Quinta, 20 de Abril de 2017 - 10:31

Odebrecht mandava na República

por Samuel Celestino

Odebrecht mandava na República
Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Chega a ser um absurdo o que agora se revela através da Uol. As propinas oriundas da Odebrecht teriam ultrapassado o Produto Interno Bruto (PIB) de nada menos do que 33 países. Naturalmente países menores, mas, por aí se vê a força da empreiteira entre os anos 2006 a 2014 quando teria derramado R$ 10,6 bilhões, exclusivamente para os políticos corruptos. A estrutura da Odebrecht vai muito além do que se imaginava. Todos esses valores que os políticos deles se locupletaram estavam distantes do conhecimento público e seguramente somente os partidos políticos, principalmente seus líderes, tinham informações concretas do que acontecia na calada da noite, ou do dia. Por aí se tem uma diminuta noção de como os inúmeros partidos políticos da República se enriqueciam a larga por baixo do pano. As empreiteiras, principalmente a Odebrecht, mandavam no país com conhecimento (supõe-se) de Lula, que recebia da empreiteira nada menos do que 200 milhões de dólares para fazer conferências nos países latino-americanos, do Caribe e da África, onde a empresa realizava negócios. Os 33 países listados acima estão de acordo com os dados do FMI. São países pequenos, muitos deles sem que haja conhecimento da maioria da população do planeta. De volta a Uol, o valor em dólar, excetuando os R$ 10,6 bilhões, ficou em torno de R$ 3,37 bilhões. Quem levou esses dados ao conhecimento foi o delator baiano Hilberto Mascarenhas, encarregado de realizar os pagamentos da empreiteira.

Histórico de Conteúdo