Quarta, 10 de Abril de 2019 - 16:00

Crise? Oba!

por André Nery

Crise? Oba!
Foto: Acervo pessoal

Aposto que esse título deve ter intrigado você, não é mesmo? O que mais ouvimos falar é que a crise é um grande problema, um “dificultador” de resultados e um verdadeiro calo no pé de todos nós.

 

Você sabia que podemos enxergar nas crises grandes oportunidades? Muitas empresas e pessoas sofrem nesse período, mas a pergunta é: o que fazem aqueles que conseguem obter relevantes crescimentos durante a crise? 

 

Eu acredito profundamente que, se alguém pode fazer, eu também posso! A forma de enxergar a crise determinará os resultados que teremos nela. Fique comigo neste breve artigo e entenda como a sua crença e visão em épocas de crise serão decisivos para o seu sucesso ou fracasso. Acompanhe!

 

Creia na crise

O primeiro aspecto a trabalharmos é a crença sobre a crise. O que pensamos quando a palavra crise vem à nossa mente? Quais as primeiras impressões temos? Qual o sentimento que se aflora nesses períodos?

 

Quando pensamos nela nos sentimos para baixo ou desafiados a fazer diferente? Muitas vezes, são nesses momentos que nos movemos pela necessidade de fazer mais e melhor.

 

Temos que aprender a lidar com as frustrações que esse período trás. Realmente, são muitos desafios a superar, mas, atenção, se dividirmos as metas em pequenas etapas conseguiremos avançar.

 

Foque no que dá certo

Um fato importante é que muitas vezes estipulamos metas e desafios que estão além do que conseguiremos alcançar e superar. É importante em tempos como esse reajustar as expectativas, redefinir metas e almejar aquilo que realmente podemos obter.

 

Muitas vezes os problemas que enfrentamos estão relacionados com a lente que usamos. Se o nosso foco está na crise e nos problemas, cada vez mais viveremos isso, só isso! Portanto, é fundamental fazermos escolhas que nos ajudem a despertar o melhor que há em nós, mirando no que dá certo para crescermos rapidamente, mesmo em tempos desafiadores.

 

Um bom exemplo disso são as pessoas que acreditam que “se todos estão chorando, é hora de vender lenços”. Quais são os lenços que sua empresa pode vender nesse momento? O que você pode fazer de diferente da sua concorrência para ter um diferencial competitivo no mercado?

 

Busque o que dá certo, os potenciais clientes, os produtos e serviços que rendem e as parcerias que vão otimizar os seus resultados. Mais do que nunca, em dias de crise, é hora de arregaçarmos as mangas e ativarmos toda nossa capacidade!

 

Faça jejum de informação

Aqui está um ponto em que muitas pessoas se perdem. Elas se submergem em informações, normalmente ruins. O jejum de informação é uma proposta que eu busco aplicar na minha vida. Ao invés de passar horas e horas preso às informações, eu busco conhecimento.

 

Ao invés de passarmos horas lendo notícias que não nos levam a lugar algum, passemos a ler artigos que nos façam refletir e crescer. A ideia é nos cercarmos de coisas boas e que nos ajudem a ter novas ideias, insights e encontrarmos soluções que até hoje não encontramos.

 

A maioria dos artigos que leio sobre como ter sucesso na crise falam de segmentos que crescem ou que se mantém bem nesses períodos, como alimentos e bebidas, vestuários, etc. Mas, o meu objetivo aqui é despertar em você a crença correta, a ideia real de sim, é possível! 

 

Quanto mais você acreditar que o que você faz pode ser refeito de forma otimizada, diminuindo seus custos, aprimorando seus processos, melhorando a quantidade de fechamento por cliente atendido e aumentando seu ticket médio, mais você estará fortalecido para enfrentar os momentos de crise, com possibilidades de crescimento.

 

Que essas reflexões possam ecoar dentro de você fazendo-o agir diferente. Acredite: é possível não somente sobreviver na crise, como também surfar nela. Interessante esta abordagem sobre crise, não é mesmo? Sabe aquele empreendedor que você conhece? Que tal auxiliá-lo agora enviando este conteúdo de utilidade para ele? Faça isso, compartilhe!

 

*André Nery é empresário, Master Coach e Master Practitioner e Trainer em PNL (Programação Neurolinguística)

 

 Os artigos reproduzidos neste espaço não representam, necessariamente, a opinião do Bahia Notícias

Histórico de Conteúdo