Entrevistas

‘É preciso acelerar’, diz pesquisadora sobre políticas de saúde para população negra

Uma das doenças mais comuns entre a população negra é a Doença Falciforme (DF), ou anemia falciforme, uma enfermidade genética que impede o sangue de circular de forma adequada. No Brasil, Salvador é a cidade com maior incidência deste tipo de anemia. Na capital baiana, um em cada 17 bebês soteropolitanos vêm ao mundo com traço falciforme. O controle da DF, entre outras questões, é uma das metas da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra, instituída em 2009. Em entrevista ao Bahia Notícias, a professora de Saúde Pública do Instituto de Saúde Coletiva (ISC) da Ufba, Clarice Santos Mota, considera que a evolução dessas políticas ainda é “lenta” na Bahia. Segundo Clarice, um dos saltos da gestão da Sáude em Salvador foi a criação dos Multicentros, que dispõem de um hematologista para o diagnóstico da DF. Na conversa com o BN, a pesquisadora detalhou ainda as representações do racismo institucional em hospitais e clínicas e disse que a qualidade da saúde da população está associada à qualidade social. “Nos últimos dez anos houve uma melhora nos indicadores sociais, mas isso precisa se acelerar, isso precisa continuar. Porque você não corrige os problemas de saúde sem corrigir os problemas sociais”, avaliou.

Veja mais

Diagnóstico do Leitor

Veja mais

Quarta, 19 de Fevereiro de 2014 - 17:40

Dieta sem carboidrato pode prejudicar a saúde

Dieta sem carboidrato pode prejudicar a saúde
Um dos principais mitos sobre o macarrão é que, por ser rico em carboidratos, o seu consumo prejudica quem quer perder peso. Mas segundo a nutricionista Fabiana Fontes, consultora da Pelaggio, ter uma alimentação pobre em carboidratos sem acompanhamento médico pode trazer sérios riscos à saúde. “Os carboidratos presentes nas massas são responsáveis em nos fornecer nutrientes energéticos, são eles que ministram a maior parte da energia necessária para o corpo realizar nossas atividades normais, como andar e trabalhar”, explica Fabiana.
 
Os principais efeitos sentidos por quem restringe o consumo de carboidratos são cansaço, dores de cabeça, sonolência, fraqueza, falta de concentração, tontura e até desmaios. Além disso, um corte total de carboidratos da alimentação diária faz com que o organismo passe a usar a proteína como fonte de energia, o que provoca a perda de massa magra. “Quem corta totalmente os carboidratos pode até registrar uma perda de peso, como defendido pelas dietas da moda”, conta Fabiana. Porém, destaca que essa redução não acontece de uma forma saudável e dificilmente consegue ser mantida posteriormente.
 
Segundo a especialista, consumir macarrão, na quantidade correta e com os acompanhamentos indicados, pode inclusive contribuir na redução do peso. Isso porque o macarrão possui um baixo Índice Glicêmico (IG), ou seja, diminui a velocidade do nível da glicose no sangue, o que proporciona saciedade mais prolongada. De acordo com Fabiana, a quantidade ideal recomendada para um adulto é de dois pegadores de massa numa refeição, sempre acompanhados de uma fonte de proteína, como carnes, frango, peixe, ovos cozidos ou peito de peru, e legumes variados.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Artigos

Sri Sri Ravi Shankar
Meditação: Comida para a alma

A meditação é a viagem do movimento à calma, do som ao silêncio. A necessidade de meditar está presente em cada ser humano, porque é uma tendência natural da vida humana procurar uma alegria que não diminui, um amor que não muda, ou se transforma em emoções negativas.

Veja mais