Marqueteiro de Michel Temer acredita ter sido gravado por Joesley
Foto: Divulgação

Além do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, o marqueteiro do presidente Michel Temer,  Elsinho Mouco, também acredita que foi gravado pelo empresário Joesley Batista, sócio da JBS. Segundo o Blog da Andreia Sadi, do portal G1, a suspeita de Mouco é de que tenha sido gravado uma semana antes do encontro entre Joesley e o presidente Michel Temer no Palácio do Jaburu no dia 7 de março, que foi registrado pelo empresário. Ao blog, Elsinho confirmou ter se encontrado com Joesley no final de fevereiro, provavelmente no dia 28 – na reunião eles trataram da conversa que o sócio da JBS queria ter com o presidente. Elsinho afirmou que Joesley buscava um novo interlocutor com o governo após a saída de Geddel Vieira Lima da Secretaria-Geral da Presidência. "E sugeriu que eu teria vantagens se fizesse isso", afirmou o marqueteiro, sem detalhar os benefícios que obteria. Elsinho disse que se recusou a "cumprir esse papel". "Diante da insistência dele [Joesley], eu disse algo mais ou menos assim, puxando pela memória: 'Joesley, ligo pra ele já, só tem uma coisa, é ruim pra mim e péssimo pra você. Ruim pra mim porque não é minha função apresentar empresário, meu trabalho é comunicação. É péssimo pra você porque eu não tenho tamanho, não sou parlamentar, te diminui. Você não precisa de ninguém pra falar com ele. O maior produtor de proteína animal do mundo e o presidente da República não precisam de intermediários. Liga direto, é melhor'. Assim me despedi", contou o marqueteiro. Elsinho é citado na delação da JBS: de acordo com reportagem da revista Época, há uma nota fiscal que registra serviços de planejamento estratégico de comunicação, que de acordo com delatores, seria ‘fria’ e teria sido usada para justificar a entrega de R$ 1 milhão a Michel Temer. 

Histórico de Conteúdo