Temer exonera ministros para garantir votos na Câmara em meio à análise de 2ª denúncia
Foto: Lula Marques / Agência PT

O presidente Michel Temer exonerou nesta quarta-feira (18) os ministros de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho (PSB-PE), e da Defesa, Raul Jungmann (PPS-PE), para não perder votos contrários à segunda denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República. De acordo com o Valor, os ministros retomarão seus mandatos na Câmara e tirarão a vaga de dois suplentes críticos ao governo: Severino Nino (PSB-PE) e Creuza Pereira (PSB-PE). Ambos assinaram uma lista proposta pelo deputado Júlio Delgado (PSB-MG) para retirar da liderança do partido a deputada Tereza Cristina (MS), da ala governista do PSB. Com o retorno de Coelho Filho e Jungmann, a ala da oposição ao governo terá o apoio de 17 deputados, menos da metade dos 36 da bancada. Cabe ao líder do partido nomear os representantes do PSB nas comissões. Se Delgado se tornasse líder, excluiria da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) dois deputados que votam com Temer - Danilo Forte (CE) e Fábio Garcia (MT) - para colocar outros parlamentares que seriam favoráveis à denúncia. O PSB tem quatro votos no colegiado. A CCJ deve definir nesta quarta sobre o parecer do relator Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que recomendou a rejeição da denúncia contra Temer. O presidente é denunciado pelos crimes de organização criminosa e obstrução de justiça.

Histórico de Conteúdo