; portanto atenção plena na condição de cidadãos, enfim termos consciência. Tenho dito!
 
* Gel Varela  é diretor da Fundação Ocidemnte – Organização Cientifica de Estudos Materiais Naturais e Espirituais e Assessor da Secretaria de Educação de Lauro de Freitas.  

Histórico de Conteúdo