Segunda, 31 de Julho de 2017 - 10:30

Atividade física bem planejada é fundamental para quem sofre de disfunção da tireoide

por Renato Figueiredo

Atividade física bem planejada é fundamental para quem sofre de disfunção da tireoide
Foto: Divulgação

A obesidade tem sido foco de muitos estudos, devido ao grande risco que pessoas obesas têm de desenvolver doenças coronarianas e outras. Nunca se imaginou que a população pudesse chegar a um nível tão elevado de sobrepeso, devido a hábitos de vida sedentários e má alimentação. No entanto, não podemos desconsiderar que fatores endócrinos exercem uma influência muito grande no aumento de peso. Por exemplo, pessoas que sofrem de hipotireoidismo - disfunção da tireoide que causa uma queda na produção dos hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina) - tendem a ter um metabolismo mais lento, facilitando assim o acúmulo de gordura.

 

É comprovado cientificamente que o exercício físico tem papel fundamental no controle e perda de peso, por conta do gasto calórico exigido do corpo para a realização da atividade e por manter o metabolismo acelerado por mais horas, durante o dia. Sendo assim, a prática regular de exercício físico deve fazer parte da rotina desses indivíduos para que o acúmulo de gordura seja reduzido.

 

Contudo, é preciso um pouco mais de cuidado na hora de se exercitar. Vale ressaltar que, indivíduos com baixo nível de hormônio tireoidiano têm uma redução de força muscular de braços, pernas e músculos inspiratórios, sendo assim é necessária cautela para que não haja uma solicitação exagerada da musculatura e ocasione prejuízos. Por outro lado, o exercício bem planejado ocasionará no aumento e manutenção de força dos músculos prejudicados por conta do baixo nível dos hormônios tireoidianos e perda peso.

 

Não podemos deixar de citar pessoas que sofrem de hipertireoidismo - a glândula produz excesso de hormônios tireoidianos -  que têm efeitos expressivos na perda de massa muscular, ocasionando, perda de peso, redução de força e resistência muscular. Para esses, a prática regular de exercícios físicos, principalmente a musculação é de fundamental importância para a manutenção da massa muscular e melhora da resistência para exercer suas as atividades diárias.

 

Apesar de estar bem claro, a respeito da importância da prática de atividade física para pessoas que sofrem tanto de hipotireoidismo quanto de hipertireoidismo é preciso cuidado e bom senso na hora da prescrição do treino para esses pacientes, pois “a diferença entre o veneno e o remédio está na dosagem”. Por isso, alguns critérios devem ser observados, para que o tempo de exercício seja entre 40 a 60 minutos no máximo e intensidades abaixo do limiar anaeróbico. É de fundamental importância que haja total coerência na prescrição de treino para esses sujeitos para que o efeito do exercício seja benéfico e ofereça uma melhor qualidade de vida aos mesmos. 

 

RENATO FIGUEIREDO

Graduado em Educação Física pela UNIJORGE, Renato Figueiredo é coach de emagrecimento, com pós-graduação em Fisiologia e Prescrição de Exercícios pela Universidade Gama Filho. Possui o título de Professional Self Coaching pelo Instituto Brasileiro de Coaching (IBC).

Histórico de Conteúdo