Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Não gosto de fazer previsões, mas essa eu arrisco: o secretário mais afiado e que fala a mesma língua do governador é, com certeza, Pelegrino. Juntos vão discutir muito sobre a Plaça Castro Alves, Peloulinho e Lecôncavo Baiano. Aliás, falando em língua, tem gente que fala demais. Disseram que o Soberano andava preocupado com a montagem do governo de Rui Costa, por ele ser técnico. Neto achava que poderia ter problemas para 2016 e depois em 2018. Quando tomou conhecimento das indicações, o Soberano era só alegria. Não deixe de ler as Curtas do poder!

Veja mais

Pérola do dia

Carlos Cruz

 “Sei que a situação está ruim, mas essa foi a única solução que encontrei."

Secretário de Infraestrutura de Belmonte, sobre operação que tapou buracos de BA-001 com argila e cascalho.

Veja mais

Comentários

Lídice fica em 13º no ranking de melhor senadora de Veja; com zero, Aécio é o último da lista

vcs ainda queriam nesse estorvo ,como, presidente....xô satanás!

27/12/2014 - 16:45

JOSUE MIRANDA SOUZA

Reportagem do The New York Times mostra declínio da família Sarney na política brasileira

Ele está cansado e cheia da grana! Digo com certeza absoluta que se ele ou a filha quiser ser ministro (a) o governo atende na mesma hora

27/12/2014 - 15:34

Antonio Carlos Santana Dantas

Veja mais

Entrevistas

Manoel Vitório

Homem da confiança do governador eleito Rui Costa, Manoel Vitório foi o responsável pela equipe de transição entre o atual governo Wagner e a futura gestão de Rui. Vitório começou no governo Wagner na pasta de Administração em 2007 e desde 2013 assumiu a secretaria da Fazenda, cargo no qual será mantido pelo futuro governador. Em entrevista ao Bahia Notícias, o secretário disse que, apesar de Wagner entregar para Rui o governo “até uma situação um pouco mais confortável” que outros estados brasileiros e prometer manter obras importantes, haverá “cinto apertado”. “Vai ter ter cinto apertado sim. E vamos apertar principalmente nas atividades-meio. Vamos trabalhar muito em cima de alguns pilares como as oportunidades de crescimento de arrecadação, principalmente através do combate à sonegação”. Convocado a dizer quais as diferenças entre Wagner e Rui, o secretário disse que o atual governador “é uma das pessoas mais brilhantes que conheci, tem uma inteligência fantástica”. Já o sobre o futuro gestor baiano, Vitório classificou Rui como “um homem extremamente inteligente, tem um traço muito técnico”. Clique aqui e leia a entrevista completa.

Veja mais

Multimidia

Posse do presidente do Bahia Marcelo Sant'Ana

Veja mais

Terça, 05 de Janeiro de 2010 - 10:35

HOMICÍDIOS QUADRIPLICAM EM VALENÇA

por (Rafael Albuquerque)

Ao que parece, as críticas que o governo Wagner tem ouvido da oposição com relação à falta de segurança pública na Bahia são fundamentadas. É que além dos casos de violência da capital e Região Metropolitana, geralmente mais abordados pela imprensa, as cidades do interior também apresentam índices alarmantes. O município de Valença, no baixo-sul baiano, por exemplo, tinha uma média - que já era considerada alta – de dois homicídios por mês há cerca de três anos e meio. Atualmente esse o número subiu para oito por mês, ou seja, quadruplicou. Isso sem falar na frota sucateada de viaturas composta por três veículos, o mesmo contingente de 30 anos atrás. As informações são da Coluna Tempo Presente, de Levi Vasconcelos, que curtiu férias e está de volta ao jornal A Tarde.


Comentar

   

Histórico de Conteudo

Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Ano novo, energias novas. O que esperar de 2015?

Artigos

Alex Lopes
Bom jogo democrático

O ano de 2014 entra para a nossa história como o ano que aconteceu. E de fato, de tudo um pouco ou muito aconteceu e ainda está acontecendo. A melhor prova disto está na tensão pós-eleitoral evidenciada nos debates que ocorre nas redes sociais.

Veja mais

Viagem no tempo

Samuel Celestino, anos atrás
Publicada no Jornal 'A Tarde' em 05 de março de 1985: A Bahia no ministério

Depois de longos anos de participação discreta nos governos revolucionários, a Bahia retoma o seu prestígio político no cenário nacional se efetivamente for confirmada a destinação de três ministérios para políticos baianos, como tudo parece indicar. Há, ainda, algumas dúvidas sobre a formação do primeiro escalão do futuro governo e, dentre elas, informava-se ontem que não estava tão certa a presença de Fernando Lyra no gabinete da Casa Civil e que Waldir Pires permanecia entre a Previdência Social e o Ministério da Justiça.

Veja mais