Com Samuel Celestino

Receba Notícias do BN

Nome
E-mail *

Curtas do Poder

Curtas do poder

Esse povo da Bahia também parece que não entende das coisas modernas. Dia desses vieram me fazer uma fofoca dizendo que os ferries que Dotô Otto comprou estão enferrujados. Sabem de nada, inocentes. Na verdade, ele mandou customizar as embarcações, que agora podem ser chamadas de retrô. Falando em coisa antiga, o gago Domingos Leonelli é tão das antigas que até suas placas são em preto e branco. Retrô, como os novos ferries. Na coluna de hoje eu ainda revelo quem anda a destruir placas de rua dos candidatos. Não deixe de ler as Curtas do poder!

Veja mais

Pérola do dia

Lídice da Mata

"De jeito nenhum."

Candidata ao governo da Bahia pelo PSB, sobre a possibilidade de ter o ex-prefeito de Salvador, João Henrique, no palanque de campanha.

Veja mais

Comentários

Alunos de Jornalismo da Faculdade da Cidade emitem nota de repúdio por ?descaso?

Esta faculdade é da FTC, daí o descaso. O MEC deveria melhor avaliar esta faculdade, que está envolvida em muitos problemas.

22/08/2014 - 09:57

Pedro

Souto promete aumentar salário de servidores de acordo com ?condição financeira do estado?

Durante os dois governos de Paulo Souto,o funcionário público comeu o pão que o diabo amassou.

22/08/2014 - 09:16

Kleber Mendes

Veja mais

Entrevistas

Renata Mallet

Primeira dos candidatos ao governo entrevistada pelo Bahia Notícias nessa série, a fonoaudióloga Renata Mallet (PSTU) mostra postura firme e um discurso à esquerda mais radical. Vai desde o final das terceirizações e das parcerias público-privadas à desmilitarização das polícias, com uma parada no fim da lei de responsabilidade fiscal. Para ela, a Bahia vive uma contradição entre ricos e pobres e que somente a participação de trabalhadores e jovens pode mudar o quadro. “Nós queremos o voto daqueles que não querem que a direita retorne no nosso estado. Que estão cansados do carlismo. E também queremos os votos daqueles que tiveram esperança com o PT e perceberam que o PT os traiu. A gente quer o voto daqueles que querem a mudança na Bahia. É necessário inverter a lógica da política na Bahia, parando de priorizar e dar privilégios para os ricos e começar a pensar políticas para os trabalhadores e para a juventude. Nossa proposta é de fazer um governo que convoque os trabalhadores a governar. As mãos que trabalham na Bahia também podem governar o nosso estado. E nós contamos com eles. Com a participação do movimento. A nossa eleição tem esse objetivo de fortalecer a luta dos trabalhadores e da juventude. Porque, para nós, a única forma de melhorar o estado de sofrimento da nossa população é deixar de construir uma Bahia para os ricos e começar agora, junto com os trabalhadores e a juventude, a construir uma Bahia com e para esse setor, para os trabalhadores e a juventude, que são a grande maioria da população”, defende Renata.

Veja mais

Multimidia

Veja o lance do gol de Bahia 1x0 Corinthians

Veja mais

Segunda, 23 de Março de 2009 - 10:14

PMDB TEM PESQUISAS COM CENÁRIOS DIFERENTES


Geddel diz que pesquisa o deixou "extremamente satisfeito"

O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB), disse que ficou extremamente satisfeito com o resultado da pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira. "Como um instrumento de curiosidade é um dado interessante. Vejo meu nome colocado numa relação em que tem o governador, ex-governadores e um recente candidato nas eleições municipais em Salvador, e, como instrumento de curiosidade, estou extremamente satisfeito", declarou o ministro ao Bahia Notícias. Questionado se a pesquisa bate com os levantamentos feitos internamente pelo PMDB, Geddel afirmou que não porque os cenários montados pelo Datafolha são considerados impossíveis de acontecer. "Pesquisas internas de institutos importantíssimos do Brasil me deixam muito mais feliz do que essa (do Datafolha)", se limitou a dizer o peemedebista. Embora o ministro não forneça detalhes, as pesquisas feitas pelo PMDB trabalham com três cenários. O primeiro com o governador Jaques Wagner contra o ministro Geddel, que teria o apoio do DEM; o segundo tendo Wagner, com o apoio do ministro, contra o ex-governador Paulo Souto; e o terceiro, considera o mais remoto, tendo os três como postulantes ao Palácio de Ondina. Wagner aparece na frente nos três cenários, o que é visto com normalidade pelos peemedebistas, já que o petista é o atual governador e o ministro ainda não definiu se será candidato.

(Alexandre Costa)


Comentar

   

Histórico de Conteudo

Site Auditado pelo IVC - Bahia Noticias

Enquete

Qual a importância das pesquisas eleitorais durante a campanha?