Quinta, 07 de Dezembro de 2017 - 17:10

Casal é flagrado fazendo sexo em carro a 100km/h

Casal é flagrado fazendo sexo em carro a 100km/h

Um casal foi flagrado fazendo sexo em carro a 110km/h. De acordo com O Globo, o incidente ocorreu em rodovia na altura de Yala, província de Jujuy, Argentina. A estrada liga Buenos Aires até a fronteira com a Bolívia.

Leia mais

Reino Unido será primeiro país a vender Viagra sem necessidade de prescrição médica

O Reino Unido será o primeiro país a vender Viagra sem a necessidade de receita médica. As pílulas de 50 mg serão vendidas em todas as farmácias com o nome de Viagra Connect. Ainda assim, haverá uma quantidade limitada para cada usuário, com proibição para pessoas que apresentam problemas cardíacos ou de insuficiência hepática e renal. Segundo o jornal O Globo, a farmacêutica Pfizer estima que a comercialização do produto seja iniciada no primeiro semestre de 2018. A versão tradicional do Viagra continuará disponível, apenas com prescrição médica.

Leia mais

Sexo oral em mulheres beneficia saúde de quem recebe e de quem faz, diz estudo

A prática de sexo oral em mulheres faz bem a saúde de quem recebe e também de quem faz, aponta um estudo publicado por um grupo de pesquisadores da State University of New York, nos Estados Unidos. De acordo o Ibahia, a pesquisa acompanhou os hábitos sexuais de mais de 150 casais héteros e lésbicos norte-americanos. Na prática, os participantes foram separados em dois grupos, onde o primeiro praticava frequentemente sexo oral e o segundo apenas de forma limitada. Após análise, os pesquisadores notaram diferenças significativas nos níveis de estresse, ansiedade, qualidade de sono e intimidade entre as participantes. O grupo que realizava mais sexo oral conseguiu melhor resultado por conta da liberação dos hormônios ocitocina e DHEA durante o sexo. Essas substâncias inclusive agem contra doenças como câncer e problemas cardíacos.

Leia mais

Pessoas que usam maconha regularmente fazem mais sexo, aponta estudo

Um estudo desenvolvido nos Estados Unidos apontou evidências de que usuários regulares de maconha fazem mais sexo. Foram analisados dados de mais de 50 mil norte-americanos, com idade entre 25 e 45 anos. "A tendência geral é aplicada a pessoas de ambos os sexos e todas as raças, idades, níveis educacionais, religiões, classes de renda, estados de saúde, se eram casados ou solteiros ou se tinham ou não filhos", afirmou Michael Eisenberg, da Universidade Stanford. "O uso da maconha é muito comum, mas seu uso em larga escala e associação com a frequência sexual não havia sido estudados de forma científica", acrescentou. Com o objetivo de observar os efeitos da maconha sobre o sexo, os pesquisadores utilizaram a Pesquisa Nacional de Crescimento Familiar dos EUA para coletar dados sobre o número de vezes que os entrevistados fizeram sexo e a frequência no uso de maconha. Foram compilados dados desde 2002 de 28.176 mulheres e 22.943 homens. Os cientistas ressaltaram que existem outras variáveis que podem influenciar na atividade sexual.

Leia mais

Metade dos norte-americanos acredita que sexo com robôs será comum em 50 anos

Torna-se cada vez mais comum a ideia de bonecos sexuais realistas, mas o uso propriamente dito ainda é olhado com estranheza por muitas pessoas. No entanto, uma pesquisa realizada pela YouGov revelou que 49% dos adultos norte-americanos acredita que, nos próximos 50 anos, o sexo com robôs será uma prática comum. Publicado nesta segunda-feira (2), o estudo questionou 1.146 moradores dos Estados Unidos. Mesmo com o número, os resultados mostraram que poucas pessoas seriam adeptas à prática: 24% dos homens e 15% das mulheres. A pesquisa também mostrou como é vista a prática de sexo com robôs por pessoas comprometidas. Entre os homens, 29% acreditam que seria traição, contra 37% que discordam. Já 36% das mulheres apontam o ato como adultério, enquanto 29% discordam disso. As respostas provavelmente estão relacionadas à impressão que os entrevistados têm da prática. Somente 14% a classificam como sexo, enquanto 33% acreditam que se trata de masturbação.

Leia mais

Quarta, 27 de Setembro de 2017 - 00:00

Contracepção: 83% dos homens de Salvador já fizeram sexo sem camisinha, revela pesquisa

por Renata Farias, de São Paulo

Contracepção: 83% dos homens de Salvador já fizeram sexo sem camisinha, revela pesquisa
Uma pesquisa nacional apontou que 76% da população masculina de Salvador acredita que a responsabilidade de contracepção é do casal.  No entanto, 83% admitiram já ter feito sexo sem o uso de nenhum método. O número é maior do que o observado nacionalmente: 73% dos brasileiros afirmaram que já tiveram relações sexuais sem utilizar métodos contraceptivos. Os dados, divulgado nesta terça-feira (26), são de um estudo desenvolvido pela Bayer, com o apoio do Departamento de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina da Escola Paulista de Medicina da Unifesp.

Leia mais

Fratura peniana: 'Papai e mamãe' é segunda posição sexual mais perigosa

Uma das posições sexuais mais conhecidas, o "papai e mamãe" é a segunda mais perigosa para os homens. De acordo com um estudo realizado pelo International Journal of Impotence Research, a posição é apontada como a causa de 25% das fraturas de pênis. Nesse caso, o órgão pode sair da vagina da parceira e bater bruscamente. O primeiro lugar é ocupado pelo sexo "de quatro", que levou a 41% das fraturas penianas registradas. Segundo o estudo intitulado "Relação entre a posição sexual e a gravidade da fratura do pênis", o homem pode atingir o osso pélvico da mulher e fraturar. Em terceiro lugar, está a posição em que a mulher fica por cima do homem. A depender do movimento, o órgão masculino pode dobrar em ângulos errados.

Leia mais

Estudo aponta que pessoas entre 18 e 29 anos transam de duas a três vezes por semana
Estudo aponta faixa etária que faz sexo com maior frequência Estudo aponta que pessoas entre 18 e 29 anos transam de duas a três vezes por semana

Leia mais

Melhor horário para sexo é às 7h30 da manhã, aponta pesquisa

De acordo com o estudo da marca britânica “Forza Supplements”, que ouviu 1.000 pessoas, o melhor horário para  fazer sexo é às 7h30 da manhã, levando em consideração que quase totalidade dos escutados acordavam às 6h45. Segundo os dados, após uma boa noite de sono, ambos os sexos atingem níveis máximos de energia cerca de 45 minutos após o despertar, e as endorfinas liberadas pela atividade sexual diminuem os níveis de estresse. Ainda nos dados, o melhor horário para realizar atividades que exijam atenção é às 9h45, pois o ser humano atinge picos de concentração cerca de 3 horas após o despertar. 

Leia mais

Ancestrais humanos podem ter feito sexo com espécie 'fantasma', aponta estudo
Estudo aponta que seres humanos podem ter relacionado sexualmente com outras espécies Ancestrais humanos podem ter se relacionado sexualmente com espécie 'fantasma', aponta estudo Ancestrais humanos faziam sexo com diferentes espécies, indica estudo

Leia mais

Histórico de Conteúdo