Entrevistas

Representantes do método Ravenna, usado por Dilma, explicam funcionamento e rebatem críticas

Criado em 1991, em Buenos Aires, pelo médico e terapeuta argentino Máximo Ravenna, o método que leva seu nome chegou ao Brasil em 2009, com a criação da primeira clínica em Salvador. Recentemente muito divulgado por conta da adesão da presidente Dilma Rousseff, o método Ravenna ganha cada vez mais adeptos no país e já conta com outras duas clínicas, uma em São Paulo e outra em Brasília. Em entrevista ao Bahia Notícias, a diretora executiva do Método Ravenna no Brasil, Moema Soares, que trouxe o sistema de emagrecimento para o país, e o diretor médico das Clínicas de Salvador e Brasília, Marcos Barojas, explicaram o funcionamento do método que pode ser utilizado por pessoas dos cinco até cerca de 85 anos. Eles ainda rebateram críticas que nutricionistas fazem, como cardápios com muitos itens industrializados, como gelatina, consumo de apenas 800 calorias por dia e proporções inadequadas entre os grupos alimentares. "O que adoeceu as pessoas foi o tamanho das porções. E ninguém prega que não se tenha prazer pela comida", disse Moema. Para aderir ao Ravenna, em Salvador, o paciente deve desembolsar R$ 1.670 no primeiro mês e uma mensalidade de R$ 1.100 nos meses seguintes.

Veja mais

Quarta, 19 de Fevereiro de 2014 - 17:40

Dieta sem carboidrato pode prejudicar a saúde

Dieta sem carboidrato pode prejudicar a saúde
Um dos principais mitos sobre o macarrão é que, por ser rico em carboidratos, o seu consumo prejudica quem quer perder peso. Mas segundo a nutricionista Fabiana Fontes, consultora da Pelaggio, ter uma alimentação pobre em carboidratos sem acompanhamento médico pode trazer sérios riscos à saúde. “Os carboidratos presentes nas massas são responsáveis em nos fornecer nutrientes energéticos, são eles que ministram a maior parte da energia necessária para o corpo realizar nossas atividades normais, como andar e trabalhar”, explica Fabiana.
 
Os principais efeitos sentidos por quem restringe o consumo de carboidratos são cansaço, dores de cabeça, sonolência, fraqueza, falta de concentração, tontura e até desmaios. Além disso, um corte total de carboidratos da alimentação diária faz com que o organismo passe a usar a proteína como fonte de energia, o que provoca a perda de massa magra. “Quem corta totalmente os carboidratos pode até registrar uma perda de peso, como defendido pelas dietas da moda”, conta Fabiana. Porém, destaca que essa redução não acontece de uma forma saudável e dificilmente consegue ser mantida posteriormente.
 
Segundo a especialista, consumir macarrão, na quantidade correta e com os acompanhamentos indicados, pode inclusive contribuir na redução do peso. Isso porque o macarrão possui um baixo Índice Glicêmico (IG), ou seja, diminui a velocidade do nível da glicose no sangue, o que proporciona saciedade mais prolongada. De acordo com Fabiana, a quantidade ideal recomendada para um adulto é de dois pegadores de massa numa refeição, sempre acompanhados de uma fonte de proteína, como carnes, frango, peixe, ovos cozidos ou peito de peru, e legumes variados.

Comentar

   

Histórico de Conteudo

Artigos

Sri Sri Ravi Shankar
Meditação: Comida para a alma

A meditação é a viagem do movimento à calma, do som ao silêncio. A necessidade de meditar está presente em cada ser humano, porque é uma tendência natural da vida humana procurar uma alegria que não diminui, um amor que não muda, ou se transforma em emoções negativas.

Veja mais